Banner Portal
O curso fundamental da reforma Francisco Campos: um olhar sob as instruções pedagógicas do programa de matemática de 1931
PDF

Palavras-chave

Reforma Francisco Campos. Ensino secundário. Matemática

Como Citar

SOUZA, Suely Cristina Silva. O curso fundamental da reforma Francisco Campos: um olhar sob as instruções pedagógicas do programa de matemática de 1931. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 46, p. 325–346, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i46.8640089. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640089. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

O presente trabalho tem por fim apresentar o programa de Matemática do CursoFundamental e suas Instruções Pedagógicas durante ação da Reforma Francisco Camposno ano de 1931. Tratando-se do estudo de uma disciplina escolar, a investigação foi frutode uma pesquisa desenvolvida no Núcleo de Pós-Graduação em Educação, daUniversidade Federal de Sergipe e obteve auxílio financeiro da Fundação de Apoio àPesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC/SE). Como resultado,verificou-se que o programa de Matemática implementado pela Reforma FranciscoCampos, na aplicação dos seus conteúdos, interagia entre seus ramos, de forma paulatinaaté a 5ª série, atingindo um conjunto. Quanto às instruções pedagógicas, as mesmas foramdescritas de forma geral e sem exemplos práticos sobre a fusão das Matemáticas, contudose apresentavam diferentes daquelas que foram inseridas nos programas do Colégio PedroII, nos anos de 1929 e 1930.
https://doi.org/10.20396/rho.v12i46.8640089
PDF

Referências

ALVAREZ, Tana Giannassi. A Matemática da Reforma Francisco Campos em ação no cotidiano escolar. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). PUC/SP. São Paulo, 2004.

BITTENCOURT, Circe Fernandes. Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004.

BOURDIEU, Pierre. Pierre Bourdieu: sociologia. ORTIZ, Renato Organizador (da coletânea), São Paulo: Ática, 1983.

BRASIL. Decreto no. 19.890. Rio de Janeiro, 18 de abril de 1931: Dispõe sobre a organização do ensino secundário. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/ acessado em 01/02/2009.

BRASIL. Decreto no. 21.241. Rio de Janeiro, 4 de abril de 1932: consolida as disposições sobre a organização do ensino secundário e deliberou outras providências.Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/ acessado em 01/02/2009.

BRASIL. Decreto no. 19.890, de 18 de abril de 1931 – Exposição de Motivos. Rio de Janeiro, 10 de abril de 1931. A matemática do Ginásio: livros didáticos e as reformas Campos e Capanema. São Paulo: GHEMAT, CD-ROM, 2005.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. In: Teoria e Educação, n. 2, 1990, p.177-229.

DASSIE, Bruno Alves. A matemática do curso secundário na Reforma Gustavo Capanema. Dissertação (Mestrado em Matemática Aplicada). PUC/RJ. Rio de Janeiro, 2001.

HORTA, José Silvério Baia. O hino, o sermão e a ordem do dia: regime autoritário e a educação no Brasil (1930-1945). Rio de janeiro: Editora UFRJ, 1994.

MIRANDA, Marilena Moussa. A experiência norte-americana de fusão da Aritmética, Álgebra e Geometria e sua apropriação pela educação matemática brasileira. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de são Paulo. São Paulo, 2003.

MORAES, Maria Célia Marcondes de. Francisco Luís da Silva Campos. In: FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque; BRITTO, Jader de Medeiros (orgs.). Dicionário de educadores no Brasil: da Colônia aos dias atuais. Rio de Janeiro: UFRJ/MEC-INEP, 2002, p. 195- 200.

MOREIRA, Antônio Flavio Barbosa. Currículos e Programas no Brasil. Campinas: Papirus, 1990.

NUNES, Clarice. O “velho” e “bom” ensino secundário: momentos decisivos. In: SAVIANI, Dermeval; CUNHA, Luiz Antônio. CARVALHO, Maria Marta Chagas de (orgs.). Revista Brasileira de Educação - 500 anos de Educação Escolar. Campinas: Autores Associados/ANPED, no. 14, mai/jun/jul/ago, 2000, p. 35-60.

OTONE E SILVA, Maryneusa Cordeiro A Matemática do Curso Complementar da Reforma Francisco Campos. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). PUC/SP. São Paulo, 2006.

ROCHA, José Lourenço da. A Matemática do curso secundário na Reforma Francisco Campos. Dissertação (Mestrado em Matemática). PUC/ RJ. Rio de Janeiro, 2001.

SAVIANI, Dermeval; ALMEIDA, Jane Soares de; SOUZA, Rosa Fátima de. VALDEMARIN, Vera Teresa. O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2004.

SILVA, Geraldo Bastos. A educação secundária: perspectiva histórica e teoria. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1969.

SOUZA, Rosa Fátima de. História da organização do trabalho escolar e do currículo no Século XX: (ensino primário e secundário no Brasil). São Paulo: Editora Cortez, 2008.

TAVARES, Jane Cardote. A Congregação do Colégio Pedro II e os debates sobre o ensino de matemática. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). PUC/SP. São Paulo, 2002.

VALENTE, Wagner Rodrigues. A disciplina matemática: etapas históricas de um saber escolar no Brasil. In: OLIVEIRA, Marcus Aurélio Taborda, RANZI, Serlei Maria Fischer (org). História das disciplinas escolares: contribuições para o debate. Bragança Paulista: EDUSF, 2003, p. 217-254.

VALENTE, Wagner Rodrigues. Euclides roxo e a modernização do ensino da matemática no Brasil. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2004a.

VALENTE, Wagner Rodrigues. O nascimento do ginásio. São Paulo: Annablume: FAPESP, 2004b.

VECHIA, Ariclê. LORENZ, Karl Lorenz. Programa de ensino da escola secundária brasileira: 1850-1951. VECHIA, Ariclê. LORENZ, Karl Lorenz (org). Curitiba: Ed. do Autor, 1998.

VEIGA, Cynthia Greive. História da Educação. São Paulo: Ática, 2007.

WARDE, Mirian Jorge. Americanismo e Educação: a fabricação do “homem novo”. Projeto de Pesquisa. PUC/SP, 2000- atual, p. 1-23.

WERNECK, Arlete P. Terra. Euclides Roxo e a Reforma Francisco Campos: a gênese do primeiro programa de ensino de matemática brasileiro. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). PUC/SP. São Paulo, 2003.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.