A educação escolar de adolescentes e o conceito de condução da vida

  • Ricardo Eleutério Anjos UNESP E UNOESTE
Palavras-chave: Adolescência. Educação escolar. Individualidade para-si. Condução da vida

Resumo

A partir da aproximação entre a psicologia histórico-cultural e a teoria filosófica ontológica da formação da individualidade para-si, este artigo apresenta o papel da educação escolar no desenvolvimento da capacidade do adolescente conduzir, de forma consciente, sua vida cotidiana. Este trabalho defenderá que a apropriação, por parte do adolescente, das objetivações genéricas para-si, como a ciência, a arte e a filosofia, possibilita a formação de novas funções psicológicas superiores, desenvolvendo o autodomínio da conduta e a estruturação da personalidade e da concepção de mundo nessa idade de transição. Isso significa que o adolescente pode aprender a hierarquizar, de maneira consciente, suas atividades da vida cotidiana, isto é, desenvolve-se a capacidade de condução da vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Eleutério Anjos, UNESP E UNOESTE
Possui graduação em psicologia pela Fundação Educacional Araçatuba - FEA. Mestrado em Educação Escolar (com pesquisa no campo da Psicologia da Educação) pela UNESP/Araraquara, onde recebeu bolsa da CAPES. Doutorado em Educação Escolar em andamento (com pesquisa no campo da Psicologia da Educação) pela UNESP/Araraquara, sob orientação do Prof. Dr. Newton Duarte e coorientação da Profa. Dra. Lígia Márcia Martins. Integrante do Grupo de Pesquisa cadastrado no CNPq com o título: Estudos Marxistas em Educação, ligado ao Departamento de Psicologia da Educação da UNESP/Araraquara. Atualmente é professor de psicologia com ênfase nas disciplinas ligadas à Psicologia Escolar e Educacional, Psicologia do Desenvolvimento e Teorias da Aprendizagem na UNOESTE, UNIP/Araçatuba e FATEB/Birigui (1 Lugar no Concurso Público de Provas e Títulos da Fundação Municipal de Ensino, Edital n 02/2013). Com base nos referenciais teóricos da Psicologia Histórico-Cultural e da Pedagogia Histórico-Crítica, realiza pesquisas em Psicologia Escolar e Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: Periodização do Desenvolvimento Psicológico; A Relação entre Educação Escolar e Desenvolvimento Psíquico e; O Papel da Educação Escolar no Desenvolvimento da Personalidade.

Referências

DAVÍDOV, V.; MÁRCOVA, A. El desarrollo del pensamiento en la edad escolar. In: DAVÍDOV, V.; SHUARE, M. La psicología evolutiva y pedagógica en la URSS: Antología. Moscú: Editorial Progreso, 1987. p. 173-193.

DUARTE, N. A individualidade para-si: contribuição a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas, SP: Autores Associados, 1993. (Coleção contemporânea).

DUARTE, N. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de vigotski. Campinas: Autores Associados, 1996. (coleção polêmicas do nosso tempo; v. 55).

DUARTE, N. A anatomia do homem é a chave da anatomia do macaco: A dialética em Vigotski e em Marx e a questão do saber objetivo na educação escolar. Educação & Sociedade, ano XXI, no 71, p. 79-115, Julho/2000.

HELLER, A. Sociología de la vida cotidiana. Barcelona: Ediciones Península, 1991.

HELLER, A. Instinto, agresividad y carácter. 2. ed. Barcelona: Ediciones Península, 1994. p. 39-47.

HELLER, A. Estrutura da vida cotidiana. In: HELLER, A. O cotidiano e a história. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004. p. 41.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Editora Expressão Popular, 2008.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Tomo I. Madri: Visor e MEC, 1991.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Tomo II. Madri: A. Machado Libros, S. A., 2001.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Tomo III. Madrid: Visor, 1995.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas. Tomo IV. Madri: Visor, 1996.

Publicado
2015-10-03
Como Citar
Anjos, R. E. (2015). A educação escolar de adolescentes e o conceito de condução da vida. Revista HISTEDBR On-Line, 15(63), 109-121. https://doi.org/10.20396/rho.v15i63.8641174
Seção
Artigos