Mitologia afro-baiana: possibilidade de uma prática pedagógica

Autores

  • Nilson Carvalho Crusoé Júnior
  • Nilma Margarida de Castro Crusoé Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Cecília Conceição Moreira Soares Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i67.8646123

Palavras-chave:

Identidade baiana. Mitologia Afro-brasileira. Prática pedagógica

Resumo

Trata-se de um trabalho no qual elenca-se elementos contextuais que podem servir de ferramentas para que professores possam trabalhar com novas abordagens pedagógicas e perspectivas ideológicas distintas das tradicionais. Aponta a valorização do papel simbólico e estético da mitologia em geral, como sendo de importância cabal para a formação de educandos críticos e sensíveis às transformações sociais, no que tange à formação das culturas brasileira e baiana, em especial. Nesses contornos, perceber que o entendimento da mitologia afro-brasileira é essencial, pois formula e instiga vivências históricas daqueles que são herdeiros diretos dos grupos menos favorecidos da nossa sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nilson Carvalho Crusoé Júnior

Doutor e Mestre em História Social – UFBA. Pesquisador do Grupo de Estudos  e Pesquisa em Práticas Educacionais (GEPPE). Professor da Rede Estadual da Bahia e Ex-professor dos cursos de Pós-graduação em Serviço Social e Seguridade Social, e Serviço Social e Saúde - PÓS-GRAD / UNYAHNA; da Academia de Polícia Militar da Bahia; e da Pós -graduação em Gestão de Segurança Pública - UNIME-FETRAB. Contato: crusoejunior@hotmail.com

Nilma Margarida de Castro Crusoé, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutora em Educação -UFRN com Estágio Doutoral na Universidade de Coimbra, Portugal. É pesquisadora e professora Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB. Desenvolve pesquisa, ensino e extensão na área de Prática Pedagógica em espaços educacionais. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Pratica Pedagógica em Espaços Educacionais (GEPPE), e do Comitê Editorial da Revista Práxis Educacional, do Programa de Mestrado em Educação (PPGEd/Uesb). Coordenadora e professora do Programa de Mestrado em Educação (PPGEd/Uesb). Contato: nilcrusoe@uol.com.br

Cecília Conceição Moreira Soares, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutorado em Antropologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2009). Doutorado Sanduíche na Facultad de Cíencías Socíales da Universidade de Salamanca- Espanha ). Pesquisadora no Grupo de Estudos e Pesquisa em Pratica Pedagógica em Espaços Educacionais (GEPPE), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia . ceciliasoares@yahoo.com.br

Referências

ANDERSON, Robert. O Mito de Zumbi: implicações culturais para o Brasil e para a diáspora africana. Revista Afro-Ásia, Salvador: UFBA/CEAO. v. 17. p. 99-119, 1996.

BASTIDE, Roger. Religiões Africanas e Estruturas de Civilização.Revista Afro-Ásia, Salvador: UFBA/CEAO, v. 6 e 7. p. 5-16, 1968.

DUARTE JÚNIOR, João Francisco. Fundamentos estéticos da educação. Campinas, SP: Papirus, 1988, p. 95-119.

ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador: Formação do Estado e Civilização (Vol.2). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1994.

FREITAS, Edmundo Leal de. Personalidade: identidade nas comunidades afro-baianas. Revista Afro-Ásia, Salvador: UFBA/CEAO, v.16, p. 80 – 89,1995.

GIROUX, Henry. Teoria crítica e resistência em educação. Petrópolis, Vozes, 1986.

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes de. Terras de uso comum: oralidade e escrita em confronto. Revista Afro-Ásia, Salvador: UFBA/CEAO, v. 16. pp. 116-132, 1995.

LUZ, Marco Aurélio. Arkhé e Axexé: linguagem e Identidade. In LUZ, Marco Aurélio. Cultura negra em tempos pós-modernos [online]. 3. ed. Salvador: EDUFBA, 2008. 181 p. Disponível em: http://books.scielo.org/id/39h/pdf/luz-9788523209063-11.pdf. Acesso: 14 set. 2015.

MACHADO, Vanda. Mitos afro-brasileiros e vivências educacionais. Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC), Salvador-BA, 2003.

MURARI, Juliana Cristhina et al. Objetivos e Características da Educação Homérica: Uma reflexão sobre o conceito de Areté. ANAIS do IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE / III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia – 26 a 29 de outubro de 2009 – PUCPR. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/2562_1928.pdf. Acesso: 14 set. 2015.

WANDERLEY, Alba Cleide Calado & AQUINO, Mirian de Albuquerque. A construção da identidade afro-brasileira em histórias de vida, lutas e resistências. SAECULUM – Revista de História [21]; João Pessoa, jul./dez. 2009, p. 181-193.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. Coleção “A obra-prima de cada autor”. São Paulo: Martin Claret, 2002.

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

CRUSOÉ JÚNIOR, N. C.; CRUSOÉ, N. M. de C.; SOARES, C. C. M. Mitologia afro-baiana: possibilidade de uma prática pedagógica. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 67, p. 291–301, 2016. DOI: 10.20396/rho.v16i67.8646123. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8646123. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: X Jorn HISTEDBR-História da Educação: intelectuais, memória e política