Os usos da categoria trabalho na educação física

Autores

  • Carlos Herold Junior UNICENTRO – Guarapuava, PR

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i35.8639613

Palavras-chave:

Trabalho. Educação física. Educação. Corpo

Resumo

O objetivo deste artigo é evidenciar presença do debate relativo à centralidade do trabalhona área de educação física. Para isso, dividimos a análise em três partes: na primeira,mostramos como alguns autores da educação física afirmam a importância ou airrelevância do mundo do trabalho para a área; na segunda, defendemos que uma análisedo trabalho feita baseada em Marx, Kosik e Lukács oferece possibilidades para que otrabalho seja assumido de forma mais crítica para o estudo da educação da corporalidadehumana; na terceira, como conclusão, elencamos algumas conseqüências analíticas quepodem ser notadas a partir da assunção do trabalho como fomentador de estudos e análisesna educação física. Como principal resultado, notamos que uma consideração crítica dastransformações produtivas que ocorrem na atualidade pode lançar novas e relevantesproblemáticas aos estudiosos da educação física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Herold Junior, UNICENTRO – Guarapuava, PR

Professor Adjunto do Departamento de Pedagogia UNICENTRO – Guarapuava, PR.

Referências

ARENDT, H. Condition de l’homme moderne. Paris : Pocket, 2005.

AZEVEDO, F. de. A poesia do corpo. Bello Horizonte: Imprensa Official do Estado de Minas, 1915.

BRACHT, V. Educação física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1992.

BRACHT, V. A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Cadernos Cedes, n. 48, p. 69-88, 1999.

GLEYSE, J. Archéologie de l’éducation physique au XXe siècle en France. Paris : Presse Universitaire de France, 1995.

KOSIK, K. La dialectique du concret. Paris : François Maspero, 1970.

KOSIK, K. La crise des temps modernes : dialectique de la morale. Paris : Les Éditions de la Passion, 2003.

LESSA, S. O mundo dos homens : trabalho e ser social. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

LUKÁCS, G. Ontologia do ser social: os princípios ontológicos fundamentais de Marx. São Paulo: Livraria Editora Ontologia do ser social Ciências Humanas, 1979.

LUKÁCS, G. Ontologia del ser social: el trabajo. Buenos Aires: Herramienta, 2004.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. 14.ed. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1994, v. 1, livro 1.

NOZAKI, H. O mundo do trabalho e o reordenamento da educação física brasileira. Revista da Educação Física da UEM. Maringá: Universidade Estadual de Maringá, v. 10, n. 1, p. 3-12, 1999.

ORTIGARA, V. Ausência sentida nos estudos em educação física: a determinação ontológica do ser. 2002. 219p. (Tese de Doutorado. Faculdade de Educação, Universidade Federal de Santa Catarina).

RABINBACH, A. The human motor: energy, fatigue and the origins of modernity. Los Angeles: University of California Press, 1992.

SILVA, M. R. S. da. A educação física, o corpo e o movimento humano na perspectiva do mundo do trabalho. 1996. 118p. (Dissertação de Mestrado. Pós-graduação em Ciências do Movimento. Universidade Federal do Rio Grande do Sul) Porto Alegre.

SILVA, A. M. Corpo, ciência e mercado: reflexões acerca da gestação de um novo arquétipo da felicidade. Campinas- SP, Florianópolis, SC: Autores Associados: Editora da UFSC, 2001.

Downloads

Como Citar

HEROLD JUNIOR, C. Os usos da categoria trabalho na educação física. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 35, p. 48–58, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i35.8639613. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639613. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>