Processo histórico de elaboração dos documentos curriculares para a educação física na rede pública municipal de ensino de Campo Grande – MS

  • Jorge Luis D'Avila Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Christiane Caetano Martins Fernandes Secretaria de Educação de Campo Grande
Palavras-chave: Documentos curriculares. Educação física. Rede de ensino.

Resumo

Este artigo resulta de uma pesquisa bibliográfica e documental e tem como objetivo apresentar o processo histórico de elaboração dos documentos curriculares para a Educação Física na rede pública municipal de ensino de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, destacando aspectos relevantes para compreender o pensamento ideológico assumido pela rede em questão. Para tanto recorremos ao método materialismo histórico dialético verificando assim, que as propostas curriculares para a Educação Física foram elaboradas para atender as exigências impostas pelo capital no que se refere a uma formação básica para o mercado de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Luis D'Avila, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Doutor em Educação - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Mestre em Educação - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul UFMS. Graduado em Educação Física pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul UFMS. Professor Adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - LEDUCAMPO - CCHS.
Christiane Caetano Martins Fernandes, Secretaria de Educação de Campo Grande
Mestre em Educação (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), atualmente acadêmica do Curso de Doutorado no mesmo Programa, vinculada a Linha de Pesquisa Escola, Cultura e Disciplinas Escolares. Licenciada em Educação Física pela UFMS (1998) e em Pedagogia (2016) pela Universidade para o Desenvolvimento da Região do Pantanal (UNIDERP). Especialista em Coordenação do Trabalho Pedagógico na Escola: ênfase na Gestão Pedagógica e Inspeção (2010) pelo Instituto de Ensino Superior da FUNLEC. Professora efetiva da Educação Básica, na área de Educação Física, na Rede Municipal de Ensino de Campo Grande/MS. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Observatório de Cultura Escolar (OCE). Experiência em Tutoria a distância no Curso de Educação Física da EaD da UFMS.

Referências

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física/ Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Brasília, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro07.pdf. Acesso em 17 de mar. de 2016.

BRASIL. República Federativa do. Lei n. 9.394, 20.12.1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 17 de mar. de 2016.

BRASIL. República Federativa do. Lei no 10.328, 12.12.2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10328.htm. Acesso em 17 de jan. de 2015. Acesso em 17 de mar. de 2016.

BRASIL. República Federativa do. Lei no 10.793, 01.12.2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.793.htm. Acesso em 17 de mar. de 2016.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Educação. Alternativas Curriculares. Campo Grande: Prefeitura Municipal de Campo Grande, 1990.

CAMPO GRANDE. Sequencia didática. Campo Grande: Prefeitura Municipal de Campo Grande, 2000.

CAMPO GRANDE. Diretrizes curriculares do ensino fundamental. Campo Grande: Prefeitura Municipal, 2003.

CAMPO GRANDE. Referencial curricular da Rede Municipal de Ensino do 1o ao 9o ano. Campo Grande: Prefeitura Municipal, 2008

CASTELLANI FILHO. L. Projeto reorganização da trajetória escolar no ensino fundamental: uma proposta pedagógica para a educação física. Revista da EDUCAÇÃO FÍSICA/UEM 8(1): 11-19,1997. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/viewFile/3867/2693. Acesso em 24 de mar. de 2016.

CAPARROZ, Francisco Eduardo. Entre a educação física na escola e a educação física da escola: a educação física como componente curricular. Campinas, SP. Autores Associados, 2007.

DAOLIO, J. Educação Física Brasileira: autores e atores da década de 1980.Campinas, SP: Papirus, 1998.

DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. Educação Física na Escola: Implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

DARIDO, S. C. Os conteúdos da Educação Física escolar: influências, tendências, dificuldades e possibilidades. Perspectivas em Educação Física Escolar, Niterói, v. 2, n. 1 (suplemento), 2001. Disponível em: http://pt.scribd.com/doc/70073429/Os-Conteudos-Da-Educacao-Fisica-Escolar-Influencias-Tendencias-Dificuldades-e-Possibilidades#scribd. Acesso em: 24 de mar. de 2016.

GONÇALVES, M. A. S. Sentir, pensar, agir: corporeidade e educação. Campinas, SP: Papirus, 1994.

GOODSON, I. Currículo: teoria e história. 9. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

KUNZ, E. Transformação didático-pedagógica do Esporte. Ijuí: Unijuí, 2003.

NEVES, L. M. W e SANT‟ANNA, R. Introdução: Gramsci, o Estado Educador e a nova pedagogia da hegemonia. In: NEVES. L. M. W. (Org.) A nova pedagogia da hegemonia – estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

NORONHA, Olinda Maria. Políticas neoliberais, conhecimento e educação. Campinas: Alínea, 2002.

OLIVEIRA. Francisco. O Surgimento do antivalor. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n.22, p. 8-18, 1988.

POCHMANN, Marcio. O Emprego na Globalização: a nova divisão do trabalho e os caminhos que o Brasil escolheu. Boitempo: São Paulo, 2001.

SAVIANI. D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SILVA, F. de C. T. Possibilidades e limites no/do estudo comparado de documentos curriculares: a construção da história curricular no campo da educação especial (1979 e 1999). Anais - VI Congresso Brasileiro da História da Educação 2011. Disponível em: http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe6/anais_vi_cbhe/conteudo/res/trab_1000.htm. Acesso em: 15 de mar. de 2016.

SOARES, C. L. et al. Metodologia do ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

TAFFAREL C. Z., MORSCHBACHER, M. Crítica A Teoria Crítico-Emancipatória: Um Diálogo Com Elenor Kunz A Partir Do Conceito De Emancipação Humana. Corpus et Scientia v. 9, n. 1, p. 45-64, Rio de Janeiro 2013. Disponível em: http://apl.unisuam.edu.br/revistas/index.php/corpusetscientia/article/view/253. Acesso em: 23 fev. 2016.

TONET, I. Cidadania ou Emancipação Humana. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, n. 44, jan. 2005. Disponível em: http://www.espacoacademico.com.br/044/44ctonet.htm. Acesso em: 10 de abril de 2016.

ZIBAS, Dagmar. A reforma do ensino médio nos anos de 1990: o parto da montanha e as novas perspectivas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 28, 2005.

Publicado
2017-02-23
Como Citar
D’Avila, J. L., & Fernandes, C. C. M. (2017). Processo histórico de elaboração dos documentos curriculares para a educação física na rede pública municipal de ensino de Campo Grande – MS. Revista HISTEDBR On-Line, 16(69), 150-161. https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8645213
Seção
Artigos