Vulnerabilidade, exclusão e a pobreza no Piauí

Autores

Palavras-chave:

Combate à pobreza, Índice de vulnerabilidade social (IVS), Pobreza no Piauí.

Resumo

Neste artigo propõe-se uma análise do Índice de Vulnerabilidade Social (IVS) a partir do Território Vale do Guaribas no Piauí – um território de pobreza extrema. Tal análise considera o Programa Territórios da Cidadania (PTC) enquanto política espacial e, também, uma política dos números. Identifica-se, de antemão, conteúdos teóricos e políticos deste programa de modo a formular-se interpretações conceituais do índice.  Para tanto, procede-se à análise do IVS absoluto e de suas dimensões: capital humano, emprego e renda e infraestrutura urbana. Desse modo, observa-se que: (a) a política dos números existe e é complexa de ser interpretada no que diz respeito a suas variáveis; b) a categoria territórios de pobreza pode ser uma das formas de conciliar variáveis objetivas e subjetivas, reduzindo o campo dos questionamentos e,  por fim, c) mesmo se tratando de um índice robusto, observa-se sua dualidade no combate à pobreza. Estes resultados permitem concluir que a política dos números existe e, manipula o tecido social em territórios isolados da Federação. Igualmente, é possível indicar saídas de emergências rumo às boas práticas de combate à fome e a pobreza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wesley da Silva Medeiros, Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Carlos, SP.

Programa de pós-graduação em arquitetura e urbanismo no Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU/USP), São Carlos, SP. 

Referências

ALTAS DA VULNERABILIDADE SOCIAL. Disponível: http://ivs.ipea.gov.br/index.php/pt/. Acesso: setembro de 2018.
ATLAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO BRASIL. ANÁLISE DOS ESTADOS. Disponível: http://atlas.ana.gov.br/Atlas/forms/ResultadosEstado.aspx. Acesso: janeiro de 2019.
ALTAS DA VULNERABILIDADE SOCIAL NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS (2015). Disponível: http://ivs.ipea.gov.br/images/publicacoes/Ivs/publicacao_atlas_ivs.pdf. Acesso: setembro de 2018.
CENSO DEMOGRÁFICO DO BRASIL DE 2010. Disponível: https://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso: setembro de 2018.
INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Disponível: http://ivs.ipea.gov.br/index.php/pt/. Acesso: setembro de 2018.
PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO. Disponível: www.pac.gov.br/. Acesso: setembro de 2018.
REGO, Walquíria. G. Domingues. Leão.; PINZANI, Alessandro. Vozes do Bolsa Família: autonomia, dinheiro e cidadania. 1ª. ed. São Paulo: Editora UNESP, 2013. 248p.
ROMÃO, M. E. C. Considerações sobre o conceito de pobreza. Revista Brasileira de Economia, v. 36, n. 4, 1982.
STEINBERGER, Marília. Território, Estado e políticas públicas espaciais. 1ª. ed. Brasília: Ler Editora, 2013. v. 1. 328p.
SANTOS, Milton. A natureza do espaço. Técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: EDUSP, 2002. (Coleção Milton Santos; 1).
STEINBERGER, Marília. Território, Estado e políticas públicas espaciais. 1ª. ed. Brasília: Ler Editora, 2013. v. 1. 328p. Resenha de: Ricardo Farret. 2013;15(2):1-2.
SISTEMA DE INFORMAÇÕES TERRITORIAIS – SIT (2018). Disponível: http://sit.mda.gov.br/mapa.php. Acesso: setembro de 2018.

Downloads

Publicado

2020-09-29

Como Citar

DA SILVA MEDEIROS, W. Vulnerabilidade, exclusão e a pobreza no Piauí . URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 12, p. 1–33, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8655948. Acesso em: 11 ago. 2022.