O ‘vozear’ na mata e a modernidade anunciada: educação no território através dos jornais (1906-1930)

Autores

  • Andréa Maria Lopes Dantas Universidade Federal do Acre

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v11i43e.8639952

Palavras-chave:

Jornal. Educação acreana. História da educação

Resumo

Este ensaio tem por objetivo determinar o lugar ocupado pelo impresso no processo de organização dos serviços de educação escolar no território do Acre no período de 1906-1930. O Jornal desempenha, no período que a análise recobre, importante papel no processo de organização dos serviços de educação no Território do Acre ao se constituir como um orientador dos procedimentos administrativos que eram adotados pelo governo como e, principalmente como um arauto do ‘novo modelo de educação’ que se estava a praticar país afora, especialmente se considerado que este funciona como uma espécie de ‘diário oficial’ das administrações locais. Admitido que este é um elemento que está presente nos materiais analisados é possível considerar que, ao manter a publicação de matérias que expressam a direção política e as determinações que o Governo Federal está a anunciar para os serviços públicos, o jornal garante um espaço imprescindível para que estas matérias tenham o impacto necessário em seus leitores. As falas provenientes do Governo encontram assim o espaço necessário para serem lidas como a anunciação do novo, abrindo a possibilidade de que o Território se integre ao desenvolvimento que o País vivencia no que tange a educação, organização administrativa e política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Maria Lopes Dantas, Universidade Federal do Acre

Professor titular da Universidade Federal do Acre.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO (1934). O problema educacional e a Constituição. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

BOMENY, Helena M. B. (1999). Três decretos e um ministério: a propósito da educação no Estado Novo. In PANDOLFI, Dulce Chaves, org. Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: Ed. da FGV.

BRASIL. Decreto no 19.560, de 5 de janeiro de 1931 (Regulamenta o funcionamento do Ministério da Educação e Saúde Pública).

CAPELATO, Maria Helena (1989). Os Arautos do Liberalismo: imprensa paulista 1920-1945. São Paulo, Brasiliense,.

CAPELATO, Maria Helena (1998). Imprensa e História do Brasil: imprensa oficial e imprensa contestadora, o jornal como documento, o papel do jornal na história. São Paulo , Contexto, 2. ed..

CAPELATO, Maria Helena R. Imprensa e História do Brasil. Contexto/EDUSP, São Paulo, 1994.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de (1999). O território do consenso e a demarcação do perigo: política e memória no debate educacional nos anos 30. In FREITAS, Marcos Cezar, org. Memória intelectual brasileira. Bragança Paulista (SP): Edusf (Editora da Universidade São Francisco).

CASTRO, Maria Ceres Pimenta Spinola. [et. al]. Folhas do tempo: imprensa e cotidiano em Belo Horizonte 1895-1926. UFMG, Associação Mineira e Imprensa; Prfeitura Municipal de belo horizonte, BH, 1997.

CATANI, Denice Barbara & BASTOS, Maria Helena Câmara, orgs. (1997). Educação em revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo: Escrituras.

CERTEAU, Michel de. (1994) A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes,.

CHARTIER, Roger. (1990) História Cultural: entre práticas e representações. Difel, Lisboa,. (Coleção Memória e Sociedade).

CHARTIER, Roger. A ordem dos Livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Trad. Mary Del Priore – Brasilia : Editora Universidade de Brasília, 2a ed., 1998.

DANTAS, Andréa Maria Lopes. A urdidura da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos nos bastidores do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos: a gestão Lourenço Filho (1938-1946), PUC/SP, 2001. Tese de Doutoramento.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Trad. Antonio Fernando Cascais e Eduardo Cordeiro. Ed. Garrido & Lino, 3a ed. Vega: Passagens, 1997.

KARYDIS, Penélope et al. (1981). La presse d’éducation et d’enseignement (XVIIIéme siècle-1940). Tome I, A-C. Paris:, INRP/Editions du CNRS.

LOPES, Eliane Marta Teixeira. (et. al). 500 anos de educação no Brasil. BH: Autêntica, 2002. 2a ed.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E SAÚDE [1937]. Conselho Nacional de Educação: sessões da primeira reunião de 1937. Vol. I. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional — Indústria do Jornal..

NUNES, Clarice e CARVALHO, M. M. Chagas de. Historiografia da Educação e Fontes. Caxambu - MG, Anped, 1992.

PECAUT, Daniel (1990). Os intelectuais e a política no Brasil: entre o povo e a nação. São Paulo: Ática.

WARDE, Mirian (org). Temas de História da Educação. Contemporaneidade e Educação: revista semestral de Ciências Sociais e Educação. IEC, ano V, no 06 – 1o semestre,. Rio de Janeiro 2000.

Downloads

Como Citar

DANTAS, A. M. L. O ‘vozear’ na mata e a modernidade anunciada: educação no território através dos jornais (1906-1930). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 11, n. 43e, p. 28–41, 2012. DOI: 10.20396/rho.v11i43e.8639952. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639952. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos