O desempenho em tecnologias digitais para aprendizagem: um estudo com universitários

  • Wagner Roberto Dias Nascimento Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino
  • Ana Cristina Salviato-Silva Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino
  • Betânia Alves Veiga Dell’ Agli Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino / São João da Boa Vista/SP
Palavras-chave: Educação superior. Tecnologia educacional. Evasão escolar.

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a percepção de universitários sobre a influência de recursos computacionais e incentivo dos professores para sua aprendizagem. Participaram do estudo 308 alunos de um curso presencial em uma universidade pública brasileira. Foi utilizado um questionário online como instrumento de coleta, em que seus dados foram analisados com uma abordagem quantitativa. Identificou-se que a tecnologia digital de informação e comunicação (TDIC) é percebida como grande apoiadora nos estudos, porém há alta heterogeneidade de sua apropriação nos estudos e mais da metade indica que raramente ou nunca recebem incentivo dos professores para a utilizarem. A apropriação desse recurso pode ampliar o desempenho acadêmico e reduzir a evasão escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Roberto Dias Nascimento, Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino
Analista de Sistemas, Especialista em Gestão Estratégica de Tecnologia, Mestre em Educação, Ambiente e Sociedade pelo Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino
Ana Cristina Salviato-Silva, Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino

Graduada em Letras, Doutora e Mestre em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista – UNESP, Docente na Graduação e no Mestrado Interdisciplinar em Educação, Ambiente e Sociedade do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino

Betânia Alves Veiga Dell’ Agli, Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino / São João da Boa Vista/SP
Graduada em Psicologia, Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Coordenadora e Docente do Mestrado Interdisciplinar em Educação, Ambiente e Sociedade do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino

Referências

ANDRADE-DUVERNOY, Doriele; RÉGNIER, Jean-Claude. A educomunicação como princípio indissociável da extensão universitária, do protagonismo juvenil e da coesão social: o caso da rede coque vive. Poiésis, v. 5, n. especial, p. 149–164, 2012.

ARRUDA, Juliana S.; FILHO, José A. C.; SIQUEIRA, Liliane R.C. O uso de tecnologias digitais na facilitação da emergência de zonas de desenvolvimento proximal em sala de aula. In: V Congresso Brasileiro de Informática na Educação. 2016. Anais..., Uberlândia: CBIE, 2016. P. 771-780.

BARDAGI, Marucia; HUTZ, Claudio S. Evasão universitária e serviços de apoio ao estudante: uma breve revisão da literatura brasileira. Psicologia Revista. São Paulo, v. 14, n. 2, p. 279–301, 2014.

BÉVORT, Evelyne; BELLONI, M. Luiza. Mídia-educação: conceitos, história e perspectivas. Educação e sociedade. Campinas, v. 30, n. 109, p. 1081-1102, 2009.

BRASIL. Decreto nº 7234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES). Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 jul. 2010. Seção 1, p. 5, 2010.

BRASIL. Lei nº 12711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições de ensino técnico de nivel médio. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 30 ago. 2012. Seção 1, p. 1-3, 2012.

BRASIL. Lei nº 12965, de 23 de abril de 2014. Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 abr. 2014. Seção 1, p. 1, 2014.

CAZAN, Ana M.; COCORADA, Elena; MAICAN, Catalin I. Computer anxiety and attitudes towards the computer and the internet with Romanian high-school and university students. Computers in Human Behavior, v. 55, p. 258-267, 2016.

CARDOSO, A. O. C. Tecnologias digitais, currículo e interdisciplinaridade na escola: um link possível a partir da ação docente. Educação por escrito. Porto Alegre, v. 6, n. 2, p. 208-219, 2015.

CAVASSANI, Tiago B.; ANDRADE, Joana J. Você tem face?: perspectivas discentes e implicações do (não) uso do facebook no ensino superior. Educação Temática Digital. Campinas, v.18, n.1, p. 227-247, 2016.

CGI.BR. Educação e tecnologias no Brasil: um estudo de caso longitudinal sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação em 12 escolas públicas. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2016.

COCHRAN, Willian G. Sampling techniques. Wiley India Limited, 2007.

CONTE, Elaine; MARTINI, Rosa M. F. As Tecnologias na Educação: uma questão somente técnica? Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 40, n. 4, p. 1191–1207, 2015.

EQUIPE ESTATCAMP. Software Action, versão 3.2. São Carlos, SP: Estatcamp - Consultoria em estatística e qualidade, 2014.

FREEMAN, Alex; ADAMS BECKER, Samantha; HALL, C. 2015 NMC Technology Outlook for Brazilian Universities: A Horizon Project Regional Report. Austin, Texas: The New Media Consortium, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e terra, 1996.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas atuais da educação. São Paulo em Perspectiva. São Paulo, v. 14, n. 2, p. 03–11, 2000.

GILIOLI, Renato S. P. Evasão em Instituições Federais de ensino superior no Brasil: expansão da rede, Sisu e desafios. Estudo técnico. Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados, Brasília-DF: 2016. Disponível em: https://goo.gl/JFzUw8 . Acesso em: 15 nov. 2017.

GROS, Begona; GARCIA, Iolanda; ESCOFET, Anna. Beyond the Net Generation Debate: a comparison of digital learners in face-to-face and virtual universities. International Review of Research in Open and Distance Learning, v. 13, n. 4, p. 190–210, 2012.

INEP. Censo da educação superior 2013: resumo técnico. Brasília, 2015. Disponível em: https://goo.gl/awc9cA . Acesso em: 15 nov. 2017.

ISTE. National Educational Technology Standards (NETS): learning to use technology. Arlington, Estados Unidos, 1998. Disponível em: https://goo.gl/5BVktk . Acesso em: 15 nov. 2017.

JONES, Chris; RAMANAU, Ruslan; CROSS, Simon; HEALING, Graham. Net generation or digital natives: is there a distinct new generation entering university? Computers and Education, v. 54, n. 3, p. 722–732, 2010.

LAPPONI, Juan C. Estatística usando Excel. 4. Ed., Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

LEÃO, M. Izabel de A.; RODRIGUES, José M. A internet como ferramenta de apoio a educomunicação. Núcleo de comunicação e educação da USP.São Paulo, v. 1, p.1–17, 2015.

LEVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999.

LIBÂNEO, José C.; SANTOS, Akiko. Educação na era do conhecimento em rede e transdisciplinaridade. 2.ed. Campinas: Alinea, 2010.

MARCELA, Paola; DEL, Hermosa. Influencia de las tecnologías de información y comunicación (TIC) en el proceso enseñanza-aprendizaje: una mejora de las competencias digitales. Revista Científica General José María Córdova. Bogotá, v. 13, n.16, p. 121–132, 2015.

PALFREY, John; GASSER, Urs. Born Digital: understanding the first generation of digital natives. New York: Basic Books, 2008.

PAPERT, Seymour. Uses of technology to enhance education. Massachusetts Institute of Technology. Artificial Intelligence Laboratory, Cambridge, 1973. Disponível em: https://dspace.mit.edu/handle/1721.1/6213 . Acesso em 15 nov. 2017.

PAPERT, Seymour. The children’s machine: rethinking school in the age of the computer. New York: Basic books, 1993.

PAULA, Bruno H.; VALENTE, José A. Jogos digitais e educação: uma possibilidade de mudança da abordagem pedagógica no ensino formal. Revista Iberoamericana de Educación, v. 70, n. 1, p. 9–28, 2016.

PNUD. Relatório do Desenvolvimento Humano 2001. Fazer as novas tecnologias trabalhar para o desenvolvimento humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, 2001.

PRENSKY, Marc. Digital natives, digital immigrants. On the Horizon, v. 9, n. 5, p. 1–6, 2001.

REGO, Tereza C. VYGOTSKY: Uma perspectiva histórico-cultural da educação. 21. Ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2010.

REIS, Rosemeire. Aprender na atualidade e tecnologias: implicações para os estudos no ensino médio. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 39, n. 4, p. 1185–1207, 2014.

RICOY, Carmen; FELIZ, Tiberio; COUTO, Maria J. The digital divide among University Freshmen. Turkish Online Journal of Educational Technology – TOJET. Sakarya, v. 12, n. 2, p. 262–268, 2013.

ROBERTO, Magda S.; FIDALGO, Antônio; BUCKINGHAM, David. De que falamos quando falamos de infoexclusão e literacia digital? Perspetivas dos nativos digitais. Observatorio. Palmas, v. 9, n. 1, p. 043–054, 2015.

SAMPIERI, Roberto H.; COLLADO, Carlos. F.; LUCIO, Maria del P. B. Metodologia de pesquisa. 5. Ed., Porto Alegre-RS: Penso, 2013.

SÃO PAULO. Deliberação do conselho estadual de educação. Aprova o pedido de reconhecimento do Curso de Licenciatura em Educomunicação, da USP. Diário Oficial do Estado. São Paulo, 9 abr. 2015, p. 33, 2015.

SAVIANI, Dermeval. História das idéias pedagógicas no Brasil. 2. Ed. Campinas-SP: Autores associados, 2008.

SILVA, Bento D.; ARAÚJO, Alexandra M.; VENDRAMINI, Claudete; MARTINS, Ronei X; PIOVEZAN, Nayane M.; PRATES, Eli; DIAS, Anelise S; ALMEIDA, Leandro; JOLY, M. Cristina R. Aplicação e uso de tecnologias digitais pelos professores do ensino superior no Brasil e em Portugal. Educação, Formação & Tecnologias. Lisboa, v. 7, n. 1, p. 3–18, 2014.

SOARES, Ismar O. Gestão comunicativa e educação: caminhos da educomunicação. Comunicação & Educação. São Paulo, n. 23, p. 16–25, abr. 2002.

SOUSA, Cirlene C.; LEÃO, Geraldo M. P. Ser jovem e ser aluno: entre a escola e o facebook. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 41, n. 1, p. 279–302, 2016.

TWYMAN, Janet S.; HEWARD, William L. How to improve student learning in every classroom now. International Journal of Educational Research, n. 2015, p. 1–13, 2016.

UFABC. Resolução Consuni no 168 – Dispõe sobre o núcleo de tecnologias educacionais. Santo André-SP, 2016. Disponível em: http://nte.ufabc.edu.br/ . Acesso em 10 out. 2017.

UNICAMP. Portaria GR 139, de 17 de maio de 1983. Cria o Núcleo de Informática Aplicada à Educação (NIED). In: UNICAMP, Apresentação do NIED. Disponível em: http://www.nied.unicamp.br/?q=apresentacao . Acesso em 10 out. 2017.

USP. Laboratório de Informática na Educação (LinE). Disponível em: http://line.ime.usp.br/ Acesso em 10 out. 2017.

UNESCO. Transformando nosso mundo: a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: https://goo.gl/qtDGNP . Acesso em 15 nov. 2017.

UNESCO. Community-based lifelong learning and adult education: adult skills and competencies for lifelong learning. Paris, France: 2016.

VENKATESH, Viswanath; MORRIS, Michael G; DAVIS, Gordon B.; DAVIS, Fred D. User acceptance of information technology: toward a unified view. MIS Quarterly, v. 27, n. 3, p. 425–478, 2003.

VIEIRA, Augusto; SOUZA, Marina M. F.; SILVA, Tatiane P. D. M.; CASTRO, Guilherme C. Análise estatística do perfil dos cotistas que evadiram da UERJ. Cadernos do IME - série estatística da UERJ. Rio de Janeiro, v. 22, p. 31-45, 2007.

Publicado
2019-01-08
Como Citar
Nascimento, W. R. D., Salviato-Silva, A. C., & Dell’ Agli, B. A. V. (2019). O desempenho em tecnologias digitais para aprendizagem: um estudo com universitários. ETD - Educação Temática Digital, 21(1), 182-201. https://doi.org/10.20396/etd.v21i1.8651482