A saúde nos Parâmetros Curriculares Nacionais: considerações a partir dos manuais de higiene

Autores

  • Greicelene Aparecida Hespanhol Bassinello Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v6i1.1000

Palavras-chave:

Educação em saúde. Saúde escolar. Parâmetros curriculares nacionais.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de expor algumas reflexões sobre os Parâmetros Curriculares Nacionais, especificamente o tema transversal relacionado à saúde partindo de um breve histórico acerca dos manuais de higiene. O Ministério da Saúde ressalta o período escolar como fundamental para a promoção da saúde, já que as crianças e jovens que se encontram nas escolas vivem a oportunidade de obter cada vez mais a adequação de hábitos e atitudes que vão sendo revistos, dependendo da idade. Delimitamos como objeto de estudo os Parâmetros Curriculares Nacionais, que é o instrumento utilizado hoje para nortear o trabalho dos professores em relação à educação e saúde e o Ministério não dispõe de programa específico para o escolar.Em termos de metas a serem atingidas, enquanto o movimento higienista buscava legitimar uma categoria, o PCN é um instrumento de uma política educacional que consagrou uma intervenção na organização e cultura escolar.Conclui-se que a educação em saúde no âmbito do escolar deveria ser um processo interdisciplinar envolvendo os setores de saúde e educação. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Greicelene Aparecida Hespanhol Bassinello, Universidade Estadual de Campinas

Enfermeira, Professora da disciplina de Saúde Coletiva do Centro Universitário Hermínio Ometto. Doutoranda em Educação pela Faculdade de Educação da UNICAMP – Membro do PRAESA – Laboratório de Estudos de Pesquisa em Práticas de Educação e Saúde.

Referências

BONAMINO, A; MARTINEZ, S.A. Diretrizes e Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental: a participação das instâncias políticas do Estado. Ed. Soc, Campinas, v.23, n.80, p. 386-400, set. 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. A Promoção da Saúde no contexto escolar. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.36, n.2, p. 533-5, 2002.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997a.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Saúde. Brasília: MEC/SEF, 1997b.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Saúde. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Disponível em http//:www.mec.gov.br. Acesso em 10.06.2004.

FRIGOTTO,G; CIAVATTA, M. Educação Básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Ed. Soc, Campinas, v.24, n.82, p. 93-130, abril 2003.

GOIS JUNIOR, E; LOVISOLO, H.R. Descontinuidades e continuidades no movimento higienista no Brasil do século XX. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v.25, n.1, p.41-54, setembro 2003.

GONDRA, J.G. Artes de Civilizar: medicina, higiene e educação escolar na Corte Imperial. São Paulo, 2000. Tese (Doutorado) Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2000a.

GONDRA, J.G. A sementeira do porvir: higiene e infância no século XIX. Edu. Pesq, São Paulo, v.26, n.1, p. 99 – 117, jan/jun. 2000b.

GONDRA, J.G. Homo hygienicus: educação, higiene e a reinvenção do homem. Caderno Cedes, Campinas, v.23, n. 59, p. 25-38, abril 2003.

HERSCHMAN, M. Entre a insalubridade e a ignorância. A construção do campo médico e do ideário moderno no Brasil. In: HERSCHMANN, M; KROPF, S.P; NUNES, C. (orgs.). Missionários do progresso: médicos, engenheiros e educadores no Rio de Janeiro – 1870 – 1937. Rio de Janeiro: Diadorim, 1996.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar. Disponível em http://www.inep.gov.br. Acesso em 29/05/2004.

PRADO, I.G.A. O MEC e a Reorganização Curricular. São Paulo Perspectiva, São Paulo, v.14, n.1,p. 94-97, jan/mar. 2000.

ROCHA, D.G.; MARCELO, V.C.; PEREIRA, I.M.T. Escola promotora de Saúde: uma construção interdisciplinar e intersetorial. Rev. Bras. Cien. Desen. Hum, São Paulo, v.12, n.1, p.57-63, 2002.

ROCHA, H.H.P. Prescrevendo regras de bem viver: cultura escolar e racionalidade científica. Caderno Cedes, Campinas, v.20, n.52, novembro 2000.

ROCHA, H.H.P. A higienização dos costumes: educação escolar e saúde no projeto do Instituto de Higiene de São Paulo (1918-1925). Campinas, SP: Mercado de Letras, São Paulo: Fapesp, 2003 a.

ROCHA, H.H.P. Educação Escolar e Higienização da Infância. Caderno Cedes, v.23, n.59, p. 39-56, abril 2003b.

SOUZA, R.F.de; BORGHI, R.F; ONOFRE, M.R.; CAMARGO, L.T. Guias Curriculares: materiais de orientação docente ou de controle do Estado? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v.80, n.195, p.233-243, maio/ago. 1999.

Downloads

Publicado

2009-10-05

Como Citar

Hespanhol Bassinello, G. A. (2009). A saúde nos Parâmetros Curriculares Nacionais: considerações a partir dos manuais de higiene. ETD - Educação Temática Digital, 6(1), 34–47. https://doi.org/10.20396/etd.v6i1.1000