Sobre professores, colaboração e tecnologias: reflexões sobre os processos colaborativos e o uso da tecnologia na educação

Autores

  • Daniela Karine Ramos Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v9i1.753

Palavras-chave:

Colaboração. Tecnologia. Formação de professores.

Resumo

A colaboração é uma ação social, na qual pessoas compartilham objetivos e aprendem juntas, visando superar desafios e construir conhecimentos. Nesta ação, destacamos o suporte das tecnologias da informação e da comunicação para o desenvolvimento deste tipo de atividade, independentemente de tempo e espaço, oferecendo vantagens para organização, compartilhamento, registro de informações e oferta de ferramentas para a comunicação e construção de textos coletivos. A partir destes pontos, investigamos o uso de tecnologias consideradas colaborativas em ambientes escolares. Neste trabalho, analisamos as relações e as compreensões dos professores sobre a colaboração e o uso de tecnologias na educação. A partir da pesquisa realizada numa escola pública de Ensino Fundamental de Florianópolis, em Santa Catarina, abrangendo a proposta de atividades com aos alunos e a coleta de dados, apresentamos os resultados relacionados à compreensão e ao uso da colaboração como estratégia pedagógica e da tecnologia, principalmente a Internet. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Karine Ramos, Universidade Federal de Santa Catarina

Psicóloga, Pedagoga, Mestre em Educação e Doutorando em Educação no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, Professora do Departamento de Psicologia e Assessora Pedagógica do Ensino Superior na Universidade Regional de Blumenau e professora do curso de Psicologia no Instituto Blumenauense de Ensino Superior (IBES).

Referências

ANDRADE, A. F.; BEILER, A. Análise de ferramentas computacionais colaborativas visando aprendizagem a distância. In: TALLER INTERNACIONAL DE SOFTWARE EDUCATIVO, 1999, Santiago [Proceedings...] Santiago, 1999.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface, São Paulo, v.2, n.2, p. 139-154, 1998. Disponível em: http://www.interface.org.br/revista2/artigo3.pdf . Acesso em: 10 mar. 2004.

BRNA, P. Modelos de colaboração. Revista Brasileira de Informática na Educação. Florianópolis, n. 3, p. 9-15, setembro, 1998.

CAMPOS, F. C. A.; SANTORO, F. M.; BORGES, Marcos R. S.; SANTOS, N. Cooperação e aprendizagem on-line. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

DILLENBOURG, P.; BAKER, M.; BLAYE, A.; O'MALLEY, C. The evolution of research on collaborative learning. In: SPADA, E.; REIMAN, P. Learning in humans and machine: Towards an interdisciplinary learning science. Oxford: Elsevier, 1996, p. 189-211.

FERREIRA, S. L. Um estudo sobre a interatividade nos ambientes virtuais da Internet e sua relação com a educação: o cada da Alltv. 2004. 158f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

GARNIER, C.; BEDNARZ, N.; ULANOVSKAYA, I. Interações sociais e construção de um sistema de escrita dos números no ensino fundamental. In: GARNIER, C.; BEDNARZ, N. et al. Após Vygotsky e Piaget: perspectivas social e construtivista escola russa e ocidental. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 1996.

GOUVEIA, L. M. B. Ambientes virtuais colaborativos: a procura de formas alternativas de interacção. Revista politécnica, Porto, n. 2, p. 1-12, dezembro, 2000. Disponível em: http://www2.ufp.pt/~lmbg/com/pdfs/rev_ispgaya20000.PDF. Acesso em: 13 de mar. 2004.

JOLLIVET, P. NTIC e trabalho cooperativo reticular: do conhecimento socialmente incorporado à inovação sociotécnica. In: COCCO, G.; GALVÃO, A. P.; SILVA, G. (Org.). Capitalismo cognitivo: trabalho, redes e inovação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

KENSKI, V. M. Processo de interação e comunicação no ensino mediado pelas tecnologias. In: ROSA, Dalva E. G.; SOUZA, Vanilton C. de; FELDMAN, Daniel. Didáticas e práticas de ensino: interfaces com diferentes saberes e lugares formativos. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

LABORDE, C. Duas utilizações complementares da dimensão social nas situações de aprendizado da Matemática. In: GARNIER, C.; BEDNARZ, N. et al. Após Vygotsky e Piaget: perspectivas social e construtivista escola russa e ocidental. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

LIMA, L. O. Mutações em educação segundo McLuhan. 15 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1982.

LUCENA, M. Teoria histórico-sócio-cultural de Vygotsky e sua aplicação na área de tecnologia educacional. Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, v. 26, p. 49-53, abr/mai/jun. ABT, 1998.

MAIA, C. (Org.). ead.br: educação a distância no Brasil na era da Internet. São Paulo: Anhembi Morumbi, 2000.

MASON, R. Models of Online Courses [online]. ALN Magazine, v. 2, n. 2, outubro, 1998. Disponível em: http://www.aln.org/alnweb/magazine/vol2_issue2/Masonfinal.htm. Acesso em: 7 jan. 2004.

PALLOFF, R. M.; PRATT, K. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para salas de aula on-line. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PIVA JUNIOR., D.; AMORIN, J. A. et al. Auxiliar: uma aplicação de inteligência artificial que possibilita a potencialização da aprendizagem em Ambientes Colaborativos de Ensino. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 12, 2002. Porto Alegre. [Anais...] Porto Alegre: UNISINOS, 2002, p. 86-93.

ROSATELLI, M. C. et al. Ambientes de apoio à aprendizagem cooperativa. In: RAMOS, E. M. F. (Org.). Informática na Escola: um olhar multidisciplinar. Fortaleza: Editora UFC, 2003.

SANTORO, F. M.; BORGES, M. R. S.; SANTOS, N. Um modelo de cooperação para aprendizagem baseada em projetos com foco no processo cooperativo e workflow. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 12, 2002. Porto Alegre. [Anais...] Porto Alegre: UNISINOS, 2002, p. 358-367.

SILVEIRA, S. A. Exclusão digital: a miséria na era da informação. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001. (Coleção Brasil Urgente).

TEIXEIRA, M. Aprendizagem baseada em problemas. Handbook, 2002. Disponível em: http://www.manuelteixeira.net/articles/documentos/texto_abp_final.pdf. Acesso em: 20 de set. 2004.

ZANELLA, A. V. Vygotsky: contexto, contribuições à psicologia e o conceito de zona de desenvolvimento proximal. Itajaí: UNIVALI, 2001. ANDRADE, A. F.; BEILER, A. Análise de ferramentas computacionais colaborativas visando aprendizagem a distância. In: TALLER INTERNACIONAL DE SOFTWARE EDUCATIVO, 1999, Santiago [Proceedings...] Santiago, 1999.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface, São Paulo, v.2, n.2, p. 139-154, 1998. Disponível em: http://www.interface.org.br/revista2/artigo3.pdf . Acesso em: 10 mar. 2004.

BRNA, P. Modelos de colaboração. Revista Brasileira de Informática na Educação. Florianópolis, n. 3, p. 9-15, setembro, 1998.

CAMPOS, F. C. A.; SANTORO, F. M.; BORGES, Marcos R. S.; SANTOS, N. Cooperação e aprendizagem on-line. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

DILLENBOURG, P.; BAKER, M.; BLAYE, A.; O'MALLEY, C. The evolution of research on collaborative learning. In: SPADA, E.; REIMAN, P. Learning in humans and machine: Towards an interdisciplinary learning science. Oxford: Elsevier, 1996, p. 189-211.

FERREIRA, S. L. Um estudo sobre a interatividade nos ambientes virtuais da Internet e sua relação com a educação: o cada da Alltv. 2004. 158f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

GARNIER, C.; BEDNARZ, N.; ULANOVSKAYA, I. Interações sociais e construção de um sistema de escrita dos números no ensino fundamental. In: GARNIER, C.; BEDNARZ, N. et al. Após Vygotsky e Piaget: perspectivas social e construtivista escola russa e ocidental. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 1996.

GOUVEIA, L. M. B. Ambientes virtuais colaborativos: a procura de formas alternativas de interacção. Revista politécnica, Porto, n. 2, p. 1-12, dezembro, 2000. Disponível em: http://www2.ufp.pt/~lmbg/com/pdfs/rev_ispgaya20000.PDF. Acesso em: 13 de mar. 2004.

JOLLIVET, P. NTIC e trabalho cooperativo reticular: do conhecimento socialmente incorporado à inovação sociotécnica. In: COCCO, G.; GALVÃO, A. P.; SILVA, G. (Org.). Capitalismo cognitivo: trabalho, redes e inovação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

KENSKI, V. M. Processo de interação e comunicação no ensino mediado pelas tecnologias. In: ROSA, Dalva E. G.; SOUZA, Vanilton C. de; FELDMAN, Daniel. Didáticas e práticas de ensino: interfaces com diferentes saberes e lugares formativos. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

LABORDE, C. Duas utilizações complementares da dimensão social nas situações de aprendizado da Matemática. In: GARNIER, C.; BEDNARZ, N. et al. Após Vygotsky e Piaget: perspectivas social e construtivista escola russa e ocidental. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

LIMA, L. O. Mutações em educação segundo McLuhan. 15 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1982.

LUCENA, M. Teoria histórico-sócio-cultural de Vygotsky e sua aplicação na área de tecnologia educacional. Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, v. 26, p. 49-53, abr/mai/jun. ABT, 1998.

MAIA, C. (Org.). ead.br: educação a distância no Brasil na era da Internet. São Paulo: Anhembi Morumbi, 2000.

MASON, R. Models of Online Courses [online]. ALN Magazine, v. 2, n. 2, outubro, 1998. Disponível em: http://www.aln.org/alnweb/magazine/vol2_issue2/Masonfinal.htm. Acesso em: 7 jan. 2004.

PALLOFF, R. M.; PRATT, K. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para salas de aula on-line. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PIVA JUNIOR., D.; AMORIN, J. A. et al. Auxiliar: uma aplicação de inteligência artificial que possibilita a potencialização da aprendizagem em Ambientes Colaborativos de Ensino. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 12, 2002. Porto Alegre. [Anais...] Porto Alegre: UNISINOS, 2002, p. 86-93.

ROSATELLI, M. C. et al. Ambientes de apoio à aprendizagem cooperativa. In: RAMOS, E. M. F. (Org.). Informática na Escola: um olhar multidisciplinar. Fortaleza: Editora UFC, 2003.

SANTORO, F. M.; BORGES, M. R. S.; SANTOS, N. Um modelo de cooperação para aprendizagem baseada em projetos com foco no processo cooperativo e workflow. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 12, 2002. Porto Alegre. [Anais...] Porto Alegre: UNISINOS, 2002, p. 358-367.

SILVEIRA, S. A. Exclusão digital: a miséria na era da informação. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001. (Coleção Brasil Urgente).

TEIXEIRA, M. Aprendizagem baseada em problemas. Handbook, 2002. Disponível em: http://www.manuelteixeira.net/articles/documentos/texto_abp_final.pdf. Acesso em: 20 de set. 2004.

ZANELLA, A. V. Vygotsky: contexto, contribuições à psicologia e o conceito de zona de desenvolvimento proximal. Itajaí: UNIVALI, 2001.

Downloads

Publicado

2008-11-14

Como Citar

RAMOS, D. K. Sobre professores, colaboração e tecnologias: reflexões sobre os processos colaborativos e o uso da tecnologia na educação. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 375-392, 2008. DOI: 10.20396/etd.v9i1.753. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/753. Acesso em: 31 out. 2020.