O conhecimento histórico vulgarizado: a “ditadura” do manual didático

Autores

  • Carla Villamaina Centeno Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i33.8639561

Palavras-chave:

Conhecimento histórico. Ensino de História. Manual didático. Ensinos fundamental e médio

Resumo

Este artigo tem por objetivo realizar uma crítica acerca do conhecimento históricotransmitido em sala de aula, nos níveis de ensino fundamental e médio. É motivado porvárias críticas acerca da utilização indiscriminada do manual didático. Segundo algunsautores, o manual estaria determinando o que deve ser ensinado aos estudantes evulgarizando o ensino. Num primeiro momento, o texto aborda a gênese do manualdidático e, num segundo momento, desenvolve a crítica. O manual didático impera compoder absoluto nas escolas e vem disfarçado também sob o nome de apostila. Oconhecimento que ele veicula é fragmentado e simplificado por não proporcionar o acessoa fontes e pensamentos diversos e opostos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Villamaina Centeno, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS

Licenciada em História e Doutora em História e Filosofia da Educação/UNICAMP. Professora de História e Filosofia da Educação da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul –UEMS- Curso de Geografia, Jardim/MS. Membro do HISTEDBR /MS

Referências

ABUD, Kátia. Currículos de História e políticas públicas: os programas de História do Brasil na escola secundária. In: BITTENCOURT, Circe (Org) O saber histórico na sala de aula. 2. ed. São Paulo:Contexto, 1998.

ALVES, Gilberto Luiz. O trabalho didático na escola moderna: Formas Históricas. Campinas, SP: Autores Associados, 2005

ARRUDA, Élcia Esnarriaga de; SILVEIRA, Giovani. Silveira da. O impacto da expansão escolar no mercado de material didático-pedagógico. In: Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas “História, Sociedade e Educação no Brasil”, 6, 2003, Campinas, OS. Anais...Campinas/SP: UNICAMP.

BITTENCOURT, Circe. Livros didáticos entre textos e imagens. In: BITTENCOURT, Circe. (Org.). O saber histórico na sala de aula. 2. ed. São Paulo:Contexto, 1998

BONAZZI, Marisa e ECO,Umberto. Mentiras que parecem verdade. Trad. de Giacomina Faldini. São Paulo: Summus. (Novas buscas em educação, 6), 1980

CAFARDO, Renata. “São Paulo começa a usar apostila única para orientar professores”. O Estado de São Paulo. 18, fev. 2008. São Paulo, SP. Acesso em: 18 fev. 2008 In: http://txt.estado.com.br/editorias/2008/02/18/ger-1.93.7.20080218.11.1.xml, 2008.

CERQUEIRA FILHO, Gisálio e NEDER, Gizlene. “Conciliação e violência na história do Brasil”. Rio de Janeiro, Encontros com a Civilização Brasileira, n.2, 1978

COMÉNIO, João Amós. Didáctica Magna: tratado da arte universal de ensinar tudo a todos. 2o ed. Lisboa: Gulbenkian, 1976.

DEIRÓ, Maria de Lourdes Chagas. As belas mentiras: a ideologia subjacente aos textos didáticos. 10.ed. São Paulo: Moraes, 1981.

FARIA, Ana Lúcia G. de. Ideologia no livro didático. 2. ed. São Paulo: Cortez; Autores Associados. (Coleção Polêmicas do Nosso Tempo, 7), 1984.

FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da História Ensinada. 7. ed. Campinas: Papirus, 2003.

GATTI JUNIOR, Décio. A escrita escolar da História: livro didático e ensino no Brasil (1970-1990). Bauru, SP: Edusc; Uberlândia,MG: Edufu, 2004

HOLLANDA, Guy de. Programas e compêndios de história para o ensino secundário brasileiro: 1931-1956. Rio de Janeiro: INEP/Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais.. (Currículos, programas e métodos, 1), 1957.

MACEDO, Joaquim Manoel de. Lições de História do Brasil. Rio de Janeiro: Garnier, 1905.

MARTINS, José de Souza. “Plano para educar a educação?” O Estado de São Paulo. São Paulo,SP, p. J5 - J5, 29 abr. 2007.

MUNAKATA, K. “História que os livros didáticos contam, depois que acabou a ditadura no Brasil”. IN: FREITAS, Marcos Cezar (org) Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo/Bragança Paulista: Contexto/USF. 1998.

Downloads

Como Citar

CENTENO, C. V. O conhecimento histórico vulgarizado: a “ditadura” do manual didático. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 33, p. 169–178, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i33.8639561. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639561. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos