Formação do professor-historiador e cotidiano escolar: aproximações freireanas

Autores

  • Jean Mac Cole Tavares Santos Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)
  • Patrícia Cristina de Aragão Araújo Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i46.8640078

Palavras-chave:

Pensamento freireano. Ensino de História. Formação do professor

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar a formação do professor de História, à luz de umaabordagem freireana, procurando compreender de que modo ele vai construindo, por meiode sua vivência no cotidiano de sala de aula, um ensino crítico, que permite odesenvolvimento de uma prática educativa, cuja construção de saberes possibilite atransformação do educando, a fim de que se interesse pela História e por seu ensino. Tratasede um artigo de revisão, cujos eixos norteadores são as leituras sobre o ensino deHistória e a prática do professor. Pensar a educação em uma perspectiva crítica eempreendê-la no meio educativo, com vistas ao ensino de História, são pontos-chave denossa discussão. O pensamento freireano constitui a âncora para tecermos nossaabordagem acerca do papel do professor de História e as reflexões em torno de suaformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Mac Cole Tavares Santos, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Doutor em Educação. Professor da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Tutor do PET Pedagogia/UERN.

Patrícia Cristina de Aragão Araújo, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

Doutora em Educação. Professora da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Referências

ALVES, Nilda. A experiência da diversidade no cotidiano e suas consequências na formação dos professores. In: Cultura e conhecimento de professores. Rio de Janeiro: DP & A, 2002.

ARANHA, Maria Lúcia. História da Educação e da Pedagogia: Geral e Brasil. São Paulo: Moderna, 2006.

BASTOS, Pedro Ivo R. de Assis. As concepções de História na era das incertezas. Campinas: Unicamp, 2001 (dissertação de mestrado em educação).

CABRINI, Conceição. Ensino de História: revisão urgente. São Paulo: Brasiliense, 2000.

CALADO, Alder Júlio F. Tecelão da utopia: uma leitura transdisciplinar de Paulo Freire. Caruaru: FAFICA, 2000.

CERRI, Luiz F. Ensino de História e a incorporação das novas tecnologias da informação e comunicação: uma reflexão. In: Revista de História Regional, vol. 4, no.2, Mato Grosso:UEPG, 1999.

FREITAG, Bárbara. Escola, Estado e sociedade. São Paulo: Brasiliense, 1986.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 23a.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

FREIRE, Paulo. Política e Educação. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 9a.ed. Rio Janeiro: Paz e Terra, 1981.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. 10a.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da História ensinada. São Paulo: Papirus, 1995.

FONSECA, Thais Nivia de Lima. História e ensino de História. São Paulo: Autêntica, 2003.

GADOTTI, Moacir.; ROMÃO, José E. Educação de Jovens e adultos: teoria, prática e proposta. 4a.ed. São Paulo: Cortez, 2000.

GERMANO, José Willington. Estado militar e educação no Brasil 1964-1985. 2a.ed. São Paulo: Cortez, 199

GOHN, Maria da Glória. Educação Popular na América Latina no novo milênio: impactos do novo paradigma. In; Revista Educação temática digital. Campinas, v.04, n. 01, p.53-77, dez. 2002.

HOFLING, Maria Arlete Z. As páginas de História. In: Cadernos Cedes, v. 23, n. 60, p.179-188, agosto, 2003.

KUENZER, Acácia Z. A formação dos profissionais da educação: proposta de diretrizes curriculares nacionais. In: Educação Brasileira, Brasília, v.21, n,42, p.145-167, jan./jun. 1999.

LENSKIJ, Tatiana.; HELFER, Nadir Emma. A memória e o ensino de História. Santa Cruz do Sul: ANPUH/RS, 2000.

LÜDKE, Menga. O professor e a pesquisa. Campinas: Papirus, 2001.

MARTINS, Maria do Carmo. A História pensada e disciplinada nos currículos escolares: quem legitima esses saberes? Campinas: Unicamp, 2000.

MELO, Adriana Almeida Sales. Educação e hegemonia na América Latina hoje: projetos de sociedade e educação nos anos 90: Brasil, Argentina, Chile e Venezuela. In: Revista Online Biblioteca Joel Martins. Campinas, SP, v. 02, n.1, out. 2000.

NEVES, Joana. A formação do professor de História no Brasil. In: Educação e História no Brasil contemporâneo. João Pessoa: Editora universitária, 2002.

NEVES, Joana. Educação no Brasil: o que há de novo? In: Contra o consenso: LDB, DCN, PCN e reformas no ensino. João Pessoa: ANPUH/PB, 2000.

NEVES, Joana. Perspectiva do ensino de História: desafio político educacional e historiográfico. In: In: Contra o consenso: LDB, DCN, PCN e reformas no ensino. João Pessoa: ANPUH/PB, 2000.

NÓVOA, Antonio. Formação de professores e profissão docente. In: Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

PINSKY, Jaime.; PINSKY, Carla B. O que e como ensinar: por uma História prazerosa e consequentes.In: História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2003.

RODRIGUES, Janine M.C. Construindo a profissionalização docente. João Pessoa: Editora universitária, 2003.

SAVIANI, Dermeval. Ensino público e algumas falas sobre universidade. 2 a.ed. São Paulo: Cortez, 1985.

STEPAHANOU, Maria. Instaurando maneiras de ser, conhecer e interpretar. In: Revista Brasileira de História. São Paulo, vol. 18, n. 36 1998.

Downloads

Como Citar

SANTOS, J. M. C. T.; ARAÚJO, P. C. de A. Formação do professor-historiador e cotidiano escolar: aproximações freireanas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 46, p. 161–172, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i46.8640078. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640078. Acesso em: 18 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos