Notas Videográficas: o gesto altermodernista na obra “365 Day Project” de Jonas Mekas

Autores

  • Letícia Castro Simões Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.20396/conce.v4i2.8647668

Palavras-chave:

Artes visuais. Vídeo. Cinema expandido. Teoria da imagem. Altermodernismo.

Resumo

O artigo pretende analisar as imbricações entre artes visuais e linguagem cinematográfica no pensamento acerca de uma estética videográfica. Toma-se como objeto analítico o projeto "365 Day Project", de Jonas Mekas. Partindo da afirmação do autor Philippe Dubois de que os conceitos da linguagem cinematográfica não são suficientes para problematizar as práticas videográficas, a pesquisa utiliza conceitos comuns à teoria da imagem e à filosofia da arte, especificamente os conceitos de "altermodernismo", desenvolvido por Nicolas Bourriaud e de “gesto”, desenvolvido por Giorgio Agamben, para discutir o modo como a relação entre as obras videográficas e os dispositivos audiovisuais se torna produtora de subjetividades em um campo híbrido à linguagem do cinema e das artes visuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Castro Simões, Universidade Federal Fluminense

Formou-se em Comunicação na PUC-Rio e estudou Cinema na London Academy of Film, Media and TV e Artes Plásticas na Art Academy. É mestranda em Estudos Contemporâneos das Artes na UFF. Em 2011, publicou o livro de poemas "Pessoas de quem roubei frases" pela 7 Letras. No mesmo ano, dirigiu o documentário longa-metragem “Bruta Aventura em Versos”, selecionado para o Festival Internacional do Rio de Janeiro, a Mostra de São Paulo e a Mostra de Tiradentes, dentre outros. O longa foi vendido à Apple TV, SESC TV e Canal Brasil. Foi também roteirista do curta-metragem "Um domingo no MAM", selecionado para o Globale Film Festival e o Marbella Film Festival e co-roteirista do documentário "Um domingo com Frederico Morais", dirigido por Gulherme Coelho e selecionado pelo Festival Internacional do Rio de Janeiro, Mostra de São Paulo, Cine Las Americas, dentre outros. Em 2013, publicou "daqui, em 1976, acenei para você", pela Patuá. Ainda neste ano, roteirizou "Construindo Pontes", dirigido por Heloisa Passos e selecionado pelo PRODECINE 05-2013, e "Mestre Cupijó e seu Ritmo", dirigido por Jorane Castro e selecionado pelo Programa Petrobras Cultural 2012-13.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007.

BELTING, Hans. Por uma antropologia da imagem. In: Concinnitas n.08, revista do Instituto de Artes. Rio de Janeiro: UERJ, 2005.

BELTING, Hans. Imagem, mídia e corpo: Uma nova abordagem à iconologia. In: Revista de Comunicação, Cultura e Teoria da Mídia n.08, revista do Centro Interdisciplinar de Semiótica da Cultura e da Mídia. São Paulo: PUC, 2006.

BELTING, Hans. A verdadeira imagem. Lisboa: Dafne Editora, 2011.

BOURRIAUD, Nicolas. Postproduction. New York: Lulas & Stemberg, 2002

BOURRIAUD, Nicolas. Altermodern. Inglaterra: Tate Britain, 2009.

DELEUZE, Gilles. A Imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DUBOIS, Philippe. Cinema, vídeo, Godard. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

MEKAS, Jonas e MOURÃO, Patrícia (org.). Jonas Mekas. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 2013.

MEKAS, Jonas. O filme-diário. In: A verdade de cada um. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

MEKAS, Jonas. O filme-diário. In: A verdade de cada um. São Paulo: Cosac Naify, 2015

Downloads

Publicado

2015-12-30

Como Citar

Simões, L. C. (2015). Notas Videográficas: o gesto altermodernista na obra “365 Day Project” de Jonas Mekas. Conceição/Conception, 4(2), 129–139. https://doi.org/10.20396/conce.v4i2.8647668

Edição

Seção

Artigos - Temas Livres