Uma lei de reforma universitária e seus itinerários

Autores

  • Carlos Roberto Jamil Cury PUCMinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i35.8639614

Palavras-chave:

Educação. História da Educação. Reforma Universitária

Resumo

Este texto pretende mostrar o processo legislativo pelo qual passou o projeto da reformauniversitária de 1968. A descrição do caminho de chegada para o término da lei 5.540/68foi coletada em fontes primárias e demonstra uma conformação da maioria situacionista àiniciativa do Executivo seja no conteúdo, seja na celeridade da tramitação. À oposiçãorestou fazer proposições que abrandassem o texto e protestar contra os aspectos maiscontroladores da autonomia universitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Roberto Jamil Cury, PUCMinas

Professor titular (aposentado) da Faculdade de Educação da UFMG da qual é professor emérito. 

Referências

BRASIL. MEC/INEP. Ensino Superior: Coletânea de Legislação Básica. Rio de Janeiro: IBGE, 1969.

ANDRADE, Regis de Castro. Política Social e Normalização Institucional no Brasil. In: ANDRADE, Regis de Castro et alii. América Latina: novas estratégias de dominação. Petrópolis : Vozes, 2a. Ed, 1982.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia. Rio de Janeiro : Paz e Terra, 1986.

BOBBIO, Norberto. Teoria do Ordenamento Jurídico. Brasília: EDUNB, 1994.

CHAUÍ, Marilena. Brasil: mito fundador e sociedade autoritária. São Paulo : Perseu Abramo, 2000.

COUTINHO, Carlos Nelson. Cultura e Sociedade no Brasil: ensaios sobre idéias e formas. Rio de Janeiro : DP&A, 2000.

CRUB. Estudos e Debates. N. 17, Brasília: 1990.

CUNHA, Luiz Antonio. A Universidade Crítica: o ensino superior na República populista. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

CUNHA, Luiz Antônio. A Universidade Reformanda. Rio de Janeiro : Francisco Alves, 1988.

CUNHA, Luiz Antonio. Educação, Estado e Democracia no Brasil. São Paulo: Cortez; Rio de Janeiro: EDUFF, 1991.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Conselhos de Educação: fundamentos e funções. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação. V. 22, jan/jun 2006, p. 41-66.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Quadragésimo Ano do Parecer CFE n. 977/65. Revista Brasileira de Educação. N. 30, set-dez 2005, p. 7-20.

FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. Da Universidade “Modernizada” à Universidade Disciplinada: Atcon e Meira Mattos. São Paulo: Cortez; Campinas: Autores Associados, 1991.

FERNANDES, Florestan. Universidade Brasileira: reforma ou revolução. São Paulo: Alfa-Ômega, 1975.

FERREIRA, May Guimarães. O Conselho Federal de Educação: o coração da reforma. Tese de doutorado, FEUNICAMP, 1990.

FONSECA, Dirce Mendes de. Mecanismos constitutivos do poder do Conselho Federal de Educação. In: FONSECA, Dirce Mendes de. (org) O pensamento privatista em educação. Campinas: Papirus, 1992.

GERMANO, José W. Estado Militar e Educação no Brasil: 1964-1985. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Unicamp, 1993.

HORTA, José Silvério Bahia. Liberalismo, Tecnocracia e Planejamento Educacional no Brasil. São Paulo: Cortez e Associados, 1982.

MARTINS, Carlos Benedito. Ensino pago: um retrato sem retoques. São Paulo: Global, 1981.

MARTINS, Carlos Benedito. O novo ensino superior privado no Brasil (1964-1980). In: Martins, Carlos Benedito (org). Ensino superior brasileiro: transformações e perspectiva. São Paulo: Editora Brasiliense. 1988.

MINTO, Lalo Watanabe. As Reformas do Ensino Superior no Brasil: o público e o privado em questão. Campinas: Associados, 2006.

NICOLATO, Maria Auxiliadora. A caminho da Lei 5.540/68 – a participação dos diferentes atores na definição da reforma universitária. Belo Horizonte: FAE/UFMG, 1986. 2 vol. (dissertação de mestrado)

OLIVEN, Arabela Campos. A paroquialização do Ensino Superior. Petrópolis, RJ: Vozes, 1990.

PAULA, Maria de Fátima de. A modernização da Universidade e a transformação da intelligentzia universitária. Florianópolis, SC: Insular, 2002. Revista Brasileira de Ciências Sociais (RBCS). N. 23 São Paulo: ANPOCs, 1993.

RIBEIRO, Maria das Graças M. Educação Superior Brasileira: reforma e diversificação institucional. Bragança Paulista: EDUSF, 2002.

RODRIGUES, Neidson. Estado, Educação e desenvolvimento econômico. São Paulo: Cortez e Associados, 1982.

ROSSATO, Ermélio. A expansão do Ensino Superior no Brasil: do domínio público à privatização. Passo Fundo, RS: Editora Passo Fundo, 2006.

SANTOS, Oder José et alii. Expansão do Ensino Superior: características e tendências. Estudos e Debates, n. 1. Brasília: CRUB, 1978.

SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Autores Associados, 1980.

SAVIANI, Dermeval. Política e Educação no Brasil: o papel do Congresso Nacional na legislação de ensino. São Paulo: Cortez, 1987.

SAVIANI, Dermeval. Análise Crítica da Organização Escolar Brasileira através das leis Nos. 5.540/68 e 5.672/71. in GARCIA, Walter. (org) Educação Brasileira Contemporânea: organização e funcionamento. São Paulo: McGraw-Hill, 1978.

VIEIRA, Sofia Lerche. Universidade Federal nos anos 80: o jogo da política educacional. São Paulo, 1990, doutorado PUCSP.

VIEIRA, Sofia Lerche. O (dis)curso da (re)forma universitária. Fortaleza: UFC, 1982.

Downloads

Como Citar

CURY, C. R. J. Uma lei de reforma universitária e seus itinerários. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 35, p. 59–75, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i35.8639614. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639614. Acesso em: 21 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos