O trabalho didático do professor no Brasil dos anos de 1920: a aula em foco

Autores

  • Jose Carlos Souza Araujo Universidade de Brasília Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i35.8639627

Palavras-chave:

Organização do trabalho didático. Organização do trabalho pedagógico. Aula. Professor. Profissão docente. Primeira República

Resumo

O objeto desse artigo é esclarecer algumas categorias básicas do trabalho didático:primeiramente da intersubjetividade do professor e do aluno e, associadas a ela, asmodalidades de ensino, os métodos de ensino, as técnicas de ensino, as tecnologiaseducativas, a avaliação, o tempo da operacionalização didática, comumente denominadapor aula, o espaço físico, bem como os objetivos e as finalidades do ensino. Em suasegunda parte, este artigo reúne posicionamentos diversos e díspares a respeito do trabalhodidático, de intelectuais da educação brasileira atuantes no cenário educacional brasileirode 1920 a 1930, através de obras de caráter educacional e pedagógico. Trata-se, nessesentido, de verificar o protagonismo do professor diante da organização do trabalhopedagógico e do trabalho didático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jose Carlos Souza Araujo, Universidade de Brasília Universidade Federal de Uberlândia

Professor e pesquisador com ênfase na área da Filosofia e História da Educação, bem como nas áreas da Pedagogia e da Didática.

Referências

ALVES, Gilberto. O trabalho didático na escola moderna. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

AMARAL, Ignácio M. Azevedo. O professor e o alumno. In O problema universitário brasileiro: Inquérito promovido pela Secção de Ensino Technico e Superior da Associação Brasileira de Educação. Rio de Janeiro: Encadernadora, 1929, p. 32-44.

ARAUJO, José Carlos S. Do quadro-negro à lousa virtual: técnica, tecnicismo e tecnologia. In VEIGA, Ilma Passos Alencastro (org.). Técnicas de ensino: novos tempos, novas configurações. Campinas, SP, Papirus, 2006, p. 13-48.

ARAUJO, José Carlos S. Ser professor: da divisão do trabalho à organização do trabalho pedagógico e do trabalho didático. Cadernos de História da Educação, Uberlândia, MG, 8(1): 137-156, 2009.

BARTHES, Roland. A aula. 12a. Edição. São Paulo: Cultrix, 2004.

BUISSON, Fernand (dir.). Nouveau Dictionnaire de Pédagogie et d’Instruction Primaire. Paris: Librairie Hachette, 1911, 2087 páginas.

CARNEIRO LEÃO, A. S. Paulo em 1920. Rio de Janeiro: Annuario Americano, 1920.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Modernidade pedagógica e modelos de formação docente. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, 14, 1: 1-8, jan.-mar. 2000.

CERVO, Amado Luiz & BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia científica para uso dos estudantes universitários. São Paulo, Editora McGraw-Hill do Brasil, 1976.

CUNHA, Raul Leitão da. A crise actual do ensino, no Brasil – seus factores e seus aspectos. In O problema universitário brasileiro: Inquérito promovido pela Secção de Ensino Technico e Superior da Associação Brasileira de Educação. Rio de Janeiro: Encadernadora, 1929, p. 26-31.

DRUMMOND DE ANDRADE, Carlos. Poesia e Prosa organizada pelo autor. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1988.

FIDALGO, Fernando & MACHADO, Lucília (editores). Dicionário da Educação Profissional. Belo Horizonte, Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação, FAE/UFMG, 2000.

FREITAS, Luiz Carlos de. Crítica da organização do trabalho pedagógico e da didática. Campinas, SP: Papirus, 1995.

GUIMARÃES, Orestes. Suggestões sobre a Educação popular no Brasil. Florianópolis: Livraria Moderna, 1924.

HERBART, Johann Friedrich. Esbós per a um curs de pedagogia. Trad. De Joseph M. Bordas. Vic, Espanha: Eumo Editorial, 1987.

KANT, Immanuel. O conflito das faculdades. Lisboa: Edições 70, 1993.

LAKANAL, J. Rapport sur l’établissement des écoles normales. Paris, De l’Imprimerie Nationale, 1794.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5a. edição revista e ampliada. Goiânia, GO: Editora Alternativa, 2004.

LOURENÇO FILHO. Tendências da educação brasileira. São Paulo: Melhoramentos, 1940.

LUZURIAGA, Lorenzo. Diccionario de Pedagogia. 3a. edição. Buenos Aires: Editorial Losada, 2001.

MENUCCI, Sud. A crise da educação brasileira. Digitalização da 2a. Edição de 1934. São Paulo: Editora Piratininga, 2006.

MORA, José Ferrater. Diccionario de Filosofía. 4a edição. Madri, Alianza Editorial, 1982.

OLIVEIRA, Antonio de Almeida. O ensino público. Brasília, DF, Senado Federal, 2003.

O PROBLEMA UNIVERSITÁRIO BRASILEIRO: Inquérito promovido pela Secção de Ensino Technico e Superior da Associação Brasileira de Educação. Rio de Janeiro: Encadernadora, 1929.

PEIXOTO, Afrânio. Ensinar a ensinar: ensaios de Pedagogia aplicada à educação nacional. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1923.

PROENÇA, Antonio Firmino de. Palestras pedagógicas. São Paulo: Directoria Geral da Instrucção Publica. Departamento de Publicidade, 1930, 34 p.

SAMPAIO DÓRIA, A. de. Discurso proferido pelo Sr. Dr. Antonio Sampaio Dória, recentemente nomeado director do Ensino em sessão solenne effectuada no dia 24 de maio no Salão Nobre do Jardim da Infância. São Paulo: Augusto Siqueira & Cia., 1920.

SAMPAIO DÓRIA, A. Como se ensina. São Paulo: Monteiro Lobato & Co. Editores, 1923, p. 51-52).

SANTOS, Oder J. A organização do processo de trabalho pedagógico. In: Anais da IV Conferência Brasileira de Educação, n. 1. Goiânia: Cortez e Moraes, 1986, p. 408-411.

SERVA, Mário Pinto. A educação nacional. Pelotas, RS: Echenique & Comp., 1924.

SEVERINO, A.J. Educação, sujeito e história. São Paulo: Olho d’Água, 2001.

ULMANN, Jacques. La nature et l’éducation: l’idée de nature dans l’éducation physique et dans l’éducation morale. Paris, Klincksieck, 1987.

VALDEMARIN, Vera Maria. Estudando as lições de coisas: análise dos fundamentos filosóficos do método de ensino intuitivo. Campinas, Autores Associados, 2004.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Ensino e avaliação: uma relação intrínseca à organização do trabalho pedagógico. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (org.). Didática: o ensino e suas relações. Campinas, SP: Papirus, 1996, p. 127-169.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Organização didática da aula: um projeto colaborativo de ação imediata. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (org.). Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. Campinas, SP: Papirus, 2008, p. 267-298.

VON ZUBEN, Newton Aquiles. Sala de aula: da angústia de labirinto à fundação da liberdade. In RÉGIS DE MORAIS, J.F. (org.). Sala de aula: Que espaço é esse? 19a edição. Campinas: Papirus, 2005, p. 123-129.

WACHOWICZ, Lílian A. O método dialético na didática. Campinas, SP: Papirus, 1989.

Downloads

Como Citar

ARAUJO, J. C. S. O trabalho didático do professor no Brasil dos anos de 1920: a aula em foco. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 35, p. 250–271, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i35.8639627. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639627. Acesso em: 18 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos