Representação da fronteira Brasil-Paraguai: análise entre os professores de geografia da Escola Estadual Vespasiano Martins no município de Amambaí/MS

Autores

  • Sivaldo de Macedo Michenco UFGD – Programa de Pós Graduação

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v10i40.8639818

Palavras-chave:

Amambaí. Fronteira. Ensino de Geografia

Resumo

O presente trabalho está vinculado à dissertação, em andamento, do mestrado do Programa de Pós Graduação em Geografia da Universidade Federal da Grande Dourados e visa conceituar a relação entre a realidade de fronteira e a atuação do professor de geografia nessa realidade. O desenvolvimento do trabalho parte de uma pesquisa com professores de geografia da Escola Estadual Vespasiano Martins localizada no município de Amambai- MS. Nascem assim as seguintes perguntas: Quais as representações de fronteira de tais professores? Como os mesmos delineiam em suas praticas pedagógicas tais concepções? No município em questão está presente um conjunto de intermediações e diversidades de línguas (português [gaúchos, mato-grossenses], espanhol e guarani) e de práticas culturais mescladas que ratificam a análise proposta. O trabalho busca, assim, sua relevância na problemática mencionada, bem como no fato de que, nesta pesquisa sobre educação, o ponto de partida se constitui num duplo desafio: pensar a fronteira e o sujeito de fronteira a partir das concepções dos professores, mas também pensar a geografia como proposta de conhecimento do sujeito de fronteira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sivaldo de Macedo Michenco, UFGD – Programa de Pós Graduação

Professor da rede pública do Estado do Mato Grosso do Sul - Graduado em Geografia pela Universidade Estadual do Paraná – UEPR - Campus de Campo Mourão e Mestrando do Programa de Pós Graduação em Geografia da Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD

Referências

ALVES, Gilberto Luiz. A produção da escola pública contemporânea. Campinas: Faculdade de Educação/UNICAMP, 1998.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Trad. Fernado de Tomaz. Lisboa: Difel. 1989.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Secretaria de Programas Regionais. Programa de Desenvolvimento da Faixa de Fronteira. Proposta de Reestruturação do Programa de Desenvolvimento da Faixa de Fronteira/Ministério da Integração Nacional, Secretaria de Programas Regionais, Programa de Desenvolvimento da Faixa de Fronteira, Brasília: Ministério da Integração Nacional, 2005.

BRASIL. MEC. SEMTEC. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnologia, 1999.

CARDIA, Laís M. Espaço e culturas de fronteira na Amazônia ocidental. In: Revista Ateliê Geográfico v. 3, no. 7. Universidade Federal de Goiás, Goiás, 2009.

CASTROGIOVANNI, Antônio Carlos. (Org.). Estudar o lugar para compreender o mundo. In: Ensino de Geografia: práticas e textualizações no cotidiano. Porto Alegre: Mediação, 2000.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1988.

CORRÊA, R. L., Trajetórias geográficas, Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1997.

KAERCHER, Nestor André. Desafios e utopias no ensino de geografia. In: CASTROGIOVANNI, A. C; CALLAI, H. C; SCHAFFER, N. O; KAERCHER, N. A. (Orgs.). Geografia em sala de aula práticas e reflexões. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 4a Ed. 2003.

KOZEL, S. As representações no geográfico In: MENDONÇA, F; KOZEL, S. Elementos de Epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: Editora da UFPR, 2002.

MELO, Mario Lacerda de. A Universidade e a formação do geógrafo agrário no Brasil. Boletim de geografia teorética V. 9 No. 17 e 18. Rio Claro-SP: AGETEO, 1979.

NOGUEIRA, Ricardo José Batista. A divisão da monstruosidade geográfica. Tese de doutorado, USP, São Paulo, 2002.

NOGUEIRA, Ricardo José Batista. Fronteira: Espaço de referência identitária? In: Revista Ateliê Geográfico v. 1, no. 2. Universidade Federal de Goiás, Goiás, 2007.

OLIVA, Jaime Tadeu. Ensino de Geografia: um retrato desnecessário. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri (Org.). A Geografia na sala de aula. 7a ed. São Paulo: contexto, 2005.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de (org.). Para onde vai o ensino de geografia? São Paulo: Contexto, 1989.

OLIVEIRA, Tito Carlos Machado de. Território sem limites. Editora UFMS, Campo Grande, 2005.

PEREIRA, Jacira Helena do Valle. Educação e Fronteira: processos identitários de migrantes de diferentes etnias. São Paulo: USP, (Tese de Doutorado), 2002.

PEREIRA, Jacira Helena do Valle. Processos identitários da segunda geração de migrantes de diferentes etnias na fronteira Brasil-Paraguai. In: MARIN, Jérri R; VASCONCELOS, Cláudio A de (Orgs.) História Região e identidades. Campo Grande: Editora da UFMS, 2003.

ROSENDAHL, Zeny. Porto das Caixas: espaço sagrado da Baixada Fluminense. Tese de Doutorado (Departamento de Geografia da USP). São Paulo, 1994.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. Autores Associados. Campinas, 1997

SOJA, Edward. Geografias Pós-Modernas: A reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro, Tradução [da 2a ed. Inglesa], Editora Jorge Zahar, 1993.

Downloads

Como Citar

MICHENCO, S. de M. Representação da fronteira Brasil-Paraguai: análise entre os professores de geografia da Escola Estadual Vespasiano Martins no município de Amambaí/MS. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 40, p. 258–273, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i40.8639818. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639818. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos