A construção de histórias por alunos surdos: aprendizagem coletiva

Autores

  • Ivani Rodrigues Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Rosana Cheffer Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v7i2.793

Palavras-chave:

Surdez. Bilingüismo. Letramento.

Resumo

As pessoas surdas têm sido consideradas, recentemente, como parte de grupos lingüísticos bilíngües minoritários e o processo da aquisição do português, por esses grupos de estudantes, tem sido objeto de muita reflexão. Este estudo apresenta o trabalho realizado pelo Programa Escolaridade e Surdez do CEPRE/Unicamp, e tem como objetivo discutir o processo de construção de escrita coletiva de um livro por um grupo de adolescentes surdos, a partir do próprio interesse do grupo de fazerem uma história em conjunto. O trabalho com o grupo ocorreu em três estágios: no primeiro, ocorreu a discussão e escolha do tema; no segundo, iniciou-se a redação conjunta da história e os tópicos relativos a cada capítulo, para que os estudantes tivessem uma visão global do texto; e, no terceiro estágio, ocorreu a completa elaboração do livro incluindo o seu acabamento estrutural. No final do processo, foi verificado um aumento considerável do interesse dos alunos pela escrita, e os estudantes puderam vivenciar, de um modo significativo, os usos das convenções da linguagem e dos sentidos das palavras quando em diferentes contextos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivani Rodrigues Silva, Universidade Estadual de Campinas

Docente do Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação “Prof. Dr. Gabriel Porto” CEPRE/FCM/Unicamp Doutora em Lingüística Aplicada pelo DLA/IEL da Universidade Estadual de Campinas Mestre em Lingüística pelo Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas.

Rosana Cheffer, Universidade Estadual de Campinas

Especialista em Deficiência Visual e Surdez pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação “Prof. Dr. Gabriel Porto” CEPRE/FCM/Unicamp Pedagoga pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

GERALDI, W. Portos de Passagem. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

PERLIN, G. Identidades Surdas. In: SKLIAR, C. (org.) A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação. 1998. p. 51-74.

SALEK-FIAD, R. (Re) escrita e estilo. In: ABAURRE, M.B.A.; FIAD, R.S.; MAYRINK, M.L.S. (org.) Cenas de aquisição da escrita. O sujeito e o trabalho com o texto. Campinas, São Paulo: ABL/Mercado de Letras, 1997.

SILVA, I.R. O uso de algumas categorias gramaticais na construção de narrativas pelo sujeito surdo. 1998, 169 f. Dissertação ( Mestrado) Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1998.

SILVA, I.R. Considerações sobre a construção da narrativa pelo aluno surdo. In: SILVA, I. R.; KAUCHAKJE; S.; GESUELI, Z. M. (orgs.). Cidadania Surdez e Linguagem. Desafios e Realidades. Ed. Plexus. 2003.

SILVA, I.R. As representações do surdo na escola e na família: entre a (in) visibilização da diferença e da deficiência. Campinas, 2005, 280 f. Tese (Doutorado) Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2005.

KARNOPP, L.B. In: Anais do 15 COLE, 2005, Campinas.Traduzir sinais: reflexões sobre a tradução de textos surdos. V SEMINÁRIO EDUCAÇÃO, POLÍTICAS PUBLICAS E PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Campinas, 2005.

Downloads

Publicado

2008-11-13

Como Citar

SILVA, I. R.; CHEFFER, R. A construção de histórias por alunos surdos: aprendizagem coletiva. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 76-87, 2008. DOI: 10.20396/etd.v7i2.793. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/793. Acesso em: 31 out. 2020.