Educação no campo e trabalho: um estudo das escolas municipais rurais de Uberlândia-MG

Autores

  • Ana Cecília Oliveira Silva Universidade Federal de Uberlândia
  • Fabiane Santana Previtali Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v11i44.8639979

Palavras-chave:

Educação no Campo. Trabalho. Movimentos Sociais no Campo

Resumo

O objetivo deste trabalho é discutir o projeto educacional das escolas municipais rurais de Uberlândia/MG a fim de verificar em que medida o projeto adéqua-se às especificidades de estudantes no campo tal como dispõe a LDB 9.394/96. A metodologia implicou em ampla revisão bibliográfica e documental sobre o tema e pesquisa de campo com aplicação entrevistas semi-estruturadas às diretoras e à coordenação pedagógica das escolas. O trabalho de campo foi realizado no primeiro semestre de 2009 em 5 escolas selecionadas segundo critérios de localização e características da comunidade no entorno da escola. Constatou-se que o modelo de gestão, os conteúdos, os projetos e a formação de professores de tais escolas seguem a mesma lógica das escolas urbanas, confirmando a tese neoliberal vigente de que modernização é sinônimo de urbanização da sociedade. Tem-se então a mera adaptação do serviço educacional oferecido na cidade para o campo, subjugando a população camponesa a este modelo que desconsidera a sua cultura e está dissociado de suas vivências. Concluiu-se que o ensino oferecido nas escolas do campo reproduz os valores hegemônicos da sociedade capitalista burguesa de forma ainda mais precarizada que na cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cecília Oliveira Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Fabiane Santana Previtali, Universidade Federal de Uberlândia

Docente da Universidade Federal de Uberlândia – UFU. Programa de Pós-Graduação em Educação e Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Pesquisadora FAPEMIG/PPM.

Referências

ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho – Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo, SP: Boitempo Editorial, 1999.

BARROS, H. Uberlândia: um retrato de seu desenvolvimento. In: Uberlândia: painel de informações municipais – 2009. Elaboração Álvaro Fonseca e Silva Júnior, et al. Uberlândia: UFU, CEPES, 2010.

BEZERRA NETO, L. & BEZERRA, M. C. S. A classe Trabalhadora e a Mundialização do saber. In: LUCENA, C. (Org) Trabalho, Precarização e Formação Humana. Campinas, SP: Editora Alinea, 2008.

BRAVERMAN, H. Trabalho e Capital Monopolista. Rio de Janeiro: Zahar. 1977.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Ministério da Educação, 1996.

BRASIL. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo - DOEBEC”. Parecer no 36/2001 e Resolução1/2002. Conselho Nacional de Educação.

CATANI, A. M.; HEY, A. P. & GILIOLI, R. S. P. PROUNI: democratização do acesso às Instituições de Ensino Superior? Educar, Curitiba, n. 28, p. 125-140, 2006. Editora UFPR.

CIAVATTA, M. & TREIN, E. O percurso teórico e empírico do GT Trabalho e Educação: uma análise para debate. Revista Brasileira de Educação, Set/Out/Nov/Dez 2003, No 24, p.140 - 164

FRIGOTTO, G. Educação, crise do trabalho assalariado e do desenvolvimento: teorias em conflito. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. Petrópolis, Rj: Vozes, 1998.

GANDOLFI, M. R. C. Uma análise sobre o emprego formal no município de Uberlândia, Minas Gerais, 2001. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Econômico) - Instituto de Economia, Universidade Federal de Uberlândia, 2001.

GENTILI, P. Três teses sobre a relação entre trabalho e educação em tempos neoliberais. In: LOMBARDI, J. C. L.; SAVIANI, D. & SANFELICE, J. L. (Orgs.) Capitalismo, Trabalho e Educação. Campinas, SP: Autores Associados, HISTEDBR, 2002.

GOMES, R. M. Ofensiva do Capital e Transformações no Mundo Rural: a resistência camponesa e a luta pela terra no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. 2004. Dissertação (Mestrado em Geografia)- Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2004.

KUENZER, A. Z. Educação e trabalho no Brasil: o estado da questão. Brasília: INEP; Santiago: REDUC, 1987.

MARX, Karl. O Capital – Crítica da economia política. Trad. Reginaldo Sant ́anna. 6a Edição. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1980. Livro Primeiro. Vol.1

PONCE, A. Educação e luta de classes. Trad. José Severo de Camargo Pereira. 22a edição. São Paulo: Cortez, 2007.

SAVIANI, D. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. In: FERRETTI, C. J.; ZIBAS, D. M. L.; MADEIRA, F. R. & FRANCO, M. L. P. B. (Orgs.). Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. 8aed. Petrópolis: Vozes, 2002.

Downloads

Publicado

2012-06-23

Como Citar

SILVA, A. C. O.; PREVITALI, F. S. Educação no campo e trabalho: um estudo das escolas municipais rurais de Uberlândia-MG. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 11, n. 44, p. 76–91, 2012. DOI: 10.20396/rho.v11i44.8639979. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639979. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)