Banner Portal
Polêmica da alfabetização no Brasil de Paulo Freire
PDF

Palavras-chave

educação científica. empoderamento. letramento

Como Citar

SILVA, W. R. Polêmica da alfabetização no Brasil de Paulo Freire. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 58, n. 1, p. 219–240, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8654598. Acesso em: 22 fev. 2024.

Resumo

Debates atrelados a teorias acadêmicas vêm se intensificando no cenário político brasileiro a partir de enunciados compartilhados incisivamente por autoridades governamentais. Assim, evidenciam-se esforços para depreciação do legado deixado por Paulo Freire e das contribuições da abordagem do letramento para o processo de alfabetização. Contrapondo-me às ideais compartilhadas pelas autoridades, apresento algumas contribuições de Paulo Freire para demandas atuais do fortalecimento (1) da educação científica nas escolas e (2) da formação crítica de professoras. Tais contribuições são apropriadas por pesquisas inseridas nos estudos do letramento, produzidos no contexto acadêmico brasileiro e internacional. Como encaminhamento, destaco a relevância da formação docente mediada por práticas investigativas, podendo garantir às professoras a autonomia necessária para construções metodológicas próprias e enfrentamentos profissionais.

PDF

Referências

AKDUR, T. (2009). Scientific Literacy: The Development of Some Components of Scientific Literacy in Basic Education. Saarbrücken: VDM Verlang Dr. Müller.

BARTON, D.; HAMILTON, M. (1998). Local Literacies: Reading and Writing in one Community. New York/London: Routledge.

BASTOS, F. P. (2008). Pesquisa/investigação. In: STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, Jaime J. (Orgs.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, pp. 321-323.

CAGLIARI, L. C. (2007). Alfabetização: o duelo dos métodos. In: SILVA, E. T. (Org.). Alfabetização no Brasil: questões e provocações da atualidade. Campinas: Autores Associados, pp. 51-72.

CHASSOT, A. (2014). Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 6ª ed. Ijuí: Editora Unijuí.

CHASSOT, A. (2016). Das disciplinas à indisciplina. Curitiba: Editora Appris.

DEMO, P. (2010a). Saber pensar é questionar. Brasília: Liber Livro.

DEMO, P. (2010b). Educação e alfabetização científica. Campinas: Papirus.

FIDELIS, A. C. (2018). Proposta de ressignificação de práticas escolares de linguagem pela abordagem do letramento científico no ciclo de alfabetização. Araguaína, 2018. 234f. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras) – Programa de Pós-Graduação em Letras. Universidade Federal do Tocantins.

FREIRE, P. (2008). Pedagogia do compromisso: América Latina e educação popular. 1ª ed. Itaiatuba: Villa das Letras Editora, 2008.

FREIRE, P. (2011). A importância do ato de ler em três artigos que se completam. 51ª ed. São Paulo: Editora Cortez.

FREIRE, P. (2014). Pedagogia dos sonhos possíveis. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

FREIRE, P. (2017a). Educação como prática da liberdade. 41ª ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

FREIRE, P. (2017b). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

KALMAN, J.; STREET, B. (2013). Literacy and Numeracy in Latin American: Local Perspectives and Beyond. New York/London: Routledge.

KLEIMAN, A. (1995). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras.

KLEIMAN, A; SIGNORINI, I. (2000). O ensino e a formação do professor: alfabetização de jovens e adultos. Porto Alegre: Artmed Editora.

KNAIN, E. (2015). Scientific Literacy for Participation: A Systemic Functional Approach to Analysis of School Science Discourses. Rotterdam/Boston/Taipei: Sense Publishers.

LIMA, B. A. (2015). Caminho Suave. São Paulo: Caminho Suave Edições.

MARTINS, I. (2010). Letramento científico: um diálogo entre educação em ciências e estudos do discurso. In: MARINHO, M.; CARVALHO, G. T. (Orgs.). Cultura escrita e letramento. Belo Horizonte: Editora da UFMG, pp. 263-389.

MARTINS, J. M. (2018). Letramento científico a partir de textos propagandísticos em aulas de Língua Portuguesa no ensino fundamental. Araguaína, 2018. 251f. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras) – Programa de Pós-Graduação em Letras. Universidade Federal do Tocantins.

MASSINI-CAGLIARI, G. (2005). O texto na alfabetização. Campinas: Mercado de Letras.

MORTIMER, E. F.; VIEIRA, A. C. F. R.; ARAÚJO, A. O. (2010). Letramento científico em aulas de química. In: MARINHO, M.; CARVALHO, G. T. (Orgs.). Cultura escrita e letramento. Belo Horizonte: Editora da UFMG, pp. 336-362.

REIS, A. P. (2016). Letramento científico como prática inovadora numa escola pública araguainense. 2016. 236f. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras) – Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

RIBEIRO, M. H. C. (2018). Contribuições do letramento científico para o trabalho pedagógico cooperativo entre as disciplinas de Português e Geografia. Araguaína, 2018. 261f. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras) – Programa de Pós-Graduação em Letras. Universidade Federal do Tocantins.

SANTOS, B. S. (2010). Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. (Orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Editora Cortez, pp. 31-83.

SANTOS, I. B. (2008). A. Projetos de letramento: ressignificação da prática escolar. In: OLIVEIRA, M. S.; KLEIMAN, A. (Orgs.). Letramentos múltiplos: agentes, práticas, representações. Natal: EDUFRN, pp. 119-140.

SANTOS, W. L. P. (2007). Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 36, pp. 474-550.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. (2008). Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em Ensino de Ciências. v. 13, n. 3, pp. 333-352.

SEABRA, A. G.; CAPOVILLA, F. C. (2010). Alfabetização: método fônico. 5ª edição. São Paulo: Memnon Edições Científicas.

SOARES, M. (2002). Português na escola: história de uma disciplina curricular. In: BAGNO, M. (Org.). Linguística da norma. São Paulo: Edições Loyola, pp. 155-177.

SOARES, M. (2004). Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação. n. 24, pp. 5-17.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.