Campanha pela liberdade de Rafael Braga

corpos aliados e a produção de comunidades epistêmicas em resposta à antinegritude

Autores

Palavras-chave:

Campanha pela liberdade de Rafael Braga, Discurso, Etnografia, Cenas de desentendimento, Racismo estrutural

Resumo

Neste artigo nosso objetivo é aprofundar a discussão sobre aspectos discursivos do caso de Rafael Braga, especialmente em torno da Campanha pela Liberdade de Rafael Braga. Tomando a filosofia política de Rancière ao lado dos estudos de multimodalidade de Kress e van Leeuwen e da perspectiva estrutural do racismo no Brasil, olhamos para as falas de membros da Campanha pela Liberdade de Rafael Braga e outros atores em torno do tema e para artefatos multimodais produzidos nesse contexto de mobilização coletiva. Sem pretender realizar uma análise discursiva crítica propriamente, assumimos a tarefa de realizar uma crítica discursiva, que se não toma a linguística a modo de categorias de análise, compreende a relevância do discurso para as cenas de desentendimento que o caso de Rafael Braga e a Campanha pela sua liberdade engendram. Para isso, tomamos parte da etnografia que vimos desenvolvendo ao longo dos últimos seis anos no âmbito do projeto “Entre a justiça e os direitos humanos, o encontro da situação de rua com a lei e com a mídia: o caso Rafael Braga Vieira em diferentes gêneros discursivos” (FAP-DF).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Viviane de Melo Resende, Universidade de Brasília

Doutora em Linguística (Linguagem e Sociedade) pela Universidade de Brasília (UnB). Professora associada do Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas (LIP/UnB).

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. Selo Sueli Carneiro. São Paulo: Pólen, 2019.

BOUDON, Enrique; PARODI, Giovanni. Artefactos multisemióticos y discurso académico de la Economía: Construcción de conocimientos en el género Manual. Revista signos, v. 47, n. 85, p. 164-195, 2014.

BRASIL, Ministério da Justiça e Segurança Pública. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Atualização - Junho de 2017). Brasília: Departamento Penitenciário Nacional, 2019. Disponível em: http://depen.gov.br/DEPEN/depen/sisdepen/infopen/relatorios-sinteticos/infopen-jun-2017-rev-12072019-0721.pdf.

BUTLER, Judith. Cuerpos aliados y lucha política: hacia una teoría performativa de la assamblea. Barcelona: Paidós, 2017.

CAMPOS, Fábio. Caso Rafael Braga Vieira (Entrevista pessoal): Campanha pela Liberdade de Rafael Braga. Rio de Janeiro, 2015.

DAMOUS, Wadih. Caso Rafael Braga Vieira (Entrevista pessoal): OAB-RJ e Comissão Estadual da Verdade/RJ. Rio de Janeiro, 2015.

DAVIS, Angela Y. A democracia da abolição: para além do império das prisões e da tortura. Rio de Janeiro: Difel, 2009.

DO AMARAL, Augusto Jobim. Polícia e democracia: O tempo que resta das jornadas de junho de 2013. Sistema Penal & Violência (Online), v. 6, n. 2, p. 174-195, 2015

GOMES, Ailton. Caso Rafael Braga Vieira (Entrevista pessoal): Campanha pela Liberdade de Rafael Braga. Rio de Janeiro, 2018.

GONZALEZ, Lélia; HASENBALG, Carlos Alfredo. Lugar de negro. Rio de Janeiro: Editora Marco Zero, 1982. v. 3.

GRABOIS, Pedro. A vida no asfalto não é mais o centro de gravidade da cidade. Universidade Nômade Brasil, Rio de Janeiro, 20 nov. 2014 Disponível em: https://bit.ly/2DSpcGC. Acesso em: 12 set. 2020.

HULSMAN, Louk; BERNAT DE CELIS, Jacqueline. Penas perdidas: o sistema penal em questão. Niterói: Luam, 1997. E-book.

JOURDAN, Camila. 2013: Memórias e resistências. São Paulo: Hedra, 2020. E-book.

KRESS, Gunther R. ‘Partnerships in research’: multimodality and ethnography. Qualitative Research, v. 11, n. 3, p. 239–260, 2011.

KRESS, Gunther R.; VAN LEEUWEN, Theo. Multimodal discourse: the modes and media of contemporary communication. London: Hodder Arnold, 2001. E-book.

KRESS, Gunther R.; VAN LEEUWEN, Theo. Reading images: The grammar of visual design. 2nd ed. London: Routledge, 2006. E-book.

MACHIN, David. What is multimodal critical discourse studies? Critical discourse studies, v. 10, n. 4, p. 347–355, 2013.

MARTINEC, Radan; SALWAY, Andrew. A system for image–text relations in new (and old) media. Visual communication, v. 4, n. 3, p. 337–371, 2005.

PACHECO, Ronilso. Caso Rafael Braga Vieira (Entrevista pessoal): Campanha pela Liberdade de Rafael Braga. Rio de Janeiro, 2014.

RANCIÈRE, Jacques. O Desentendimento: Política e Filosofia. Tradução Ângela Leite Lopes. São Paulo: Edições 34, 1996.

RANCIÈRE, Jacques. Literature, politics, aesthetics: Approaches to democratic disagreement. Interviewed by S. Guenoun & J. Kavanagh. SubStance, v. 92, p. 3–24, 2000.

RANCIÈRE, Jacques; PANAGIA, Davide; BOWLBY, Rachel. Ten Theses on Politics. Theory & Event, v. 5, n. 3, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1353/tae.2001.0028. Acesso em: 10 set. 2020.

RESENDE, Viviane de Melo; SILVA, Rosimeire Barboza da. Jornadas de junho e criminalização da situação de rua no Brasil: o caso Rafael Braga Vieira. In: PARDO ABRIL, Neyla Graciela (org.). La sociedad, la comunicación y sus discursos. Miradas Interdisciplinares. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia: Instituto Caro y Cuervo, 2016. p. 125–162.

RESENDE, Viviane de Melo; SILVA, Rosimeire Barboza da. O encontro da situação de rua com a lei e com a mídia: o caso Rafael Braga Vieira em o Globo.Com. In: MONTECINO, Lésmer (org.). Memorias de la Calle. Santiago de Chile: Editorial Cuarto Proprio, 2018. p. 275–338.

SINHORETTO, Jacqueline; SILVESTRE, Giane; SCHLITTLER, Maria Carolina. Desigualdade racial e segurança pública em São Paulo: letalidade policial e prisões em flagrante (Sumário executivo). São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2014.

TELES, Edson. O abismo na história: ensaios sobre o Brasil em tempos de Comissão da Verdade. São Paulo: Alameda, 2018.

TRISTÃO, Henrique; LOPES, Raphaela. Caso Rafael Braga Vieira (Entrevista pessoal): Instituto de Defensores de Direitos Humanos (DDH). Rio de Janeiro, 2015.

VARGAS, João H. Costa. Desindentificação: a lógica da exclusão antinegra no Brasil. In: PINHO, Osmundo; VARGAS, João H. Costa (org.). Antinegritude: o impossível sujeito negro na formação social brasileira. Belo Horizonte: EDUFRB, 2016. p. 13-30.

VARGAS, João H. Costa. Racismo não dá conta: antinegritude, a dinâmica ontológica e social definidora da modernidade. Revista Em Pauta: teoria social e realidade contemporânea, v. 18, n. 45, 2020, p. 16-26.

VIEIRA, Adriana Braga. Caso Rafael Braga Vieira (Entrevista pessoal): Família. Rio de Janeiro, 2015.

WACQUANT, Loïc. The New “Peculiar Institution”: On the Prison as Surrogate Ghetto. Theoretical Criminology, v. 4, n. 3, p. 377–389, 2000. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1362480600004003007. Acesso em: 27 set. 2014.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

SILVA, R. B. da .; RESENDE, V. de M. Campanha pela liberdade de Rafael Braga: corpos aliados e a produção de comunidades epistêmicas em resposta à antinegritude. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 59, n. 3, p. 1735–1757, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8661214. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê