A privatização por omissão: a participação das redes estadual e municipais de educação básica no Rio de Janeiro em 2006 na comparação com as redes privadas

Autores

  • Nicholas Davies Universidade Federal Fluminense – UFF

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i33.8639553

Palavras-chave:

Estatística educacional. Omissão do Poder Público. Educação no Rio de Janeiro

Resumo

O estudo compara as matrículas estaduais, municipais e privadas e seus percentuais departicipação na educação básica na média brasileira e na média do Rio de Janeiro em 1997e 2006 e constata que a participação privada média no Rio de Janeiro é maior do que anacional, o que indica uma modalidade de privatização que não tem merecido a devidaatenção, que é a omissão dos governos na oferta de educação em quantidade e qualidadepara todos e, portanto, favorece o mercado das escolas privadas. Esta tem sido umacaracterística dos governos brasileiros (dos mais variados partidos) desde sempre.Entretanto, a omissão não é igual entre os governos. Os governos estaduais e os municipaisdo Rio de Janeiro, por exemplo, demonstram uma omissão muito maior do que a médiados governos estaduais e municipais dos demais estados na oferta de educação básica, e oresultado disso é a maior presença da rede privada no Estado do Rio na comparação com amédia nacional da rede privada em vários níveis e modalidades de ensino. O estudotambém examina a participação das redes estadual, municipais e privadas em cada um dos92 municípios e constata que a maior presença privada se concentra em poucos municípiose é resultado da menor participação do governo estadual (sobretudo no ensino fundamentale no ensino médio regulares) e das prefeituras (sobretudo em creches, pré-escolas e EJA)nestes municípios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nicholas Davies, Universidade Federal Fluminense – UFF

Graduação em História (UFF), Mestrado em Educação (UFF) e Doutorado em Sociologia (USP)

Referências

ABRUC (Associação Brasileira de Universidades Comunitárias). Jornal das Comunitárias, Brasília, n. 4, julho/agosto 1998.

BRASIL. Mec. Inep. Sinopse Estatística da Educação Básica – Censo Escolar 1997. Brasília, 1998.

BRASIL. Mec. Inep. Censo Escolar de 2006. Brasília, 2006. Disponível em www.inep.gov.br. Acesso em fev. 2007.

CUNHA, Luiz Antonio. Educação, Estado e democracia no Brasil. São Paulo: Cortez; Niterói: Editora da Univ. Federal Fluminense; Brasília: Flacso do Brasil. 1991.

DAVIES, Nicholas. O estatal, o público e o privado em educação: tensões e ambigüidades. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Pós-Graduação em Sociologia, 1999 (tese de doutorado em Sociologia).

DAVIES, Nicholas. O financiamento da educação: novos ou velhos desafios? São Paulo: Xamã, 2004.

GRACIOSA, José Gomes. Fundef. Rio de Janeiro: Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, 1999.

VELLOSO, Jacques. A nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação e o financiamento do ensino: pontos de partida. Educação e Sociedade, n. 30, agosto 1988.

VELLOSO, Jacques. Política educacional e recursos para o ensino: o salário-educação e a Universidade Federal. Cadernos de Pesquisa, n. 61, nov. 1987.

Downloads

Como Citar

DAVIES, N. A privatização por omissão: a participação das redes estadual e municipais de educação básica no Rio de Janeiro em 2006 na comparação com as redes privadas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 33, p. 42–63, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i33.8639553. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639553. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos