Educação escolar e trabalho: desmistificando sua propalada integração

Autores

  • Anselmo Alencar Colares Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA
  • Marco Antônio de Oliveira Gomes Universidade Federal Rondônia/UNIR
  • Maria Lília Imbiriba Sousa Colares Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i57.8640410

Palavras-chave:

Reestruturação produtiva. Integração social. Estado

Resumo

O presente texto analisaas determinações mais amplas que constituem e configuram as transformações do mundo do trabalho eo contexto socioeconômico e ideológico que permeiam as mudanças concernentesà educação escolar em suas relações com o trabalho. Objetiva situar os limites materiais de integração por meio da escola dentro de uma realidade material marcada pelos antagonismos de classe em que o capital se apropria do conhecimento como um dos instrumentos de dominação.À luz da crítica marxista, tomamos como parâmetros de nossas reflexões os trabalhos de Antunes (1995; 2011), Hobsbawm (1995), Saviani (2006; 2008) Cardozo (2008), Castanho (2003), entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anselmo Alencar Colares, Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA. Doutor e Pós-Doutor em Educação pela UNICAMP. Épesquisador vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas História, Educação e Sociedade no Brasil –HISTEDBRUFOPA. E-mail: anselmo.colares@ufopa.edu.br

Marco Antônio de Oliveira Gomes, Universidade Federal Rondônia/UNIR

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal Rondônia/UNIR. Doutor em Educação pela UNICAMP. É pesquisador vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas História, Educação e Sociedade no Brasil – HISTEDBR/UNIR. E-mail: marcooliveiragomes@yahoo.com.br

Maria Lília Imbiriba Sousa Colares, Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA

Docente e Coordenadora Adjuntado Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA. Doutora e Pós-Doutora em Educação pela UNICAMP. É pesquisadora vinculada ao Grupo de Estudos e Pesquisas História, Educação e Sociedade no Brasil – HISTEDBR/UFOPA. Diretora da ANPAE Seção Pará e Coordenadora institucional da Escola de Gestores UFOPA E-mail: lilia.colares@hotmail.com

Referências

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho - ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 1999.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo: Cortez, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM): bases legais. Brasília:Secretária de Educação Média e Tecnológica, 2000. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf. Data de acesso: 02/03/2014.

BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1974.

CARDOZO, M. P. B. A produção flexível e a formação do trabalhador: o modelo da competência e o discurso da empregabilidade. In: SOUZA, A. de. Trabalho, capital mundial e formação de trabalhadores. Fortaleza: Editora Senac Ceará; Edições UFC, 2008.

CASTANHO, S. E. M.A formação do professor na sociedade da informação. In: LOMBARDI, J. C. Temas de pesquisa em educação. Campinas: Autores Associados, 2003.

DUARTE, Newton; SAVIANI, Dermeval. Prefácio. In. SAVIANI, Dermeval; DUARTE, Newton. Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2012.

FRIGOTTO, G. Estruturas e sujeitos e os fundamentos da relação trabalho e educação. In.LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J. L. (Orgs.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas: Autores Associados, HISTEDBR, 2002.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. São Paulo: Cortez, 2010.

FRIGOTTO, G. Apresentação. In: FRIGOTTO, G.; ARRUDA, M.; ARROYO, M.; NOSELLA, P. Trabalho e conhecimento: dilemas na educação do trabalhador. São Paulo: Cortez, 2012.

GENTILI, P.. Três teses sobre a relação trabalho e educação em tempos neoliberais. In: LOMBARDI, J. C. SAVIANI, D. SANFELICE, J. L.Capitalismo, trabalho e educação.São Paulo: Autores associados, 2004.

HOBSBAWM, E.Era dos extremos: o breve século XX. (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

KUENZER, A. Z. Pedagogia da fábrica: as relações de produção e a educação do trabalhador. São Paulo: Cortez, 2011.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. 2a ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985 (Coleção Os Economistas)

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, K.; ENGELS, F. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

NÓBREGA, M. Anticapitalismo e outras esquisitices. O Estado de São Paulo, 21/1022007. Disponível em http://www.mailsondanobrega.com.br/detalheArtigo.php?ParentID=91 Data de acesso: 02/03/2014.

NÓBREGA, M. Capitalismo: êxito ou fracasso? Veja, 10/07/2013. Disponível em http://www.mailsondanobrega.com.br/detalheArtigo.php?ParentID=281 Data de acesso: 03/03/2013.

PASTORE, J. Sem educação não há salvação. O Estado de São Paulo, 24/04/2012.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-critica: primeiras aproximações. Campinas, S.P.: Autores associados, 2008.

SAVIANI, D. O legado educacional do “longo século XX” brasileiro. In: SAVIANI, D.; ALMEIDA, J. S. de.; SOUZA, R. F.; VALDEMARIN, V. T. O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2006.

SILVA, K.; SILVA, M. H. Dicionário de conceitos históricos. São Paulo: Contexto, 2005

OIT. Progressos no emprego juvenil foram cancelados por recuperação muito lenta, diz a OIT. Disponível em http://www.oitbrasil.org.br/content/progressos-no-emprego-juvenil-foram-cancelados-por-recuperacao-muito-lenta-diz-oit Acesso em 02/03/2014

Downloads

Como Citar

COLARES, A. A.; GOMES, M. A. de O.; COLARES, M. L. I. S. Educação escolar e trabalho: desmistificando sua propalada integração. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 57, p. 165–179, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i57.8640410. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640410. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>