A elaboração de tarefas para o ensino de língua portuguesa a partir da teoria bakhtiniana de gêneros do discurso

Palavras-chave: gêneros do discurso, tarefas de escrita, PLA

Resumo

Ancorado na perspectiva teórica do Círculo de Bakhtin, este artigo propõe uma reflexão sobre critérios de elaboração e de avaliação de tarefas de produção escrita para o ensino de Português como Língua Adicional (PLA). Considerando que a formação do professor passa, em grande medida, pelas suas práticas de elaboração, avaliação e adaptação de tarefas didáticas, de acordo com as necessidades de seu grupo, torna-se premente a discussão e a reflexão sobre os processos envolvidos nessas atribuições do trabalho do professor, sobretudo na área de PLA. Por meio da explicitação das etapas de construção de uma tarefa de produção escrita, e pela apresentação e análise dos parâmetros de avaliação da produção textual, busca-se contribuir para a discussão sobre elaboração de materiais didáticos que tenham como base a perspectiva de gêneros do discurso de Bakhtin, já que a área de PLA no Brasil ainda carece de políticas linguísticas que estabeleçam parâmetros direcionadores para o ensino nos contextos em que o português como língua adicional é usado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maíra Gomes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul- rio-grandense

Professora efetiva de Língua Portuguesa e Língua Inglesa no Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) desde 2009, Licenciada em Letras e Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é doutoranda em Linguística  pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

http://lattes.cnpq.br/4880665089601317

Leticia Grubert dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul- rio-grandense

Doutoranda em Linguística Aplicada pela UFRGS
Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul- rio-grandense

http://lattes.cnpq.br/2730683889345448

Referências

ANDRIGHETTI. G. (2009). A elaboração de tarefas de compreensão oral para o ensino de português como língua adicional em níveis iniciais. Dissertação de Mestrado. PPG em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

BAKHTIN, M. (19.79) Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003

BAKHTIN, M. (VOLOSHINOV, V.). (1929-1930). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2006.

BARBOSA, J. P. (2000). Do professor suposto pelos PCNs ao professor real de língua Portuguesa: são os PCNs praticáveis? In: ROJO, Roxane (Org.). A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. Campinas: Mercado das letras, pp. 149-182.

BRASIL. (2006) Manual do Candidato ao exame Celpe-Bras. Brasília, Secretaria de Educação Superior (SESu), MEC. Disponível em http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/CelpeBras/manualcandidato2006.pdf. Acesso em: 12 dez. 2008.

CARVALHO, S., SCHLATTER, M. (2011). Ações de difusão internacional da língua portuguesa. Cadernos do IL, Porto Alegre, n.42, pp. 260-284.

DI FANTI, M. G. C. (2015). Discurso, mídia e produção de sentidos: questões de leitura e de formação na contemporaneidade. Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo, v. 11, nº 2, pp. 418-438.

FARACO, C. A. (2003). Linguagem e Diálogo: As ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar Edições.

GOMES. M. (2009). A complexidade de tarefas de leitura e produção escrita no Exame Celpe-Bras. Dissertação de Mestrado. PPG em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

KRAEMER. F. F. (2012). Português língua adicional: progressão curricular com base em gêneros do discurso. Porto Alegre. Dissertação de Mestrado em Letras. Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

LITTLE, D; SINGLETON, D. (1988). Authentic materials and the role of fixed support in language teaching: towards a manual for language learners. CLCS Occasional Paper 20. Dublin: Centre for Language and Communication Studies. Trinity College.

MOREIRA, R. S. (2015). Português como língua adicional e letramento crítico: análises das experiências com alunos estrangeiros. International Congress of Critical Applied Linguistics. Brasília.

RODRIGUES, M. S. (2006). O exame Celpe-Bras: reflexões teórico-didáticas para o professor de português para falantes de outras línguas. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Instituto de Estudos da Linguagem. Unicamp, Campinas.

ROTTAVA, L. (2001). Leitura e escrita como processos interrelacionados de construção de sentidos em contexto de ensino e aprendizagem de português como L2 para hispano-falantes. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada, Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas.

SANTOS. L.G. (2007). Avaliação de desempenho para nivelamento de alunos de português como língua estrangeira. Dissertação de Mestrado. PPG em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

SANTOS, L.G. (2017). Internacionalização da Língua Portuguesa: o Programa Leitorado Brasileiro. Apresentação de comunicação no VI Encontro Mundial sobre o ensino de Português. Florida International University. Miami.

SCARAMUCCI, M. (2004). Efeito retroativo da avaliação no ensino/aprendizagem de línguas: o estado da arte. Trabalhos em Linguística Aplicada, 43 (2), pp.203-222.

SCHLATTER, M. (2009). O ensino de leitura em língua estrangeira na escola: uma proposta de letramento. Calidoscópio, v. 7, n. 1, pp. 11-23.

SCHLATTER, M., GARCEZ, P. (2009). Referenciais curriculares do Estado do Rio Grande do Sul: linguagens, códigos e suas tecnologias. Porto Alegre: Secretaria de Estado da Educação, Departamento Pedagógico, v. 1, pp. 127-172.

SCHOFFEN, J. R. (2009). Gêneros do discurso e parâmetros de avaliação de proficiência em português como língua estrangeira no exame Celpe-Bras. Tese de Doutorado. PPG em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

SCHOFFEN, J. R.; MARTINS, A. F. (2016) Políticas linguísticas e definição de parâmetros para o ensino de português como língua adicional: perspectivas portuguesa e brasileira. ReVEL, v. 14, n. 26, pp. 271-306.

Publicado
2019-10-18
Como Citar
Gomes, M., & Santos, L. G. dos. (2019). A elaboração de tarefas para o ensino de língua portuguesa a partir da teoria bakhtiniana de gêneros do discurso. Trabalhos Em Linguística Aplicada, 58(3), 1197-1220. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8655607