Análise das bases filosóficas dos pressupostos teóricos presentes nas propostas do movimento “por uma educação do campo”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v17i3.8650925

Palavras-chave:

Educação do campo. Método. Filosofia. Marxismo.

Resumo

Este artigo busca analisar as Bases Filosóficas dos pressupostos teóricos presentes nas propostas do movimento “Por uma Educação do Campo”. Este movimento liderado pelo MST, em defesa de uma educação do campo serviu principalmente para denunciar as condições a que as escolas da zona rural estavam sujeitas, até aquele momento, segunda metade da década de 1990. Neste artigo partimos do pressuposto de que esse movimento foi constituído em torno de algumas bases teórico-filosóficas, que passamos a analisar. Percebemos que há nelas um ecletismo teórico-metodológico divergente das intenções com as quais os mesmos são indicados, ou seja, há um distanciamento dos objetivos proclamados com as bases teóricas da realidade objetiva da ação prática. O texto apresentado, deriva de pesquisas em que os autores se propuseram a discutir a seguinte questão: Existem fundamentos teórico-filosóficos que preencham satisfatoriamente a lacuna da Educação do Campo? Para tentar responder esta questão buscar-se-á uma identidade teórico-filosófica genuína, da qual sabemos ser um desafio ousado, pois a falta de consenso entre as bases dos principais movimentos sociais que lideram o programa “Por uma Educação do Campo” constitui uma diafonia, ao nosso ver, por não utilizarem os métodos efetivos como óculos para uma leitura da realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Bezerra Neto, Universidade federal de São Carlos

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). 

Junior Cesar Luna, Universidade Federal de São Carlos

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Referências

ARROYO, M. G.; CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. (Org.). I Conferência Nacional por uma Educação Básica do Campo. Documentos Finais. Luziânia, 27 a 31 jul. 1998.

BEZERRA NETO, L.; BEZERRA, M. C. dos. S. (Org.). Educação para o campo em discussão: reflexões sobre o programa escola ativa. São José, Premier, 2011.

BRASIL. CNE/CEB. Resolução 01/02 – Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Diário Oficial da União, Brasília, 2002.

BRASIL. Companhia nacional de abastecimento. CONAB. Balanço de suprimento. Disponível em: < www.conab.gov.br >. Acesso em: 03 jul. 2017.

BRASIL. Decreto Lei 7352, de 4 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o programa nacional de educação na reforma agraria- PRONERA. Diário Oficial da União, seção 1. 2010.

BRASIL. MDA/SDT. Encontro Nacional de Educação do Campo e Desenvolvimento Territorial com a Rede Nacional de Colaboradores, Consultores Territoriais e Entidades Parceiras. Brasília, 16 a 17 fev. 2006. Não publicado.

BRASIL. Ministério da Educação. MEC. Orientações Pedagógicas para a formação de educadores e educadoras. Programa Escola Ativa, PDE, Brasília, 2008b.

BRASIL. Ministério da Educação. MEC. Programa Nacional de Educação do Campo: PRONACAMPO. Brasília, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. MEC. Projeto Saberes da Terra: Projeto Político Pedagógico. Brasília. 2005. Não publicado.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário, INCRA. Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Manual de Operações. Brasília, 2004.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. MDA. Referências para o desenvolvimento territorial sustentável. Brasília: Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável, 2007.

BRASIL. A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. SECAD. Portaria número 1374/03.

BRASIL. Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. CONDRAF. Núcleo de Estados Agrários e Desenvolvimento Rural – NEAD, 2003. Disponível em: < www.mda.gov.br >. Acesso em: 24 jun. 2017.

CALDART. R. S. Sobre Educação do Campo. In: SANTOS, C. A. (Org.). Por uma Educação do Campo: campo ‒ políticas públicas ‒ educação. Brasília, DF: INCRA/MDA, 2008. Disponível em: < http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_arquivos_ 64/Por%20uma%20educa%C3%A7%C3%A3o%20do%20campo%20n%C3%BAmero%207.pdf >. Acesso em: 10 jul. 2017.

DALMAGRO, S. A escola no contexto das lutas do MST. 2010. 312 f. Tese. (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

DUSSEL, E. Teologia da libertação e marxismo. In: LOWY, M. (Org.). O marxismo na América Latina: uma antologia de 1909 aos dias atuais. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 1999.

KOLLING, E.; NERY, I.; MOLINA, M. (Org.) Por Uma Educação Básica do Campo. Brasília: UnB, 1999. (Coleção Por uma Educação do Campo, n. 01).

LEFEBVRE, H. De Lo Rural a Lo Urbano. Barcelona: Península, 1978.

LEFEBVRE, H. O marxismo. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1963.

LÊNIN, V. I. Capitalismo e agricultura nos Estados Unidos: novos dados sobre as leis de desenvolvimento do capitalismo na agricultura. São Paulo: Brasil Debates, 1980.

LÊNIN, V. I. O imperialismo, fase superior do capitalismo (Ensaio Popular). In: LÊNIN, V. I. Obras Escolhidas. Tomo I. Lisboa: Avante; Moscou: Progresso, 1977.

LOWY, M. O catolicismo latino americano radicalizado. Estudos Avançados, São Paulo, v. 3, n. 5, jan.-abr. 1989.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

MARX, K. Formações econômicas pré-capitalistas. Coleção Pensamento Crítico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

MARX, K. O Capital. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991. Livro III, v. 6.

MARX, K. O Capital. Coleção Os Economistas. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. Campinas, SP: Boitempo, 2005.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2002.

MOLINA, M. C. Educação do campo e pesquisa: questões para reflexão. In: MOLINA, M. (Org.). Educação do campo e pesquisa: questões para reflexão. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2006.

MORAES, M. C. Reformas de Ensino, Modernização Administrada: a experiência de Francisco Campos. Florianópolis: UFSC, Núcleo de Publicações, 2000.

MOVIMENTO SEM TERRA. MST. Dossiê MST escola: documentos e estudos, 1990-2001. São Paulo: Editora Expressão Popular, Setor de Educação do MST/Iterra, 2005.

MOVIMENTO SEM TERRA. MST. A constitucionalidade e a justicialidade do direito à educação dos povos do campo. In: SANTOS, C. A. dos. Educação do Campo, Políticas Públicas, Educação. Brasília: INCRA/MDA/NEAD, 2008.

MOVIMENTO SEM TERRA. MST. A educação no MST: desafios e diretrizes para superá-los. Síntese da discussão da Coordenação Nacional. Goiânia, junho de 2005a. Não publicado.

NETTO, J. P.; BRAZ, M. Economia Política uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2007.

NETTO, J. P. Introdução. In: LÊNIN, Vladimir I. O desenvolvimento do capitalismo na Rússia: o processo de formação do mercado interno para a grande indústria. São Paulo: Abril Cultural, 1982. p. 12-21.

OLIVEIRA, M. A. de. As bases filosóficas e epistemológicas de alguns projetos de educação do campo: do pretendido marxismo à aproximação ao ecletismo pós-moderno. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008. Disponível em: < http://www.gepec.ufscar.br/publicacoes/tccs-dissertacoes-eteses/tese/as-bases-filosoficas-e-epistemologicas-de-alguns.pdf/view >. Acesso em 10 jul. 2017.

OLIVEIRA, M. A. de.; DALMAGRO, S. L. A questão Agraria, a Educação do Campo e os projetos em disputa. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 2, p. 94-119, jul./dez. 2014. Disponível em: < http://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/5193/ 3684 >. Acesso em: 07 ago. 2017.

OLIVEIRA, M. A. de. O MDA-Ministério do Desenvolvimento Agrário e a educação “do” campo: elementos para entender a questão agrária e a política educacional do Estado brasileiro para o meio rural na atualidade. Ipojuca/Porto de Galinhas: Anped/35ª Reunião Anual, 2012.

SAVIANI, D. Escola e Democracia. Campinas: Autores Associados, 1983.

SAVIANI, Demerval. Os saberes implicados na formação do educador. In: BICUDO, Maria Aparecida; SILVA JUNIOR, Celestino Alves (Org.). Formação do educador: dever do Estado, tarefa da Universidade. São Paulo: Ed. da Unesp, 1996.

SÉRIO, T. M. de. A. P.; MICHELETTO, N.; ANDERY, M. A. P. A. O mundo exige uma nova racionalidade, rompe-se a unidade do saber. In: ANDERY, M. A. P. A., et al. (Org.). Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo; São Paulo: Ed. da EDUC, 1996a.

SÉRIO, T. M. de. A. P.; MICHELETTO, N.; ANDERY, M. A. P. A. Pedagogia Histórico-crítica. Primeiras aproximações. Campinas: Autores associados, 1996.

TONET. I. Educação Cidadania e Emancipação Humana. Edufal da Universida Fundepes. 2005.

VENDRAMINI, C. A Educação do Campo na perspectiva do materialismo histórico dialético. In: COUTINHO, A. F. (Org.). Diálogos sobre a questão da Reforma Agrária e as políticas de Educação do Campo. São Luís: Ed. da EDUFMA, 2009.

Downloads

Publicado

2017-12-13

Como Citar

NETO, L. B.; LUNA, J. C. Análise das bases filosóficas dos pressupostos teóricos presentes nas propostas do movimento “por uma educação do campo”. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 17, n. 3, p. 811–826, 2017. DOI: 10.20396/rho.v17i3.8650925. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8650925. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos