Pombal, a modernidade e as origens da reforma de ensino na América portuguesa e Portugal

Autores

  • Alberto Damasceno Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v16i69.8648240

Palavras-chave:

Pombal. Reforma de ensino. Grão-Pará

Resumo

Este artigo é parte de uma pesquisa mais ampla sobre a implantação do “Diretório dos Índios” de 1757 no Estado do Grão-Pará, à época governado pelo irmão do Marquês de Pombal, e busca discutir o papel que a reforma do ensino ali desencadeada teve no domínio luso da região, apresentando aspectos do contexto no qual a mesma se efetivou. No governo de Mendonça Furtado, irmão de Carvalho e Melo, entre os anos de 1751 e 1759, dá-se início a um amplo processo de transformações que culminaria, dentre outros acontecimentos, com o surgimento de escolas estatais que viriam a substituir o sistema jesuítico de educação elementar, antes mesmo da reforma do ensino deflagrada a partir de Lisboa. O instrumento legal que a subsidia é o “Diretório dos índios” de 1757, que pode ser considerado o mais importante documento de política educacional da história da América portuguesa naquele período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Damasceno, Universidade Federal do Pará

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestre em Educação Escolar Brasileira pela Universidade Federal de Goiás. Possui graduação em Arquitetura pela Universidade Federal do Pará. É professor Titular da Universidade Federal do Pará, atuando na Graduação e na Pós-graduação (Mestrado). Desenvolve estudos na área da Educação com ênfase em História da Educação e Planejamento Educacional. Atualmente é Coordenador do Grupo de Pesquisas Laboratório de Planejamento da Educação Municipal (LAPEM) e vice-coordenador do Grupo de Estudos em Educação em Direitos Humanos (GEEDH), ambos vinculados ao Programa de Pós-graduação em Currículo e Gestão da Escola básica (PPEB).

Referências

ANDRADE, António Alberto Banha de. A reforma pombalina dos estudos secundários no Brasil. São Paulo: EDUSP/Saraiva, 1978.

ANDRADE, António Alberto Banha de. Contributos para a história da mentalidade pedagógica portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1982.

AZEVEDO, João Lúcio d’. Estudos de história paraense. Belém: SECULT, 1994 [1893] (Série Lendo o Pará, vol. 19).

CARVALHO, Laerte Ramos de. As reformas pombalinas da instrução pública. São Paulo, Saraiva / EDUSP, 1978.

CARVALHO, Rómulo. História do ensino em Portugal Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986.

CHARTIER, Roger (org.). História da vida privada, 3: da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

DECRETOS e leys de D. José, o I – 1750-1762.

FALCON, Francisco José Calasãs. A época pombalina: política econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982.

FREITAG, Bárbara. Escola, Estado e sociedade. São Paulo: Moraes. 6ª ed. 1986.

GOMES, Joaquim Ferreira. Para a história da educação em Portugal: seis estudos. Porto: Porto Editora, 1995.

LUZURIAGA, Lorenzo. História da educação e da pedagogia.13ª ed.. São Paulo: Cia Ed. Nacional, 1981.

MACHADO, Lia Osório. Mitos e realidades da Amazônia brasileira no contexto geopolítico internacional (1540-1912). 2 vol. Tese de Doutorado. Barcelona: Departamento de Geografia Humana da Universidade de Barcelona, junho de 1989. (mimeo.).

MAXWELL, Kenneth R.. A devassa da devassa. A inconfidência mineira: Brasil-Portugal - 1750-1808. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1995.

MAXWELL, Kenneth. Marquês de Pombal: paradoxo do iluminismo. Rio de Janeiro, 1996.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. O pensamento da metrópole portuguêsa em relação ao Brasil. Separata da revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Vol. 257 - outubro/dezembro - 1962. Rio de Janeiro: IHGB, 1963.

NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). 2ª ed.. São Paulo: Hucitec, 1983.

SARAIVA, José Hermano. História de Portugal. Mem Martins: Publicações Europa-América, 1993.

Downloads

Publicado

2017-02-23

Como Citar

DAMASCENO, A. Pombal, a modernidade e as origens da reforma de ensino na América portuguesa e Portugal. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 16, n. 69, p. 16–32, 2017. DOI: 10.20396/rho.v16i69.8648240. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8648240. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos