Florestan Fernandes e o marxismo: dois momentos de uma longa trajetória (1946 e 1983)

Autores

  • Gilcilene de Oliveira Damasceno Barão Barão Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i48.8640025

Palavras-chave:

Florestan Fernandes. Materialismo Histórico e Dialético. Educação e Marxismo

Resumo

Florestan é autor de uma extensa obra que abrange diversos aspectos dos dilemas sociais da sociedade de classe. Com relação à educação, suas  contribuições estão presentes no conjunto de sua obra, nas lutas sociais em que participou – luta em defesa da escola pública, pela reforma universitária, atividades antifascistas - e através de seu trabalho como organizador e divulgador de importantes coletâneas de textos clássicos. O objeto do presente trabalho é inventariar duas Introduções de Florestan Fernandes a obras de K. Marx: Introdução a Contribuição à Critica da Economia Política, publicada em 1946,  e a Introdução que publicou em 1983 para apresentar a antologia de Marx e Engels sobre História. A metodologia utilizada foi pesquisa bibliográfica sobre as Introduções e, como complemento, cotejou-se os seus conteúdos com entrevistas e outras obras de Florestan Fernandes, bem como de autores que vêm estudando a sua produção. A definição do período de vinculação de Florestan ao materialismo histórico e dialético é objeto de inúmeras polêmicas e interpretações. As análises das Introduções permitiram trazer elementos de suas produções teóricas que indicam que essa vinculação esteve presente em um extenso período histórico (1946 e 1983). Além disso, o artigo analisa o que Florestan Fernandes aponta como substantivo em seus estudos sobre o marxismo:  a questão do método,  da perspectiva histórica, da luta de classes e do protagonismo do proletariado para explicar e transformar a realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilcilene de Oliveira Damasceno Barão Barão, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professora adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro atuando como docente na Faculdade de Educação da Baixada Fluminense na graduação, na especialização e no programa de pós graduação em Educação, Cultura e Comunicação em periferias urbanas.

Referências

BARÃO, G. O D. As contribuições educacionais de Florestan Fernandes: o debate com a pedagogia nova e a centralidade da categoria revolução. Tese de doutoramento, UNICAMP, 2008.

CARDOSO, M. L. Capitalismo Dependente, Autocracia Burguesa e Revolução Social em Florestan. São Paulo:Estudos Avançados da USP, Coleção Documentos, no 18, Junho de 2001. (Série Ciências Humana e Histórica)

CARDOSO, M. L. Sobre a teorização do capitalismo dependente em Florestan Fernandes. In: OSMAR, F. (org.) Democracia e educação em Florestan Fernandes. Campinas, SP: Autores Associados; Niterói: EdUFF, 2005.

DEL ROIO, M. Sociologia e socialismo em Florestan Fernandes. In: MARTINEZ, P.H. (org.) Florestan ou o sentido das coisas. São Paulo: USP, 1998.

FERNANDES, F. Marx e o pensamento sociológico moderno. In: ______ Ensaios de Sociologia Geral e aplicada. SP: Livraria Pioneira Editora, 1971.

FERNANDES, F. (org). Nota Prévia. In: Comunidade e Sociedade. São Paulo: Companhia Ed. Nacional, 1973.

FERNANDES, F. Marx e o pensamento sociológico moderno. In: FERNANDES, FERNANDES, F.Ensaios de Sociologia Geral e aplicada. SP: Livraria Pioneira Editora, 19711.

FERNANDES, F. Da guerrilha ao socialismo: a revolução cubana. São Paulo: T. A. Queiros, 1979.

FERNANDES, F. Introdução . In: K.Marx e F. Engels: história. Organizador [da coletânea] FERNANDES, F. SP: Ática, 1983.

FERNANDES, F. Introdução a Contribuição à crítica da Economia Política. In: FERNANDES, F.Em busca do Socialismo: últimos escritos & outros textos.SP: Xamã, 1995.

FERNANDES, F. Entrevista Florestan Fernandes. Revista teoria e debate, São Paulo, Fundação Perseu Abramo, no13, jan/fev/mar 1991. Disponível em http://www.fpa.org.br/td/td13/td13_memoria.htm. Acesso em: 14/7/2005.

GRAMSCI, A. Maquiavel, a política e o estado moderno. Rio de Janeiro, ed. Civilização brasileira, 1978.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1989.

MARIATEGUI, J.C. Temas de educacion. Lima: Biblioteca Amauta, 1984.

MARTÍ, José. Nossa América. São Paulo: Hucitec, 1991. (coleção Nossa América)

MARX, K. Manuscritos Econômicos e Filosóficos. In: FROMM, E.. O Conceito Marxista do Homem - Apêndice: Manuscritos Econômicos e Filosóficos de 1844 de Karl Marx. RJ: Zahar Editores, 1983 (8a. ed.).

MARX, K. Prefácio. In: MARX, K., Para a crítica da economia política e outros textos. 2a. edição, São Paulo: Nova Cultural, 1986.

MARX, K. e ENGELS, E. Ideologia Alemã Lisboa: Editorial Presença; Brasil: Martins Fontes. Volume I e Volume II .

NETTO, J. P. Florestan Fernandes: uma recuperação marxista da categoria revolução. In: NETTO, J. P. Marxismo impenitente: contribuição à história das idéias marxistas. São Paulo: Cortez, 2004.

NETTO, J. P. Entrevista. RJ: UFRJ, mimeo., 2006.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2003.

Downloads

Como Citar

BARÃO, G. de O. D. B. Florestan Fernandes e o marxismo: dois momentos de uma longa trajetória (1946 e 1983). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 48, p. 324–337, 2013. DOI: 10.20396/rho.v12i48.8640025. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640025. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos