“Bota fogo nesses vagabundos!”

entextualizações de xenofobia na trajetória textual de uma fake news

Autores

Palavras-chave:

Fake news, Migrantes de crise, Xenofobia

Resumo

Com a emergência da internet como infraestrutura de inovação nos modos de comunicação, a produção de fake news cresceu em profusão, facilitando os modos de publicação e o compartilhamento de informações e notícias falsas. As fake news têm extrapolado a materialidade dos textos e potencializado discursos de ódio na sociedade e violações aos direitos humanos, a exemplo de ataques xenofóbicos a imigrantes no país. Afiliado à vertente indisciplinar da Linguística Aplicada (Moita Lopes, 2006; Cavalcanti, 2013), este estudo de base qualitativo-interpretativista busca analisar que entextualizações foram mobilizadas na trajetória textual de uma fake news em diferentes plataformas digitais e que posicionamentos os participantes da interação assumem em relação à situação da migração de crise no país. O corpus recobre a trajetória textual do evento 'Bota fogo!', referente ao ataque a imigrantes venezuelanos em Pacaraima, ocorrido em 18 de agosto de 2018. Os resultados indicam que a propagação de fake news mobiliza posicionamentos discursivo-identitários preconceituosos em interações virtuais, e, além disso, impulsionam reações xenofóbicas fora das redes online.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Izabel da Silva, Instituto Federal do Paraná

Doutoranda em Linguística Aplicada na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente é professora da Educação Básica, Técnica e Tecnológica no Instituto Federal do Paraná.

Referências

ACNUR – Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (2018). Relatório Anual Global Trends: forced displacement in 2018. Disponível em: <https://www.unhcr.org/5d08d7ee7.pdf#_ga=2.244458885.1089995143.1576841892-1776333326.1576100910>. Acesso em: 17 dez. 2019.

AGÊNCIA BRASIL, Brasília. Restrição a imigrantes é bandeira de governador eleito em Roraima. Denarium inclui fluxo de venezuelanos para estado em seu programa. Portal Agência Brasil. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2018-10/restricao-imigrantes-e-bandeira-de-governador-eleito-em-roraima>. Último acesso em: 08 set. 2020.

ALBUQUERQUE Jr., D. M. de. (2016). Xenofobia: medo e rejeição ao estrangeiro. São Paulo: Cortez.

BAENINGER, Rosana et al. (Orgs.). (2018). Migrações Sul-Sul. Campinas, SP: Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” – Nepo/Unicamp.

BAKIR, V.; MCSTAY, A. (2017). Fake News and The Economy of Emotions. Digital Journalism. v. 6, n. 2, p.1-19. http://dx.doi.org/10.1080/21670811.2017.1345645.

BAUMANN, R; BRIGGS, C. (2006). Poética e Performance como perspectivas críticas sobre a linguagem e a vida social. Ilha Revista de Antropologia. v. 8, n. 1, 2, pp. 185-229.

BBC News Brasil. (2018). ‘Bota fogo!’: o ataque de brasileiros a imigrantes venezuelanos em Pacaraima. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=CrXBt9pVG4Q>. Acesso em: 11 out. 2019.

BECKER, C.; LOPES, P. (2018). #Verificamos: Textos e imagens sobre a crise migratória em Roraima misturam dados certos e errados. Portal da Agência Lupa. Disponível em: <https://piaui.folha.uol.com.br/lupa/2018/08/27/verificamos-roraima/>. Acesso em: 17 nov. 2019).

BIZON, A. C. C. (2013). Narrando o exame Celpe-Bras e o convênio PEC-G: a construção de territorialidades em tempos de internacionalização. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada. Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas.

BIZON, A. C. C.; CAMARGO, H. R. E. de (2018). Acolhimento e ensino da língua portuguesa à população oriunda de migração de crise no município de São Paulo: por uma política do atravessamento entre verticalidades e horizontalidades. In.: BAENINGER, Rosana et al. (Orgs.) Migrações Sul-Sul. Campinas, SP: Nepo/Unicamp, pp. 712-726.

BLOMMAERT, J. (2008). Contexto é/como crítica. In. (Org.): SIGNORINI, I. Situar a linguagem. São Paulo: Parábola Editorial, p. 91-115.

BLOMMAERT, J. (2010). The Sociolinguistics of Globalization. Cambridge: University Press.

BRASIL, Lei nº 9.474, de 22 de julho de 1997. Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9474.htm>. Acesso em: 11 dez. 2019.

BRASIL, Ministério da Justiça e Segurança Pública. (2019). Conare concede refúgio para 21 mil venezuelanos: Resolução e ferramentas de inteligência permitiram cruzamento de dados para julgamento em bloco de processos. Disponível em: <https://www.novo.justica.gov.br/news/conare-concede-refugio-para-21-mil-venezuelanos>. Acesso em: 23 jan. 2020.

CAVALCANTI, M. C. (2013). Educação linguística na formação de professores de línguas: intercompreensão e práticas translíngues. In: MOITA LOPES, L. P. Linguística Aplicada na modernidade recente. São Paulo: Parábola.

CAVALCANTI, L; OLIVEIRA, T.; MACEDO, M. (2019). Imigração e Refúgio no Brasil. Relatório Anual 2019 do Observatório das Migrações Internacionais. Ministério da Justiça e Segurança Pública/ Conselho Nacional de Imigração e Coordenação Geral de Imigração Laboral. Brasília, DF: OBMigra, 2019.

CESARINO, L. (2018). Populismo digital: roteiro inicial para um conceito, a partir de um estudo de caso da campanha eleitoral de 2018. Disponível em: <https://www.academia.edu/42077568/Como_vencer_uma_elei%C3%A7%C3%A3o_sem_sair_de_casa_a_ascens%C3%A3o_do_populismo_digital_no_Brasil_Internet_and_Sociedade_2020>. Acesso em: 22 jan. 2020.

CHARLEAUX, J. P. (2018). Os 3 ataques cometidos contra imigrantes venezuelanos em Roraima. Nexo Jornal Ltda. Disponível em: < https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/03/22/>. Acesso em: 15 jan. 2020.

CONARE – Comitê Nacional para os Refugiados. (2016). Relatório Refúgio em Números – 1ª Edição. Brasília: Ministério da Justiça e Segurança Pública. Disponível em: <https://www.justica.gov.br/seus-direitos/refugio/refugio-em-numeros>. Acesso em 15 dez. 2019.

CONARE – Comitê Nacional para os Refugiados. (2018). Relatório Refúgio em Números – 4ª Edição. Brasília: Ministério da Justiça e Segurança Pública. Disponível em: <https://www.justica.gov.br/seus-direitos/refugio/refugio-em-numeros>. Acesso em 19 dez. 2019

DE FINA, A.; TSENG, A. (2017). Narrative in the study of migrants. In.: (Org.) CANAGARAJAH, S. The Routledge Handbook of Migration and Language. London, UK: Routledge, pp. 381-396.

DE FINA, A.; GORE, B. T. (2017). Online retellings and the viral transformation of a twitter breakup story. Storytelling In The Digital Age. John Benjamins Publishing Company. v. 27, n. 2, p. 235-260. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1075/ni.27.2.03def>. Acesso em: 23 fev. 2020.

DONATO, M. (2018). Com “fake news”, candidato do Patriota incentivou as ofensivas contra venezuelanos em Roraima. Portal Justificando. Disponível em: <https://portal-justificando.jusbrasil.com.br/noticias/615544613/com-fake-news-candidato-do-patriota-incentivou-as-ofensivas-contra-venezuelanos-em-roraima>. Acesso em: 15 out. 2019.

FABRÍCIO, B. F. (2013). A “outridade lusófona” em tempos de globalização: identidade cultural como potencial semiótico. In.: MOITA LOPES, L. P. da. (Org.). Português no século XXI: cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Parábola Editorial, pp. 144-168.

FIGUEIRA, R. R. (2018). Razões da Xenofobia: ensaio sobre os fatores contribuintes da violência xenófoba contra imigrantes e refugiados venezuelanos em Roraima. In.: BAENINGER, R.; SILVA, J. C. J. (Coods.); ZUBEN, C. von et al. (Orgs.) Migrações Venezuelanas. Campinas, SP: Nepo/Unicamp, pp. 224-231.

FUNDAÇÃO Getúlio Vargas. (2018). Sala de Democracia Digital. Disponível em: <https://observa2018.com.br/posts/conflitos-em-roraima-geram-debate-polarizado-e-acentuam-problemas-da-politica-migratoria/>. Acesso em 25 jan. 2020.

INTERVOZES – Coletivo Brasil de Comunicação Social. (2019). Desinformação: ameaça ao direito à comunicação muito além das fake news. São Paulo: Intervozes.

JORNAL da Cidade Online. (2018). Uma brasileira de Roraima diz a VERDADE que a Imprensa aética e sem noção esconde. Portal Jornal da Cidade Online (Tema Livre). Disponível em: <https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/11101/uma-brasileira-de-roraima-diz-a-verdade-que-a-imprensa-aetica-e-sem-nocao-esconde>. Acesso em: 17 nov. 2019.

MARIN, Denise Chrispim. Governo federal vê motivação eleitoreira na ação de Roraima. Para fontes de Brasília, a governadora Suely Campos insiste em fechar a fronteira para os venezuelanos como meio de garantir sua reeleição. Portal Veja. Disponível em: . Acesso em: 08 set. 2019.

MELLO, P. C.; PRADO, A. (2018). Boatos alimentam conflito com venezuelanos em região de fronteira: Campanhas contra imigrantes em Roraima ganham força com posts e vídeos em redes sociais. Folha de S. Paulo. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/08/boatos-alimentam-conflito-com-venezuelanos-em-regiao-de-fronteira.shtml>. Acesso em: 27 out. 2019.

MOITA LOPES, L. P. da. (Org.). (2006). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial.

MOITA LOPES, L. P. da; FABRÍCIO, B. F. (2018). Viagem textual pelo sul global: ideologias linguísticas queer e metapragmáticas translocais. Linguagem em (Dis)curso – LemD. v. 18, n. 3, pp. 759-784, set./dez.

PIAIA, V. R. (2018). Rumores, fake news e o impeachment de Dilma Rousseff. Teoria e Cultura. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais – UFJF. v. 13, n. 2, p. 22-39, dez.

RAMALHO, S. (2019) Virou rotina agredir e assassinar venezuelanos em Roraima. Portal The Intercept Brasil. Disponível em: <https://theintercept.com/2019/11/28/violencia-xenofobia-venezuelanos-roraima/>. Acesso em: 15 jan. 2020.

RORAIMA. Procuradoria Geral do Estado. (2018). Ação Civil Originária de 13 de abril de 2018. Pedido de Tutela Provisória. ACO 3121. Disponível em: <http://portal.stf.jus.br/processos/downloadPeca.asp?id=315110327&ext=.pdf>. Acesso em: 27 jan. 2020.

ROSS, A. S.; RIVERS, D. J. (2018). Discursive Deflection: Accusation of “Fake News” and the Spread of Mis- and Disinformation in the Tweets of President Trump. Social Media + Society. SAGE Publications. v. 4, n. 2, pp. 1-12. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1177/2056305118776010>. Acesso em: 18 set. 2019.

RUSEISHVILI, S.; CARVALHO, R. C. de; NOGUEIRA, M. F. S. (2018). Construção social do estado de emergência e governança das migrações. O Decreto Estadual Nº. 24.469-E como divisor de águas. In.: BAENINGER, R.; SILVA, J. C. J. (Coods.); ZUBEN, C. von et al. (Orgs.) Migrações Venezuelanas. Campinas, SP: Nepo/Unicamp, pp. 57-67.

SANTAELLA, L. (2018). A Pós-Verdade é verdadeira ou falsa? São Paulo: Estação das Letras.

SCHWARCZ, Lilia Moritz (2019). Sobre o autoritarismo brasileiro. 1ª ed. São Paulo: Companhia das Letras.

SCOFIELD JR., G. (2019). Desconstruindo as Fake News: o trabalho das Agências de Fact-Checking. In.: (Org.) BARBOSA, M. Pós-verdade e Fake News: reflexões sobre a guerra de narrativas. Rio de Janeiro: Cobogó, pp. 59-68.

SILVERSTEIN, Michael. (2003). Indexical order and the dialectics of sociolinguistic life. Language & Communication, n. 23, pp. 193-229.

SISMIGRA – Sistema de Registro Nacional Migratório. Portal de Imigração do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Disponível em: <https://portaldeimigracao.mj.gov.br/pt/dados/microdados/1733-obmigra/dados/microdados/401205-sismigra>. Acesso em: 23 jan. 2020.

SOUSA SANTOS, Boaventura de et. al. [Coordenação geral de Maria Paula Meneses; Karina Andrea Bidaseca]. (2018). Epistemologias do Sul. 1.ed. Buenos Aires: CLACSO; Coimbra: Centro de Estudos Sociais – CES.

WARDLE, C.; DERAKHSHAN, H. (2017). Information Disorder: Toward an interdisciplinary framework for research and policymaking. Relatório do Council of Europe. Disponível em: <https://rm.coe.int/information-disorder-report-november-2017/1680764666>. Acesso em: 17 jan. 2020.

WORTHAM, S. (2001). Narratives in action. A strategy for research and analysis. New York/London: Teachers College; Columbia University.

Downloads

Publicado

2021-03-09

Como Citar

SILVA, I. da. “Bota fogo nesses vagabundos!”: entextualizações de xenofobia na trajetória textual de uma fake news. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 59, n. 3, p. 2123–2161, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8659789. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos