Banner Portal
A cidade enquanto obra de arte e a arte enquanto revelação do sujeito
A capa, impressa em fundo branco, apresenta na parte central superior, logotipo da Revista Urbana em preto, sua designação e ISSN. Na parte inferior direita aparece o nome do dossiê Arte e Cidade, direcionado de baixo para cima com letras em caixa alta e impressos em preto. Logo abaixo do título do dossiê, aparece impresso os dados do volume publicado (v. 13, n. 3 (2019)). Como plano de fundo apresenta arte gráfica em amarelo e magenta simulando as letras A e C entrelaçadas.
PDF

Palavras-chave

Arte
Cidade
Sujeito
Lugar
Latência

Como Citar

SILVA, Ana Clara Sousa e; NASCIMENTO, Matheus Silva; BOAVENTURA, Beatriz Santos Alves Lopes; FIGUEIREDO, Isaura Oliveira. A cidade enquanto obra de arte e a arte enquanto revelação do sujeito: além da técnica e da estética, um olhar para a subjetividade. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 11, n. 3, p. 191–231, 2020. DOI: 10.20396/urbana.v11i3.8656273. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8656273. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

O seguinte artigo analisa a necessidade de reunião dos conceitos de cidade e lugar, a saber de Argan e Santos respectivamente, partindo das mudanças na concepção da arte contemporânea, quando proposto que é na relação entre o sujeito e a obra que brota o objeto artístico. Para tanto utiliza três objetos de arte, e suas relações com o espaço vivido, lançando mão de metodologias típicas da antropologia, e construindo reflexões dialéticas que surgem a partir da exploração conceitual. Conclui, afirmando que a cidade enquanto obra de arte se mantém em estado de latência, até que a relação entre o sujeito e o espaço à determina de fato como objeto desta natureza portanto, é a medida em que a cidade se torna um lugar que esta passa a ser percebida como arte, tendo assim a técnica e forma, elementos necessários, mas não suficientes.

https://doi.org/10.20396/urbana.v11i3.8656273
PDF

Referências

ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BAUDRY, Patrick. O pornô como experiência urbana. Cadernos PPGAU/FAUFBA, v. 7, p. 55-65, 2008.

BENJAMIM, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BOURDIEU, Pierre. A distinção. São Paulo: Edusp, 2007.

CARDOSO FILHO, Carlos Antônio. A subjetividade, o Fora e a cidade: repensando o sujeito, o espaço e a materialidade. Fractal: Revista de Psicologia, v. 28, n. 2, p. 242-251, 2016.

CARDOSO, Wilson Benes de Oliveira; VALADARES, Jorge de Campos. O ritmo das transformações, a exclusão, a legislação urbana e a condição humana na cidade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 7, p. 313-323, 2002.

CARTAXO, Zalinda. Arte nos espaços públicos: a cidade como realidade. O Percevejo Online, v. 1, n. 1, 2009.

ECO, Umberto. 1968. A estrutura ausente, 1976.

EWALD, Ariane Patrícia; GONÇALVES, Rafael Ramos; BRAVO, Camila Fernandes. O espaço enquanto lugar da Subjetividade. Revista Mal-Estar e Subjetividade, v. 8, n. 3, p. 755-777, 2008.

FERRARA, Lucrécia DAlessio. As mediações da paisagem. Líbero, São Paulo, v. 29, n. 15, p. 43-50, 2012.

FISCHER, Ernst. A necessidade da arte: uma interpretação marxista. Zahar, 1967.

FREITAS, S. Arte, Cidade e Espaço Público: perspectivas estéticas e sociais. Artigo científico apresentado no I Enecult - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, Facom-UFBA, 2005.

FREUD, Sigmund. O mal-estar na civilização. LeBooks Editora, 2019.

GARCÍA CANCLINI, Néstor et al. O patrimônio cultural e a construção imaginária do nacional. Revista de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, v. 2, p. 95-115, 1994.

GOMBRICH, Ernest Hans: TORROELLA, Rafael Santos; SETÓ, Javier. Historia del arte. Nueva York: Phaidon, 1997.

GUSMÃO, Roney. Requalificação pela desqualificação: o discurso da reurbanização no “novo” Rio Vermelho. GEOUSP: Espaço E Tempo (Online), v. 21, n. 2, p. 531-549, 2017.

KERTÉSZ, Eliana. Perfil & Opinião com Eliana Kertész [jan. 2014]. Entrevistadora: Denny Fingergut. Salvador: IRDEB, 2014. Entrevista concedida ao Programa Perfil & Opinião da TVE Bahia. Disponível em: < http://www.irdeb.ba.gov.br/tve/catalogo/ media/view/5467>. Acesso em: 10 jan. 2020.

LYNCH, Kevin; CAMARGO, Jefferson Luiz. A imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

MOASSAB, Andréia; REBOUÇAS, Renato. Arte e cidade: construindo territorialidades. Seminário arte e cidade, v. 1, 2006.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Revista estudos históricos, v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Revista Estudos Históricos, v. 5, n. 10, p. 200-215, 1992.

SANTOS, Carlos Nelson Ferreira dos. Preservar não é tombar, renovar não é pôr tudo abaixo. Revista Projeto, v. 86, p. 59-63, 1986.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. Edusp, 2002.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do Espaço Habitado. São Paulo: Editora Hucitec,1988.

SANTOS, Milton. O Lugar: encontrando o futuro. Revista de urbanismo e arquitetura, v. 4, n. 1, 1996.

TEIXEIRA, Arq Marina Coêlho; SANTOS, Mg Arq Jacileda Cerqueira. Leituras possíveis: a paisagem do Largo da Mariquita. Arquisur Revista, v. 5, n. 7, p. 96-111, 2015.

VELAME, Fábio Macêdo. Orixás nos espaços públicos de Salvador: um processo de dessacralização–estetização–espetacularização do patrimônio afro-brasileiro. 2009.

ZORZO, Francisco Antônio. A visualidade urbana contemporânea como campo de estudos interdisciplinares. A Cor das Letras, v. 13, n. 1, p. 61-78, 2017.

URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.