Banner Portal
Montagem do pensamento e da escrita acadêmica em educação: conversações entre Deleuze e Didi-Huberman
PDF

Palavras-chave

Montagem. Pensamento. Escrita acadêmica. Educação.

Como Citar

RODRIGUES, Elisandro; SCHULER, Betina. Montagem do pensamento e da escrita acadêmica em educação: conversações entre Deleuze e Didi-Huberman. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 21, n. 1, p. 23–46, 2019. DOI: 10.20396/etd.v21i1.8650463. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8650463. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

Este artigo toma o conceito de montagem operado na filosofia e nas artes por Deleuze e Didi-Huberman, realizando certa extração para compor uma problematização da montagem do pensamento e da escrita em educação. Toma-se, assim, a montagem como procedimento filosófico, gesto político e criação artística. Quando escrevemos em educação, sobre educação, para educadores, produzimos imagens de pensamento por meio de tais produções. Interessa, então, apreender os funcionamentos desse conceito para operá-lo nos deslocamentos possíveis do que se pensa e se escreve em educação, em especial, na escrita acadêmica. Entendemos que tomar a escrita como montagem do pensamento poderia operar como certa problematização do pensamento dogmático em educação.

https://doi.org/10.20396/etd.v21i1.8650463
PDF

Referências

ALMEIDA, Gabriela M. R. de. Ensaio, montagem e arqueologia crítica das imagens: um olhar à serie Historia(s) do Cinema, de Jean-Luc Godard. 2015. Tese (Doutorado em Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015

ALMEIDA, Gabriela M. R. de. Por uma arqueologia crítica das imagens em Aby Waburg, Andre Malraux e Jean-Luc Godard. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, São Paulo, v. 43, n. 46, p. 29-46, dez., 2016.

AQUINO, Julio G. A escrita como modo de vida: conexões e desdobramentos educacionais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 3, p. 641-656, set./dez., 2011.

AQUINO, Julio G. Diálogos em delay: especulações em torno de uma temporalidade outra do encontro pedagógico. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, p. 311-326, 2017.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte/São Paulo: UFMG/Editora Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

CAMPOS, Daniela Queiroz. Um saber montado: Georges Didi-Huberman a montar imagem e tempo. Aniki: Revista Portuguesa da Imagem em Movimento, América do Norte, p. 269-288, maio 2017. Disponível em: http://aim.org.pt/ojs/index.php/revista/article/view/299 . Acesso em: 01 ago. 2017.

CORAZZA, Sandra M. Artistagens. Filosofia da diferença e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

DELEUZE, Gilles. Cinema 1 - A imagem-movimento. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DELEUZE, Gilles. A ilha deserta: e outros textos. São Paulo: Iluminuras, 2006.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. 2. ed. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, Gilles. Cinema 2 - A imagem-Tempo. São Paulo: Brasiliense, 2007.

DELEUZE, Gilles. Cine I - Bergson y las Imágenes. Buenos Aires: Cactus, 2009.

DIDI-HUBERMAM, G. S’inquiéter devant chaque image. [11 de outubro de 2006]. Paris: Vacarme. N. 37, 2006. Entrevista com Georges Didi-Huberman realizada por Mathieu Potte-Bonneville e Pierre Zaoui. Disponível em: http://www.vacarme.org/article1210.html . Acesso em 15 de março de 2016. Traduzida para o português por Vinicíus Nicastro Honesko Disponível em: hhttp://flanagens.blogspot.com.br/2011/05/inquietar-se-diante-de-cada-imagem.html . Acesso em 15 de março de 2016.

DIDI-HUBERMAM, G. Un conocimiento por el montaje. Entrevista a Pedro G. Romero. Revista Minerva, Madrid, n. 05. 2007. Disponível em: http://www.circulobellasartes.com/revistaminerva/articulo.php?id=141 . Acesso em 08 de março de 2015.

DIDI-HUBERMAM, G. Quand les images prennent position. L'oeil de L'Histoire, 1. Paris: Minuit, 2009.

DIDI-HUBERMAM, G. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Ed. 34, 2010.

DIDI-HUBERMAM, G. Atlas: como levar o mundo nas costas?. Trad. de Alexandre Nodari. Sopro, Panfleto Político Cultural, n. 41, dezembro de 2010a. Disponível em http://www.culturaebarbarie.org/sopro/n41.html . Acesso em: 19 de outubro de 2016.

DIDI-HUBERMAM, G. A sobrevivência dos vaga-lumes. Belo Horizonte: Ed.UFMG, 2011.

DIDI-HUBERMAM, G. Imagens apesar de tudo. Lisboa: KKYM, 2012a.

DIDI-HUBERMAM, G. Os brancos tormentos do testemunho. In: Palestra Culturgest, Lisboa, 2012b. Disponível em: https://vimeo.com/43378599. Acesso em: 16 de março de 2016.

DIDI-HUBERMAM, G. Quando as imagens tocam o real. PÓS: Revista do Programa do Pós-Graduação em Artes da escola de Belas Artes da UFMG, vol. 2, n. 4, nov. 2012c, p. 204-219. Disponivel em: http://www.eba.ufmg.br/revistapos/index.php/pos/article/view/60 Acesso em: 22 de junho de 2015.

DIDI-HUBERMAM, G. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013a.

DIDI-HUBERMAM, G. Atlas ou a Gaia ciência inquieta. Lisboa: KKYM, 2013b.

DIDI-HUBERMAM, G. Cascas. São Paulo: Revista Serrote, 2013c.

DIDI-HUBERMAM, G. Cuando las imágenes tomam posición: el ojo de la história, 1. Espanha: A. Machado Libros, 2013d.

DIDI-HUBERMAM, G. Atlas do impossível - Waburg, Borges, Deleuze, Foucault. In: ARTIÈRES, P.; BERT, Jean-F.; GROS, F.; REVEL, J. (Org.). Michel Foucault. Tradução de Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

DIDI-HUBERMAM, G. A semelhança informe: ou o gaio saber visual segundo Georges Bataille. Rio de Janeiro: Contraponto, 2015a.

DIDI-HUBERMAM, G. Diante do tempo: história da arte e anacronismo das imagens. Trad. Vera Casa Nova, Márcia Arbex. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2015b.

DIDI-HUBERMAM, G. Remontar, Remontagem (do Tempo). Cadernos de Leituras, n. 47. Belo Horizonte: Chão da Feira, 2016. Disponível em: http://chaodafeira.com/cadernos/remontar-remontagem-do-tempo/ . Acesso em: 17 de fevereiro de 2017.

DIDI-HUBERMAM, G. Quando as imagens tomam posição, os olhos da história, I. Belo Horizonte: EDitora UFMG, 2017.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Trad. de Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade e política. Organização de Manoel B. da Motta. Trad. de Elisa Monteiro e Inês D. Barbosa. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito: curso dado no Collège de France (1981-1982). Trad. de Marcio Alves da Fonseca, Salma Tannus Muchail. 3.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

GALLO, Silvio Donizetti de Oliveira. La production des hétérotopies à l´école: souci de soi et subjetctivation. Le Télémaque, Dijon, v. 47, p. 87-95, 2015.

GALLO, Silvio Donizetti de Oliveira Algumas notas em torno da pergunta: o que pode a imagem?. Revista Digital do LAV, Santa Maria, v. 9, p. 16-25, 2016.

HONESKO, Vinicius. Mãos ao alto: olhos armados. Sopro: panfleto político-cultural, n. 56, p. 2-10, 2011.

JACQUES, Paola Barenstein. Montagem Urbana: Uma forma de conhecimento das cidades e do Urbanismo. In: JAQUES, Paola Berenstein; BRITTO, Fabiana Dultra (Org). Experiências metodológicas para compreensão da complexidade da cidade contemporânea. Salvador: EDUFBA, 2015. p. 47-94.

KAFKA, Franz. A toca. Tradução de Francisco Agarez. Lisboa: LXXL Edições, 2009.

KOHAN, Walter Omar. Um exercício que faz escola: notas para pensar a investigação educacional a partir de uma experiência de formação no Rio de Janeiro. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 20, p. 159-175, 2015.

KOHAN, Walter Omar. Inventamos ou erramos: um princípio para pensar a dimensão filosófica da educação?. Itinerários de Filosofia da Educação, Porto, v. 13, p. 326-338, 2016.

LARROSA, Jorge. O ensaio e a escrita acadêmica. In: CALLAI, Cristiana; RIBETTO, Anelice (Org.). Uma outra escrita acadêmica: ensaios, experiências e invenções. Rio de Janeiro: Lamparina, 2016.

LÓPEZ, Maximiliano V. Acontecimento e experiência no trabalho filosófico com crianças. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MOSÉ, Viviane. Nietzsche e a grande política da linguagem. 5.ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2016.

NIETZSCHE, Friedrich. Humano, demasiado humano. In: NIETZSCHE, Friedrich. Obras Incompletas. 3.ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da moral. Uma polêmica. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

Ó, Jorge Ramos; AQUINO, Julio Groppa. Em direção a uma nova ética do existir: Foucault e a experiência da escrita. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 28, n. 55, 2014.

PUGLIESE, Vera. O conceito de montagem na obra de Georges Didi-Huberman. In: Coletivo do Mestrado em Artes do Instituto de Artes/UnB, 2005, Brasília-DF. Anais do II Coletivo do Mestrado em Artes do Instituto de Artes/UnB. Brasília - DF: PPG-Arte/VIS/IdA/UnB, 2005. p. 37-46.

SKLIAR, Carlos. Desobedecer a linguagem. Educar. Trad. de G. Lessa. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

VEIGA-NETO, Alfredo. Anotações sobre as relações entre teoria e prática. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 20, p. 113-140, 2015.

VEIGA-NETO, Alfredo; LOPES, Maura Corcini. Education and Pedagogy: a Foucauldian perspective. Educational Philosophy and Theory, v. 48, p. 1-8, 2016.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.