Cartões-postais: entre as práticas visuais e a conservação do patrimônio urbano

Palavras-chave: Maceió. Luis Lavenère. Panoramas. Cultura visual. Patrimônio urbano.

Resumo

O presente trabalho realiza uma análise acerca da cultura visual e da conservação do patrimônio urbano, tendo como fonte de inspiração leis e práticas de proteção do patrimônio cultural na Itália influenciadas por Gustavo Giovannoni. Toma como ponto de partida a observação de duas séries de cartões-postais que tematizam a cidade de Maceió: uma do início do século XX e uma atual. Entende que estes documentos são instrumentos privilegiados para identificar mudanças e permanências na valorização de marcos paisagísticos e para identificar, sobretudo, transformações nos modos de vê-los. Procura, por fim, levantar algumas hipóteses sobre os motivos das referidas continuidades e descontinuidades nos modos de ver a cidade e como esses modos de ver podem ser considerados, também, patrimônio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima de Mello Barreto Campello, Universidade Federal de Alagoas
Arquiteta, professora doutora aposentada da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e do Programa de Pos-Graduação em Dinâmicas do Espaço Habitado da Universidade Federal de Alagoas.
Renata Campello Cabral, Universidade Federal de Pernambuco
Professora de teoria e história no Curso de Arquitetura e Urbanismo e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco. Pesquisadora do LUP - Laboratório de Urbanismo e Patrimônio da UFPE.
Jaianny Fernandes Duarte, Universidade Federal de Alagoas

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas do Espaço Habitado da Universidade Federal de Alagoas

Thaysa de Oliveira Silva, Universidade Federal de Alagoas
Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Alagoas (2015).

Referências

CABRAL, R. C. A noção de “ambiente” em Gustavo Giovannoni e as leis de tutela do patrimônio cultural na Itália. Tese (doutorado) - Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Carlos, SP, 2013.

CAMPELLO, M. de F. de M. B. Cartões-postais: a construção coletiva da imagem de Maceió – 1903/1934. Maceió: Imprensa Oficial Graciliano Ramos / Cepe, 2011.

DUARTE, J. F., CAMPELLO, M. F. M. B. Descortinando horizontes da cidade: roteiros postais na Maceió de Luiz Lavenère e no presente. (Relatório Final de Pesquisa de Iniciação Científica). Faculdade de Arquitetura e Ubanismo, UFAL, 2013. 20p.

GIOVANNONI, G. Piani Regolatori Paesistici. Estratto dalla Rivista Urbanistica, n.5, settembre-ottobre 1938. Torino: Tipografia Lorenzo Rattero.

GIOVANNONI, G. La nuova legge sulla difesa delle bellezze naturali. Roma: Reale Accademia d’Italia, 1940.

PANE, Andrea. Dal monumento all’ambiente urbano: la teoria del diradamento edilizio. In: CASIELLO, S. La cultura del restauro. Teorie e fondatori. Venezia: Marsilio, 2009. p. 293-314.

SILVA, T. O., CAMPELLO, M. F. M. B. Molduras de ontem na cidade de hoje: as visadas do fotógrafo Luiz Lavenère na Maceió do presente. (Relatório Final de Pesquisa de Iniciação Científica). Faculdade de Arquitetura e Ubanismo, UFAL, 2013. 20p.

SITTE, C. A construção das cidades segundo seus princípios artísticos. São Paulo, Editora Ática, 1992.

WIECZOREK, D. Camillo Sitte e gli inizi dell’Urbanistica Moderna. Milano: Jaca Book, 1994.

ZUCCONI, G. Monneret, Sitte e l’Arte di Costruire La Città. In: SANDRI, M. G. (org.). L’eredità di Monneret de Villard a Milano. Firenze: Insegnadel Giglio, 2004. p. 99-103.

Publicado
2018-07-14
Como Citar
Campello, M. de F. de M. B., Cabral, R. C., Duarte, J. F., & Silva, T. de O. (2018). Cartões-postais: entre as práticas visuais e a conservação do patrimônio urbano. URBANA: Revista Eletrônica Do Centro Interdisciplinar De Estudos Sobre a Cidade, 9(3), 659-676. https://doi.org/10.20396/urbana.v9i3.8648846