A atualidade do pensamento rousseauniano

  • Luciane Neuvald Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO
Palavras-chave: Educação. Rousseau. Moralidade

Resumo

Este ensaio se fundamenta principalmente na obra de Rousseau, Emílio, ou, Da Educação, e nas produções teóricas dos intérpretes desse autor. Objetiva encontrar elementos que expressam a contemporaneidade do pensamento rousseauniano e suas contribuições para a educação atual. Para tanto, num primeiro momento, faz-se uma contextualização do pensamento de Rousseau, compreendendo-o a partir de alguns de seus intérpretes. Em seguida, trabalha-se os conceitos de homem, moralidade, e educação, contidos no Emílio. Por último, a título de considerações finais, pontua-se algumas problemáticas contemporâneas, à luz do pensamento rousseauniano: a da supervalorização do desejo e do caráter extrínseco por ele assumido, que imobiliza a consciência – guia interior; a do homem que se conserva anulando sua individualidade e aderindo ao coletivo; e a da dificuldade para sentir a vida diante da dormência dos sentidos provocada pelas novas tecnologias.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane Neuvald, Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO
Professora adjunta do Departamento de Pedagogia da Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO - Guarapuava PR

Referências

BARROS, Roque Spencer Maciel de. Ensaios sobre Educação. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Editorial Grijalbo Ltda, 1971.

BOTO, Carlota. A invenção do Emílio como conjectura: opção metodológica da escrita de Rousseau. Educação e Pesquisa, São Paulo, n. 1, 2010, p. 207-225. Disponível em www.scielo.br/pdf/ep/v36n1/a02v36n1.pdf. Acesso em: 16 agosto 2012.

COSTA, Edgar Rogério da. A questão da sociabilidade em Rousseau. I Colóquio Rousseau: Verdades e Mentiras, Araraquara, 2004. Disponível em: edgarrogerio.net/arquivos/aura.pdf. Acesso em: 15 junho 2012.

DALBOSCO, Claudio Almir. Paradoxos da educação natural no Émile de Rousseau: os cuidados do adulto. Revista Educação e Sociedade, Campinas, n. 106, 2009, p. 175-193. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 16 agosto 2012.

DURÃO, F. A. A superprodução semiótica: caracterização e implicações estéticas. In: DURÃO, F. A; ZUIN, A; VAZ, A. F (Orgs.) A indústria cultural hoje. São Paulo: Boitempo, 2008, p.39-48.

ESPÍNDOLA, Arlei de. O paradoxo da sociabilidade na reflexão de Rousseau. Cadernos de Ética e Filosofia Política, São Paulo, n. 16, 2010, p. 35-56. www.fflch.usp.br/df/cefp/Cefp16/espindola.pdf. Acesso em: 15 junho 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Júlia ou A Nova Heloísa. São Paulo: Hucitec, 1994.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio, ou, Da educação. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Porto Alegre: L&PM POCKET, 2012.

PAIVA, Wilson Alves de. Homem e cidadão na obra pedagógica de Rousseau. Revista Estudos Filosóficos, São João del-Rei, n. 4, 2010, p. 97-118. Disponível em www.ufpel.edu.br/fae/caduc/downloads/n31/09.pdf. Acesso em: 16 agosto 2012.

STAROBINSKI, Jean. Jean-Jacques Rousseau: a transparência e o obstáculo. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

STRECK, Danilo. Rousseau & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

TÜRCKE, Christoph. Hipertexto. In: DURÃO, F. A; ZUIN, A; VAZ, A. F (Orgs.) A indústria cultural hoje. São Paulo: Boitempo, 2008, p. 29-48.

TÜRCKE, Christoph. Sociedade Excitada: filosofia da sensação. Campinas: Editora UNICAMP, 2010.

ZUIN, A. Necrocan e a indústria cultural. In: DURÃO, F. A; ZUIN, A; VAZ, A. F (Orgs.) A indústria cultural hoje. São Paulo: Boitempo, 2008, p. 49-61.

Publicado
2014-03-22
Como Citar
Neuvald, L. (2014). A atualidade do pensamento rousseauniano. Revista HISTEDBR On-Line, 13(54), 15-27. https://doi.org/10.20396/rho.v13i54.8640165
Seção
Artigos