Instrução e arte na escola primária do Paraná no oitocentos: proposições e efetivações (1870-1880)

Autores

  • Etienne Baldez Louzada Barbosa Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i58.8640385

Palavras-chave:

Instrução pública primária. Ensino de arte. Inspeção do ensino. Paraná

Resumo

O Paraná surge como província, oficialmente, em dezembro de 1853 e, desde então, reorganizou a estrutura administrativa, incluindo nessa a instrução pública primária, que ficou sob responsabilidade da inspeção do ensino. O foco se volta para os sujeitos que estavam no topo da direção da instrução – inspetores/diretores e presidentes da província – com o intuito de identificar, nos relatos por eles deixados, o que era proposto para o ensino de arte nas escolas públicas primárias. A historiografia que se volta para tal ensino no século XIX tem demonstrado que este era entendido como o ensino de desenho geométrico. No Paraná tal perspectiva pode também ser confirmada com a circulação de compêndios didáticos de desenho geométrico, como o de Abílio César Borges. Todavia, a hipótese aqui traçada é a de que havia proposições para o ensino artístico, para além do desenho geométrico. As fontes que permitem tal procedimento são revistas periódicas, jornais e os relatórios dos inspetores/diretores gerais de instrução pública, disponibilizados no acervo da Biblioteca Nacional (RJ), no Museu Paranaense (PR) e no Arquivo Público do Paraná.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Etienne Baldez Louzada Barbosa, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Educação, pela Universidade Federal do Paraná, na linha de História e Historiografia da Educação, com previsão de conclusão em dezembro de 2016.

Referências

AGASSIZ, Jean Louis Rodolf, 1807-1873. Viagem ao Brasil 1865-1866/ Louis e Elisabeth CaryAgassiz; tradução e notas de Edgar Sussekind de Mendonça – Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2000. 516p. – (Coleção O Brasil visto por estrangeiros)

ALMEIDA, Renato. História da Música Brasileira. 2a ed. Rio de Janeiro: F. Briguiet, 1942.

ALMEIDA, Vasti de Souza. Brazílio Itiberê da Cunha: diplomata músico. Curitiba: Editora da UFPR, 2001.

ASCIUTTI, Monica Maria Rinaldi. Um lugar para o periódico O Novo Mundo (Nova Iorque, 1870-1879). Dissertação (Mestre em Letras). Universidade de São Paulo, 2010.

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Arte-educação no Brasil: das origens ao modernismo. São Paulo: Perspectiva, 1978.

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Arte-educação: Conflitos/Acertos. São Paulo: Max Limonad, 1984.

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. Arte-Educação Contemporânea ou Culturalista. Anais do XV Congresso Nacional da Federação de Arte-Educação do Brasil. Brasília, dez, 2006.

BARBOSA, Etienne B. L. Uma teia de ações no processo de organização da inspeção do ensino no Paraná (1854-1883). Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Paraná, 2012.

BATISTA, Antonio Augusto Gomes. Um objeto variável: textos, impressos e livros didáticos. In: ABREU, Márcia (org). Leitura, história e história da leitura. Campinas, São Paulo: Associação de Leitura do Brasil: Fapesp, 1999.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Livro didático e conhecimento histórico: uma história do saber escolar. Tese de Doutorado em História. USP, 1993.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Livro Didático e saber escolar (1810-1910). São Paulo: Autêntica Editora, 2008.

CAMPOS, G. V. de. O literário e o não-literário nos textos e imagens do periódico ilustrado O Novo Mundo (Nova Iorque, 1870 – 1879). Dissertação (Mestrado em Teoria Literária) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

CHARTIER, Roger. A História Hoje: dúvidas, desafios, propostas. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol7 n. 13, 1994, p. 97-113.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. Editora UNESP, São Paulo, 1997.

CHERVEL, André. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, 2, 1990.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros: verdadeiro, falso, fictício. Tradução de Rosa Freire d’Aguiar e Eduardo Brandão. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GONDRA, José Gonçalves. SAMPAIO, Thiago. Ciência pela força? Dr. Abílio Cesar Borges e a propaganda contra o emprego da palmatória e outros meios aviltantes no ensino da mocidade (1856-1876).ActaScientiarum. Education Maringá, v. 32, n. 1, p. 75-82, 2010.

MASSIN, Jean. MASSIN, Brigitte. História da Música Ocidental. Nova Fronteira: Rio de Janeiro, 1997.

NICOLAS, Maria. Cem Anos de Vida Parlamentar... Deputados provinciais e estaduais do Paraná. Assembleias Legislativas e Constituintes (1854-1954). Assembleia Legislativa: Curitiba, Paraná, 1954.

OSINSKI, Dulce Regina Baggio. Arte, história e ensino: uma trajetória. 2a ed. São Paulo: Cortez, 2002.

PALLARES-BURKE, Maria Lúcia. A imprensa periódica como empresa educativa no século XIX. Caderno de Pesquisa, 1998, p.144-161.

SILVA, Elza Miné da Rocha e. O Novo Mundo 1870 – 1879, Da Enunciação da Proposta às Suas Revisitações. Tese (Livre-Docência em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1991.

SOARES, Flávia dos Santos. Por dentro da Escola Normal da Corte: programas, compêndios e professores de Matemática. In: Anais da 34a reunião anual da ANPED, GT 19 (Educação Matemática), 2011.

THISTLEWOOD, David. A história da ideia de utilidade social na educação da arte e do design na Inglaterra. In: BARBOSA, Ana Mae. História da Arte-Educação. A experiência de Brasília. I Simpósio Internacional de História da Arte-Educação – ECA – USP. São Paulo: Max Limonad, 1986.

TOLLE, Oliver. Luz Estética: a ciência do sensível de Baumgarten entre a arte e a iluminação. Tese (Doutorado em Filosofia). Universidade de São Paulo, 2007.

TRINCHÃO, Gláucia. O conhecimento em desenho das escolas primárias imperiais brasileiras: o livro de desenho de Abílio César Borges. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, no23, p.125-147, set/dez, 2007.

VALDEZ, Diane. A representação de infância nas obras pedagógicas do Dr. Abílio César Borges: o barão de Macahubas (1856-1891). Tese de Doutorado em Educação. Universidade Estadual de Campinas, 2006.

VALDEZ, Diane. Livros de leitura seriados para a infância: fontes para a história da educação nacional (1866-1930). Linhas (Revista do Programa de Mestrado em Educação e Cultura), Florianópolis, ano 5, no 2, p.219-241, jul. 2004.

Downloads

Publicado

2015-01-29

Como Citar

BARBOSA, E. B. L. Instrução e arte na escola primária do Paraná no oitocentos: proposições e efetivações (1870-1880). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 58, p. 151–166, 2015. DOI: 10.20396/rho.v14i58.8640385. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640385. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos