A ordem urbana religiosa no Rio de Janeiro colonial

Fania Fridman, Valter Macedo

Resumo


O desenho urbano, quando analisado em sua gênese, reflete os processos de acumulação e de parcelamento dos patrimônios territoriais verificados ao longo do tempo. Neste contexto, ordens religiosas e irmandades, através de seus patrimônios imobiliário e fundiário desempenharam, de uma forma geral e no caso específico do Rio de Janeiro, importante papel no processo de conformação do chão da cidade, desde sua fundação (1565) até a promulgação da Lei de Terras no Brasil (1850). Em relação ao período colonial, consideramos que a paisagem urbana estava vinculada à presença dos religiosos, uma vez que cada ordem, irmandade ou confraria dominava uma parcela do território, sendo esta dominação de base econômica - a produção agrícola, pastoril e de serviços, além do acúmulo de propriedades imobiliárias - e ideológica, exercida pela religião católica. Este texto analisa o papel desempenhado pela Igreja na produção do espaço e suas conseqüências sobre o cotidiano na cidade do Rio de Janeiro.

Palavras-chave


Urbanismo.

Texto completo:

PDF

Referências


Avelar, H. A. Organização e vida político-administrativa e eclesiástica, in RIHGB (288), jul/set. 1970.

Bastide, R. As religiões africanas no Brasil. Contribuição a uma sociologia das interpretações de civilizações. São Paulo: Pioneira,1989.

Boxer, C. R. O império marítimo português (1415-1825). Lisboa: Edições 70, 1992

Coaracy, V. Memórias da cidade do Rio de Janeiro. Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/EdUSP, 1988.

Costa, J. J. Breve notícia da irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos do Rio Capital do Império do Brasil. Rio de Janeiro; Typ. Poytechnica, 1886.

Cruls, G. Aparência do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1965, 2 vols.

Cunha, L. A. Aspectos sociais da aprendizagem de ofícios manufatureiros no Brasil colônia, in Fórum 2 (4), out/dez 1978.

Facó, A. D. (coord.) Guia das igrejas históricas da cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura Municipal/IplanRio/Noberto Odebrecht S.A., 1997.

Ferreira, J.C. A cidade do Rio de Janeiro e seu termo. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 1976.

Fridman, F. Donos do Rio em nome do rei; uma história fundiária da cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Garamond/Jorge Zahar Editor, 1999.

Fridman, F.; Macedo, V. L. Irmandades de negros: desterro no Rio de Janeiro colonial. In: Anais do Seminário Nacional “Diáspora negra: uma contribuição à arquitetura e à organização do espaço no Brasil”. Salvador, UFBA/FAU, 1997.

Hoornaert, E. A Igreja no Brasil Colônia. São Paulo: Brasiliense, 1982.

Lacombe, L. L. Ordens religiosas, irmandades e confrarias, in RIHGB (288), jul/set. 1970.

Lima, O. Dom João VI no Brasil. Rio de Janeiro: TopBooks, 1996, 3a ed.

Macedo, S. D. T. Rio de Janeiro, guia turístico, histórico, sentimental da cidade mais bonita do mundo. Rio de Janeiro: s.n.t., 1945.

Marx, M. Cidade no Brasil, terra de quem? São Paulo: Nobel/EDUSP, 1991..

Maurício, A. Algo do meu velho Rio. Rio de Janeiro: Brasiliana, 1966.

Méro, E. Discriminação racial nas irmandades. Maceió: UFAL, 1983.

Mira, J. M. L. A evangelização do negro no período colonial brasileiro. São Paulo: Loyola, 1983

Pizarro e Araújo, J. S. A. Memórias históricas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1945, 11 vols.

Santos, J. G. Igreja de Nossa Senhora da Lampadosa; dos pretos-minas aos portugueses. Rio de Janeiro: UERJ/IFCH, monografia de Graduação, mimeo, 1990.

Scarano, J. Cotidiano e solidariedade; vida diária da gente de cor nas Minas Gerais do século XVIII. São Paulo: Brasiliense, 1994.

Schubert, G. A província eclesiástica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Agir, 1948.

Silva, M. B. N. Dicionário da colonização portuguesa no Brasil. Lisboa: Ed. Verbo, 1994.

Silva Telles, M. L. A conquista da terra e a conquista das almas. In: A forma e a imagem; arte e arquitetura jesuítica no Rio de Janeiro colonial. Rio de Janeiro: Ed. PUC, 1992.

Souza, L. M. O diabo e a terra de Santa Cruz; feitiçaria e religiosidade popular no Brasil Colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1986

Torres, J. C. O. História das idéias religiosas no Brasil, São Paulo: Ed. Grijalbo, 1968.

Vieira Fazenda, J. Antiqualhas e Memórias do Rio de Janeiro, in RIHGB (140) 1921, (142) 1923.




DOI: https://doi.org/10.20396/urbana.v1i1.8635109

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

(c) Urbana: Rev. Eletrônica Cent. Interdiscip. Estud. Cid., Campinas (SP) - ISSN 1982-0569.