A construção identitária da licenciatura em educação do campo na UFT: perspectivas docentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i71.8645405

Palavras-chave:

Licenciatura em educação do campo. Implantação. UFT. Docentes.

Resumo

A pesquisa aqui apresentada relata o processo de implantação do Curso de Licenciatura em Educação do Campo (LEdoC) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) nos campi de Arraias e Tocantinópolis e os percursos, desafios e práticas de docentes que participaram desse processo. Através da análise das narrativas destes sujeitos, procurou-se identificar as bases legais, epistemológicas e pedagógicas que fundamentam a LEdoC, assim como, a concepção de Educação do Campo que norteia a práxis educativa nos campi. A metodologia utilizada para coleta de dados foi o registro da história oral, que se situa na perspectiva da abordagem qualitativa. Em conformidade com os procedimentos desta abordagem, confeccionou-se um roteiro de entrevistas com questões pré-estabelecidas, no intento de ouvir os docentes sobre seu protagonismo no processo de construção da LEdoC. As entrevistas foram transcritas e incorporadas ao texto para apreender dos relatos, suas trajetórias e percepções sobre o contexto em que atuam. Desvelou-se que o curso privilegia a cidadania e a inclusão social, colocando os sujeitos do campo no processo produtivo com justiça, bem estar social e econômico e que a sua materialização demanda de seus executores novas posturas, frente aos conflitos e enfrentamentos de se colocar os objetivos da Educação do Campo em prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Darlene Araújo Gomes, Secretaria Executiva de Educação do Pará

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Tocantins; Coordenadora Pedagógica na 15ª Regional de Educação- PA.

Idemar Vizolli, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Ciências Naturais pela UNIJUÍ - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1985), graduação em Matemática pela UnC - Universidade do Contestado (1997), Mestrado em Educação pela UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina (2001) e Doutorado em Educação pela UFPR - Universidade Federal do Paraná (2006). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Tocantins, professor e orientador nos Programas de Mestrado Acadêmico em Educação e Profissional em Matemática.

Jocyléia Santana dos Santos, Universidade Federal do Tocantins

Graduação em Historia pela Universidade Católica de Goiás (1991), Mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (1996) e Doutorado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2006).É Avaliadora Institucional e de Curso do MEC/ INEP. Atualmente é professor associado da Fundação Universidade Federal do Tocantins.

Adriana Demite Stephani, Universidade Federal do Tocantins

Possui Licenciatura em Letras e Pedagogia. Especialista em Língua Portuguesa: Métodos e Técnicas de Produção de Textos. Mestrado e Doutorado em Literatura pela Universidade de Brasília (UNB). Atualmente é docente (Adjunto II) do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Tocantins, em Arraias. 

Referências

ALBERTI, Verena. Manual da História Oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2005.

ALMEIDA, Rejane Cleide Medeiros de. Entrevista concedida a D. A.G. Marabá (PA), junho de 2015.

ANTUNES-ROCHA, Maria Isabel; MARTINS, Maria de Fátima Almeida. Diálogo entre a teoria e a prática na Educação do Campo: Tempo Escola/Tempo Comunidade e alternância como princípio metodológico para a organização dos tempos e espaços no Curso de Licenciatura em Educação do Campo. In: MOLINA, Mônica Castagna; SÁ, Laís Mourão (Orgs.). Licenciatura em Educação do Campo: Registros e reflexões a partir das experiências-piloto. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 213- 228.

ARROYO, Miguel Gonzalez. Outros Sujeitos, Outras Pedagogias. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BARBOSA, Anna Izabel Costa. A organização do trabalho pedagógico na Licenciatura em Educação do Campo/UnB: do projeto às emergências e tramas do caminhar. Brasília, 2012. Tese (Doutorado em Educação). – Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

BELLIA, Vitor; DIAS Ricardo Ribeiro (Orgs.). Secretaria do planejamento e Meio Ambiente (SEPLAN). Diretoria de Zoneamento Ecológico-Econômico (DZE). Projeto de Gestão ambiental integrada da região do Bico do Papagaio. Zoneamento ecológico-econômico (ZEE). Análise ambiental e socioeconômica do Norte do Estado do Tocantins. Palmas, SEPLAN/DEZ, 2004. p. 245-6.

BEZERRA NETO, Luiz. Educação do Campo ou Educação no campo? Revista HISTDBR on-line, Campinas, nº 38, p. 150 -168, jun 2010.

BRASIL. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do campo. Resolução CNE/ CEB Nº 1, de 3 de Abril de 2002.

CALDART, Roseli Salete. Licenciatura em educação do campo e projeto formativo: qual o lugar da docência por área? In: MOLINA, Monica Castagna; SÁ, Laís Mourão. (Orgs.). Licenciaturas em educação do campo: registros e reflexões a partir das experiências piloto. Belo Horizonte: Autêntica, 2011, p. 95- 121.

CALDART, Roseli Salete. Expansão das Licenciaturas em Educação do Campo: desafios e potencialidades. Educar em Revista. no. 55. Curitiba: Editora UFPR, jan./mar 2015. p. 145-166.

CONFERÊNCIA. Declaração Final da II Conferência Nacional Por uma Educação Básica do Campo. Luziânia, GO, 2004. (Mimeo).

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. História oral e narrativas: tempo, memória e identidades. VI Encontro Nacional de História Oral (ABHO). Conferência de Abertura. História Oral, 6, 2003, p. 9-25.

FERNANDES, Bernado Mançano; MOLINA, Monica Castagna. O Campo da Educação do Campo. In: MOLINA, Mônica Castagna; JESUS, Sonia Meire Santos Azevedo de. (Orgs.). Por Uma Educação do Campo: contribuições para a construção de um Projeto de Educação do Campo. Brasília: Articulação Nacional “Por uma Educação do Campo”, 2004.

MESSIAS, Noeci Carvalho. Entrevista concedida a D.A.G. Arraias (TO), maio de 2015.

MOLINA, Mônica Castagna. O caminho aberto pelas experiências piloto: limites e possibilidades das Licenciaturas em Educação do Campo. In: MOLINA, Mônica Castagna; SÁ, Laís Mourão (Orgs.). Licenciatura em Educação do Campo. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.p. 343- 355.

MOLINA, Mônica Castagna; SÁ, Laís Mourão. A Licenciatura em Educação do Campo da Universidade de Brasília: estratégias político-pedagógicas na formação de educadores do campo. In: MOLINA, Mônica Castagna. (Orgs.). Licenciatura em Educação do Campo. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 35-61.

OLIVEIRA, Valeska Fortes de. Educação, memória e histórias de vida: usos da história oral. História oral, Recife, v.8, n. 1, p. 92-106. Jan/jun. 2005.

OLIVEIRA, Ubiratan Francisco de. Entrevista concedida a D. A.G. Tocantinópolis (TO), junho de 2015.

PIMENTA, Alessandro Rodrigues. Entrevista concedida a D.A.G. Arraias (TO), maio de 2015.

SANTANA, Ana Carmem. Entrevista concedida a D. A. G. Arraias (TO), maio de 2015.

SANTHIAGO, Ricardo. Da fonte oral à história oral: debates sobre legitimidade. Seculus-Revista de História. Nº 18; João Pessoa, jan/jun. 2008. Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/srh/article/view/11395/6509. Acesso em: 20/05/2015.

SANTOS, Silvanete Pereira. A concepção de alternância na Licenciatura em Educação do Campo na Universidade de Brasília. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação. Universidade de Brasília, 2012.

SANTOS, Clarice Aparecida. Educação do Campo e políticas públicas no Brasil: a instituição de políticas públicas pelo protagonismo dos movimentos sociais do campo na luta pelo direito à educação. 2009. 104 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2009. Disponível em: http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=5168Nosella. Acesso em: 20 de junho de 2015.

SANTOS, Sônia Maria; ARAÚJO, Osmar Ribeiro de. História Oral: Vozes, Narrativas e Textos. Cadernos de História da Educação. n. 6 – Jan/Dez, 2007.

SILVA, Lourdes Helena. As experiências de formação do campo: alternâncias ou alternâncias? Curitiba, PR: CRV, 2012.

TOCANTINS. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação do Campo. Arraias, 2013.

TOCANTINS. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação do Campo. Tocantinópolis, 2013.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: História Oral. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

VIZOLLI, Idemar. Um olhar sobre a Educação do Campo no Estado do Tocantins. Projeto PIBIC– Universidade Federal do Tocantins – Palmas, 2014.

ZANCANELLA, Yolanda. Educação dos povos do campo: os desafios da formação dos educadores. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catariana, Florianópolis, 2007.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

GOMES, D. A.; VIZOLLI, I.; SANTOS, J. S. dos; STEPHANI, A. D. A construção identitária da licenciatura em educação do campo na UFT: perspectivas docentes. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 373–396, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i71.8645405. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8645405. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos