O Instituto de Organização Racional do Trabalho - IDORT, como instituição educacional nas décadas de 1930 e 1940 no Brasil

Autores

  • Eraldo Leme Batista UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v15i63.8641170

Palavras-chave:

Educação profissional. Racionalização. Taylorismo

Resumo

O Instituto de Organização Racional do Trabalho, foi criado em 1931, centralizando as discussões do projeto industrial para o país, bem como as discussões sobre as proposta para a educação profissional, que deveria se pensada na perspectiva da formação de novo trabalhador, para um industria em processo de crescimento. Defendemos a tese de que este instituto empresarial tornou-se também uma instituição educacional por excelência, pois formulava, divulgava e defendia teses referentes à educação e educação profissional. Tese fundamental para entendermos este período histórico e a questão da educação, pois a historiografia até o presente momento, não considerava esta organização como sendo educacional, mas apenas industrial o que deixava uma lacuna na historiografia, pois escolanovistas como Lourenço Filho, Fernando Azevedo, Noemy Silveira e professores da escola politécnica de São Paulo, foram fundadores do IDORT e articuladores do pensamento educacional no interior desta instituição, contando com apoio e contribuição de Roberto Mange, engenheiro e professor responsável pela elaboração de projetos voltados para a formação de trabalhadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eraldo Leme Batista, UNICAMP

Doutor em Educação pela Unicamp. Professor do colegiado de pedagogia da UNIOESTE, Campus de Cascavel, PR. Pós-doutorando em educação pela UNIOESTE, com bolsa pesquisa Capes.

Referências

AZEVEDO, F. A educação na encruzilhada. São Paulo: Melhoramentos, 1957.

BRYAN, N. A. P. Educação, processo de trabalho, desenvolvimento econômico. Campinas: Alínea, 2008.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios artesanais e manufatureiros no Brasil escravocrata. São Paulo: UNESP, 2005a.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: UNESP, 2005b.

CUNHA, L. A. O ensino industrial na irradiação do industrialismo. São Paulo: UNESP, 2005c.

REVISTA IDORT. Pela cooperação: a guerra econômica e o Instituto de Organização Racional do Trabalho de São Paulo, n. 2, p. 1-2-, fev. 1932.

MÜLLER, M. T. A lousa e o torno: a escola SENAI Roberto Mange de Campinas. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, UNICAMP, Campinas, 2009.

MONARCHA, C. A reinvenção da cidade e da multidão. Dimensões da modernidade brasileira: a Escola Nova. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1990.

PICHELI, V. O IDORT enquanto proposta educacional no contexto de formação da hegemonia burguesa no Brasil (1930-1944). Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, UNICAMP, Campinas, 1997.

ROMANELLI, O. O. História da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Vozes, 2006.

SEGNINI, L. R. P. Taylorismo: uma análise crítica. In: BRUNO, L. Organização, trabalho e tecnologia. São Paulo: Atlas, 1986.

SENAI. De homens e máquinas: Roberto Mange e a formação profissional. São Paulo, SENAI, 1991.

SENAI. O giz e a graxa: meio século de educação para o trabalho. Projeto Memória SENAI-SP. São Paulo: SENAI, 1992.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M. C. M; EVANGELISTA, O. Política educacional. Rio de Janeiro: Lamparina, 2004.

SOUZA, E. G. de. Relação trabalho-educação e questão social no Brasil: uma leitura do pensamento pedagógico da Confederação Nacional da Indústria – CNI (1930-2000). Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, UNICAMP, Campinas, 2012.

ZUCCHI, B. B. O programa e os métodos de treinamento profissional do curso de ferroviários da Companhia Sorocabana (São Paulo, Década de 1930). Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontíficia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

WEINSTEIN, B. (Re)formação da classe trabalhadora no Brasil, 1920-1964. São Paulo: Cortez; CDAPH-IFAN, 2000.

Downloads

Publicado

2015-10-03

Como Citar

BATISTA, E. L. O Instituto de Organização Racional do Trabalho - IDORT, como instituição educacional nas décadas de 1930 e 1940 no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 63, p. 33–44, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i63.8641170. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641170. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)