Montagem do pensamento e da escrita acadêmica em educação: conversações entre Deleuze e Didi-Huberman

Palavras-chave: Montagem. Pensamento. Escrita acadêmica. Educação.

Resumo

Este artigo toma o conceito de montagem operado na filosofia e nas artes por Deleuze e Didi-Huberman, realizando certa extração para compor uma problematização da montagem do pensamento e da escrita em educação. Toma-se, assim, a montagem como procedimento filosófico, gesto político e criação artística. Quando escrevemos em educação, sobre educação, para educadores, produzimos imagens de pensamento por meio de tais produções. Interessa, então, apreender os funcionamentos desse conceito para operá-lo nos deslocamentos possíveis do que se pensa e se escreve em educação, em especial, na escrita acadêmica. Entendemos que tomar a escrita como montagem do pensamento poderia operar como certa problematização do pensamento dogmático em educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisandro Rodrigues, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutorando em Educação - Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) - São Leopoldo, RS - Brasil Especialista em Tecnologias da Informação e da Comunicação Aplicadas à Educação; Pedagogo - Hospital Nossa Senhora da Conceição, Gerência de Ensino e Pesquisa - GEP - Porto Alegre, RS - Brasil 

Betina Schuler, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutorado em Educação - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) - Partenon, Porto Alegre, RS -  Brasil. Professor Assistente - Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) - São Leopoldo, RS - Brasil

Referências

ALMEIDA, Gabriela M. R. de. Ensaio, montagem e arqueologia crítica das imagens: um olhar à serie Historia(s) do Cinema, de Jean-Luc Godard. 2015. Tese (Doutorado em Comunicação, Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015

ALMEIDA, Gabriela M. R. de. Por uma arqueologia crítica das imagens em Aby Waburg, Andre Malraux e Jean-Luc Godard. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, São Paulo, v. 43, n. 46, p. 29-46, dez., 2016.

AQUINO, Julio G. A escrita como modo de vida: conexões e desdobramentos educacionais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 3, p. 641-656, set./dez., 2011.

AQUINO, Julio G. Diálogos em delay: especulações em torno de uma temporalidade outra do encontro pedagógico. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, p. 311-326, 2017.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte/São Paulo: UFMG/Editora Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

CAMPOS, Daniela Queiroz. Um saber montado: Georges Didi-Huberman a montar imagem e tempo. Aniki: Revista Portuguesa da Imagem em Movimento, América do Norte, p. 269-288, maio 2017. Disponível em: http://aim.org.pt/ojs/index.php/revista/article/view/299 . Acesso em: 01 ago. 2017.

CORAZZA, Sandra M. Artistagens. Filosofia da diferença e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

DELEUZE, Gilles. Cinema 1 - A imagem-movimento. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DELEUZE, Gilles. A ilha deserta: e outros textos. São Paulo: Iluminuras, 2006.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. 2. ed. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, Gilles. Cinema 2 - A imagem-Tempo. São Paulo: Brasiliense, 2007.

DELEUZE, Gilles. Cine I - Bergson y las Imágenes. Buenos Aires: Cactus, 2009.

DIDI-HUBERMAM, G. S’inquiéter devant chaque image. [11 de outubro de 2006]. Paris: Vacarme. N. 37, 2006. Entrevista com Georges Didi-Huberman realizada por Mathieu Potte-Bonneville e Pierre Zaoui. Disponível em: http://www.vacarme.org/article1210.html . Acesso em 15 de março de 2016. Traduzida para o português por Vinicíus Nicastro Honesko Disponível em: hhttp://flanagens.blogspot.com.br/2011/05/inquietar-se-diante-de-cada-imagem.html . Acesso em 15 de março de 2016.

DIDI-HUBERMAM, G. Un conocimiento por el montaje. Entrevista a Pedro G. Romero. Revista Minerva, Madrid, n. 05. 2007. Disponível em: http://www.circulobellasartes.com/revistaminerva/articulo.php?id=141 . Acesso em 08 de março de 2015.

DIDI-HUBERMAM, G. Quand les images prennent position. L'oeil de L'Histoire, 1. Paris: Minuit, 2009.

DIDI-HUBERMAM, G. O que vemos, o que nos olha. São Paulo: Ed. 34, 2010.

DIDI-HUBERMAM, G. Atlas: como levar o mundo nas costas?. Trad. de Alexandre Nodari. Sopro, Panfleto Político Cultural, n. 41, dezembro de 2010a. Disponível em http://www.culturaebarbarie.org/sopro/n41.html . Acesso em: 19 de outubro de 2016.

DIDI-HUBERMAM, G. A sobrevivência dos vaga-lumes. Belo Horizonte: Ed.UFMG, 2011.

DIDI-HUBERMAM, G. Imagens apesar de tudo. Lisboa: KKYM, 2012a.

DIDI-HUBERMAM, G. Os brancos tormentos do testemunho. In: Palestra Culturgest, Lisboa, 2012b. Disponível em: https://vimeo.com/43378599. Acesso em: 16 de março de 2016.

DIDI-HUBERMAM, G. Quando as imagens tocam o real. PÓS: Revista do Programa do Pós-Graduação em Artes da escola de Belas Artes da UFMG, vol. 2, n. 4, nov. 2012c, p. 204-219. Disponivel em: http://www.eba.ufmg.br/revistapos/index.php/pos/article/view/60 Acesso em: 22 de junho de 2015.

DIDI-HUBERMAM, G. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013a.

DIDI-HUBERMAM, G. Atlas ou a Gaia ciência inquieta. Lisboa: KKYM, 2013b.

DIDI-HUBERMAM, G. Cascas. São Paulo: Revista Serrote, 2013c.

DIDI-HUBERMAM, G. Cuando las imágenes tomam posición: el ojo de la história, 1. Espanha: A. Machado Libros, 2013d.

DIDI-HUBERMAM, G. Atlas do impossível - Waburg, Borges, Deleuze, Foucault. In: ARTIÈRES, P.; BERT, Jean-F.; GROS, F.; REVEL, J. (Org.). Michel Foucault. Tradução de Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

DIDI-HUBERMAM, G. A semelhança informe: ou o gaio saber visual segundo Georges Bataille. Rio de Janeiro: Contraponto, 2015a.

DIDI-HUBERMAM, G. Diante do tempo: história da arte e anacronismo das imagens. Trad. Vera Casa Nova, Márcia Arbex. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2015b.

DIDI-HUBERMAM, G. Remontar, Remontagem (do Tempo). Cadernos de Leituras, n. 47. Belo Horizonte: Chão da Feira, 2016. Disponível em: http://chaodafeira.com/cadernos/remontar-remontagem-do-tempo/ . Acesso em: 17 de fevereiro de 2017.

DIDI-HUBERMAM, G. Quando as imagens tomam posição, os olhos da história, I. Belo Horizonte: EDitora UFMG, 2017.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Trad. de Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: FOUCAULT, Michel. Ética, sexualidade e política. Organização de Manoel B. da Motta. Trad. de Elisa Monteiro e Inês D. Barbosa. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito: curso dado no Collège de France (1981-1982). Trad. de Marcio Alves da Fonseca, Salma Tannus Muchail. 3.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

GALLO, Silvio Donizetti de Oliveira. La production des hétérotopies à l´école: souci de soi et subjetctivation. Le Télémaque, Dijon, v. 47, p. 87-95, 2015.

GALLO, Silvio Donizetti de Oliveira Algumas notas em torno da pergunta: o que pode a imagem?. Revista Digital do LAV, Santa Maria, v. 9, p. 16-25, 2016.

HONESKO, Vinicius. Mãos ao alto: olhos armados. Sopro: panfleto político-cultural, n. 56, p. 2-10, 2011.

JACQUES, Paola Barenstein. Montagem Urbana: Uma forma de conhecimento das cidades e do Urbanismo. In: JAQUES, Paola Berenstein; BRITTO, Fabiana Dultra (Org). Experiências metodológicas para compreensão da complexidade da cidade contemporânea. Salvador: EDUFBA, 2015. p. 47-94.

KAFKA, Franz. A toca. Tradução de Francisco Agarez. Lisboa: LXXL Edições, 2009.

KOHAN, Walter Omar. Um exercício que faz escola: notas para pensar a investigação educacional a partir de uma experiência de formação no Rio de Janeiro. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 20, p. 159-175, 2015.

KOHAN, Walter Omar. Inventamos ou erramos: um princípio para pensar a dimensão filosófica da educação?. Itinerários de Filosofia da Educação, Porto, v. 13, p. 326-338, 2016.

LARROSA, Jorge. O ensaio e a escrita acadêmica. In: CALLAI, Cristiana; RIBETTO, Anelice (Org.). Uma outra escrita acadêmica: ensaios, experiências e invenções. Rio de Janeiro: Lamparina, 2016.

LÓPEZ, Maximiliano V. Acontecimento e experiência no trabalho filosófico com crianças. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MOSÉ, Viviane. Nietzsche e a grande política da linguagem. 5.ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2016.

NIETZSCHE, Friedrich. Humano, demasiado humano. In: NIETZSCHE, Friedrich. Obras Incompletas. 3.ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da moral. Uma polêmica. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

Ó, Jorge Ramos; AQUINO, Julio Groppa. Em direção a uma nova ética do existir: Foucault e a experiência da escrita. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 28, n. 55, 2014.

PUGLIESE, Vera. O conceito de montagem na obra de Georges Didi-Huberman. In: Coletivo do Mestrado em Artes do Instituto de Artes/UnB, 2005, Brasília-DF. Anais do II Coletivo do Mestrado em Artes do Instituto de Artes/UnB. Brasília - DF: PPG-Arte/VIS/IdA/UnB, 2005. p. 37-46.

SKLIAR, Carlos. Desobedecer a linguagem. Educar. Trad. de G. Lessa. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

VEIGA-NETO, Alfredo. Anotações sobre as relações entre teoria e prática. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 20, p. 113-140, 2015.

VEIGA-NETO, Alfredo; LOPES, Maura Corcini. Education and Pedagogy: a Foucauldian perspective. Educational Philosophy and Theory, v. 48, p. 1-8, 2016.

Publicado
2019-01-08
Como Citar
Rodrigues, E., & Schuler, B. (2019). Montagem do pensamento e da escrita acadêmica em educação: conversações entre Deleuze e Didi-Huberman. ETD - Educação Temática Digital, 21(1), 23-46. https://doi.org/10.20396/etd.v21i1.8650463