Geração e aplicação do conhecimento para a inovação: visões sobre a mudança do paradigma de produção

Autores

  • Mônica Aparecida Martinicos de Abreu Berton Pontíficia Universidade Católica Campinas
  • Fernando Mattos Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v9i1.738

Palavras-chave:

Informação e conhecimento. Ambientes de inovação. Redes de conhecimento. Políticas de inovação. Tecnologias da informação e comunicação. Desenvolvimento organizacional.

Resumo

Este artigo apresenta um panorama sobre os conceitos relacionados à informação e ao conhecimento, em especial sobre sua agregação aos processos de produção de bens e serviços de natureza inovadora. Apresenta, ainda, um conjunto de reflexões sobre o processo de inovação e suas conexões com o desenvolvimento econômico e social, identificando as principais características dos ambientes mais apropriados para a geração de inovações, bem como as estratégias para estimulá-las. Para situar o tema, foram abordados alguns aspectos do processo a que se convencionou chamar de globalização, enquanto fenômeno social e econômico que permeia o debate sobre as novas formas de produção, cada vez mais demandantes de geração e agregação de conhecimento a bens e serviços. Nesse contexto, discute-se a influência da rápida evolução das tecnologias da informação e comunicação (TIC) sobre os processos de geração do conhecimento e de produção de bens e serviços, colocando em evidência os principais requisitos de estímulo ao desenvolvimento sócio-econômico, configurados em políticas públicas apropriadas ao incentivo da atividade produtiva. Sobre isso, é feita uma breve análise da atual Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior – PITCE e de um de seus mecanismos de estímulo à inovação, a recentemente aprovada Lei de Inovação. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Aparecida Martinicos de Abreu Berton, Pontíficia Universidade Católica Campinas

Mestre em Ciência da Informação pela PUC de Campinas. Analista em Ciência e Tecnologia, Coordenadora Geral de Administração do Centro de Pesquisas Renato Archer.

Fernando Mattos, Universidade Estadual de Campinas

Professor do Curso de Pós-Graduação em Ciência da Informação, do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Professor do Centro de Economia Administração da PUC de Campinas. Mestre e doutor em Economia pela UNICAMP.

Referências

BARRETO, A. Os destinos da informação: entre o cristal e a chama. Informação e Sociedade, João Pessoa, v. 9, n. 2, p. 371-382, 1999.

BOLAÑO, C. R. S. Trabalho intelectual, comunicação e capitalismo. A re-configuração do fator subjetivo na atual reestruturação produtiva. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, SEP, São Paulo, v.11, n. 11, p. 79-102, dez. 2002.

BOLAÑO, C. R.; MATTOS, F. Conhecimento e informação na atual reestruturação produtiva: para uma crítica das teorias da Gestão do Conhecimento, DataGramaZero. Revista da Ciência da Informação, v.5, n. 3, jun. 2004.

CASSIOLATO, J. E. A economia do conhecimento e as novas políticas industriais e tecnológicas, In: LASTRES, H. M. M.; ALBAGLI, S. Informação e globalização na Era do conhecimento. Rio de Janeiro. 1999. Campus. P. 164-190

CASTELLS, M., A era da informação: economia, sociedade e cultura, , 3. ed. [s.l.]: Paz e Terra, 2001. p. 17, v. 2.

CASTRO, A. B. A rica fauna da política industrial e a sua nova fronteira. Revista Brasileira de Inovação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 253-274, jul./dez. 2002.

CHESNAIS, F. Globalisation against development: liberalisation, deregulation and privatisation as antithetic to growth. CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE SISTEMAS DE INOVAÇÃO E ESTRATÉGIAS DE DESENVOLVIMENTO PARA O TERCEIRO MILÊNIO – GLOBELICS, 1, Rio de Janeiro [Anais...] Rio de Janeiro. Nov/2003

CHESNAIS, F. Uma análise da seleção das inovações no quadro do sistema capitalista. Elementos para um estudo completo. Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento. Brasília: CNPq. UNESCO, 1983, 175 p.

DEMANTOVA, C. A.; LONGO, R. A gestão do conhecimento e a inovação tecnológica, Revista TransInformação, Campinas, v. 13, n. 2, p. 93-110, jul./dez. 2001.

FREEMAN, C. The learning economy and international inequality in the globalizing learning economy. Londres: London Pinter, c1992, p. 147-162

GALBRAITH, J. K. O novo Estado Industrial. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988. Coleção Os Economistas.

IANNI, O. Teorias da globalização. 11. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, p. 272

LASTRES, H. M. M.; ALBAGLI, S. Chaves para o terceiro milênio na era do conhecimento. In: LASTRES, H. M. M. Informação e globalização na Era do Conhecimento. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999, p. 7-26.

LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E. Novas políticas na Era do Conhecimento: o foco em arranjos produtivos e inovativos locais, Revista Parcerias Estratégicas, Brasília, n. 17, set. 2003.

LASTRES, H. M. M.; FERRAZ, J. C. Economia da informação, do conhecimento e do aprendizado. In: LASTRES, H. M. M.; Informação e Globalização na Era do Conhecimento. Rio de Janeiro: Campus. 1999. p. 27-57.

LE COADIC, Y. F. O objeto a informação. In: LE COADIC, Y. F. A ciência da Informação. Brasília: Briquet de Lemos, 1996. p.4-13.

LEMOS, C. Inovação na Era do Conhecimento. In: LASTRES, H. M. M.; ALBAGLI, S. Informação e globalização na Era do Conhecimento, 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999, p. 122-144

LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 2. ed. São Paulo: Loyola, 1999. 212p.

LUNDVALL, B. A. Innovation policy in the globalizing learning economy. In: ARCHIBUGI, D.; LUNDVALL, B. A. The globalizing learning economy. London Pinter, c1992, p. 273-291

MARQUES, I. C. O Brasil e a abertura dos mercados: o trabalho em questão, 2. ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2002. p.103.

MATTOS, F. Sociedade pós-industrial e sociedade informacional: apontamentos de uma revisão bibliográfica, Revista de Economia Política de las Tecnologias de la Información y Comunicación, v. 7, n. 1, ene./abr. 2005.

MORAIS, R. Filosofia da ciência e da tecnologia, 6. ed. Campinas: Papirus, 1997, p. 45.

NYHOLM, J. et al. Innovation policy in the knowledge-based economy – can theory guide policy making? In: ARCHIBUGI, D.; LUNDVALL, B. A. The globalizing learning economy. Londres: London Pinter, 1992c, p. 253-272.

SCHUMPETER, J. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e ciclo econômico, 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988. (Coleção Os Economistas).

SFEZ, L. Informação, saber e comunicação. Informare, Cadernos do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 5-13, jan./jun. 1996.

TORRICO, E. R. Designaciones sobre la sociedad tecnologizada: las visiones predominantes y su crítica, Revista de Economia Política de las Tecnologias de la Información y Comunicación, v.6, n. 1, ene./abr. 2004.

ZACKIEWICZ, M. Coordenação e organização da inovação: perspectivas do estudo do futuro e da avaliação em ciência e tecnologia, Revista Parcerias Estratégicas, Brasília, n. 17, p. 193-214, set/2003.

Downloads

Publicado

2008-11-14

Como Citar

BERTON, M. A. M. de A.; MATTOS, F. Geração e aplicação do conhecimento para a inovação: visões sobre a mudança do paradigma de produção. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 49-68, 2008. DOI: 10.20396/etd.v9i1.738. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/738. Acesso em: 31 out. 2020.