Reformas educacionais e ensino médio na Ditadura Militar: colégios universitários e a crise dos excedentes

Palavras-chave: Colégio universitário. Ensino médio. Reformas educacionais. Ditadura civil-militar.

Resumo

Este artigo discute a criação dos colégios universitários em 1960 e as articulações entre o ensino secundário e superior. Tem por objetivo analisar como o país administrou a crise da educação nos anos 1960/70, considerando o contingente de jovens que deixava o ensino secundário e gerava um número de excedentes. Tal situação se agravou na medida em que a demanda por vagas por parte dos estudantes se contrapôs à Reforma Universitária do governo civil-militar, implementada em 1968. As principais fontes utilizadas foram documentos referentes à criação do Colégio Universitário da Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (atual Universidade Federal de Viçosa) e a legislação que regulava o ensino secundário e superior. A análise dos documentos teve por base os preceitos da análise de conteúdo. Foram localizados seis colégios universitários, criados a partir da Lei 4.024/61, nas universidades federal de Minas Gerais, Pernambuco, Rural do Rio de Janeiro, Maranhão, Rural de Minas Gerais e Rio Grande do Norte. Desses, o Colégio Universitário da UFV foi o único que permaneceu em atividade mesmo após a proibição imposta pela Lei 5.692/71. Os resultados evidenciaram que, apesar das políticas para o ensino médio durante regime militar restringirem o acesso ao ensino superior, algumas medidas favoreciam uma parcela dos egressos na continuação dos estudos, mantendo a desigualdade histórica e reafirmando a dualidade estrutural da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana D'Arc Germano Hollerbach, Universidade Federal de Viçosa
Doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Professora Adjunto II, da Universidade Federal de Viçosa (UFV). 

Referências

BARROS, R. S. M. de. (org.). Diretrizes e Bases da Educação Nacional. São Paulo: Livraria Pioneira, 1960.

BRASIL. Câmara de Ensino Superior do Conselho Federal de Educação. Parecer 76/75. O ensino de 2.º grau na Lei n.º 5.692/71. In: WARDE, M. J. Educação e estrutura social: a profissionalização em questão. 2. ed. São Paulo: Cortez e Moraes, 1979. p. 159-190.

BRASIL. Câmara de Ensino Superior do Conselho Federal de Educação. Parecer nº 584, de 08 de agosto de 1969. In: Documenta 104. Rio de Janeiro, ago. 1969c.

BRASIL. Câmara de Ensino Superior do Conselho Federal de Educação. Parecer nº 693, de 05 de setembro de 1969. In: Documenta 105, Rio de Janeiro, set. 1969d.

BRASIL. Conselho Federal de Educação. Parecer nº 45/72, de 12 de janeiro de 1972. Fixa os mínimos a serem exigidos em cada habilitação profissional (ou conjunto de habilitações), no ensino de 2.º grau. 1972. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/fontes_escritas/7_Gov_Militar/parecer%20n.45-1972%20a%20qualifica%E7%E3o%20para%20o%20trabalho%20no%20ensin.pdf. Acesso em: 18 ago. 2015.

BRASIL. Decreto nº 8.659, de 5 de abril de 1911. Aprova a lei Orgânica do Ensino Superior e do Fundamental na República. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1910-1919/decreto-8659-5-abril-1911-517247-publicacaooriginal-1-pe.htm. Acesso em: 01 out. 2015.

BRASIL. Decreto nº 19.890, de 18 de abril de 1931. Dispõe sobre a organização do ensino secundário. 1931a. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19890-18-abril-1931-504631-publicacaooriginal-141245-pe.html. Acesso em: 15 fev. 2016.

BRASIL. Decreto nº 19.890, de 18 de abril de 1931. Dispõe sobre a organização do ensino secundário. 1931b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13415.htm. Acesso em: 11 nov. 2017

BRASIL. Decreto-Lei nº 464, de 11 de fevereiro de 1969. Estabelece normas complementares à Lei 5.540, de 28 de novembro de 1968, e dá outras providências. 1969a. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1960-1969/decreto-lei-464-11-fevereiro-1969-376438-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 22 set. 2015. Sem paginação.

BRASIL. Decreto-Lei nº 477, de 26 de fevereiro de 1969. Define infrações disciplinares praticadas por professores, alunos, funcionários ou empregados de estabelecimentos de ensino público ou particulares, e dá outras providências. 1969b. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1960-1969/decreto-lei-477-26-fevereiro-1969-367006-norma-pe.html. Acesso em: 15 fev. 2016.

BRASIL. Lei 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, [...] e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13415.htm. Acesso em: 11 nov. 2017

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4024.htm. Acesso em: 28 out. 2013.

BRASIL. Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968. Fixa normas de organização e funcionamento do ensino superior e sua articulação com a escola média, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/leis/L5540.htm. Acesso em: 18 ago. 2015.

BRASIL. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa as Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5692.htm. Acesso em: 15 jul. 2014. Sem paginação.

BRASIL. Lei no 7.044, de 18 de Outubro de 1982. Altera dispositivos da Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971, referentes a profissionalização do ensino de 2º grau. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7044impressao.htm. Acesso em: 11 out. 2014.

COLÉGIO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – 1980. Regimento do Colégio Universitário. 1980

COLÉGIO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Estudo do Novo Regimento do Colégio Universitário de 11 de agosto de 1971 após a Lei N.º 5.692 e o Decreto-Lei N.º 464, de 11 de fevereiro de 1969. 1971.

COLLARES, M. M. Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia de Minas Gerais: a trajetória de uma escola de ensino médio no contexto universitário. 1989. 311 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

COLUN – Colégio universitário da Universidade Federal do Maranhão. Quem Somos. São Luís, 2015. Disponível em: http://www.colun.ufma.br/padrao.php?codigo1=1. Acesso em: 11 jul. 2015.

CUNHA, L. A. A universidade crítica: o ensino superior na República Populista. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

CUNHA, L. A. A Universidade reformanda: o golpe de 1964 e a modernização do ensino superior. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988.

CUNHA, L. A. Educação e desenvolvimento social no Brasil. 8. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1985.

DEPOIS do sonho a realidade. Diversa: Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, [Minas Gerais], ano 5, n. 11, maio 2007. Disponível em: https://www.ufmg.br/diversa/11/consolidacao.html. Acesso em: 02 mar. 2015. UFMG – 80 anos. Sem paginação.

GERMANO, J. W. Estado militar e educação no Brasil (1064-1985). 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

PIMENTA, A. Universidade: a destruição de uma experiência democrática. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1985.

SANTOS, S. R. R. S. Gestão colegiada e projeto político pedagógico: Colégio Universitário – São Luís – MA – 1989-1997. 2004. 188 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

UNIVERSIDADE RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Conselho Universitário. Ata da reunião realizada no dia 13 de outubro de 1962. Livro 31, Ata nº 94. 1962.

UNIVERSIDADE RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Conselho Universitário. Ata da reunião realizada no dia 26 de março de 1965. Livro 32, Ata nº 113. 1965.

VILLALOBOS, J. E. R. O projeto e o ensino secundário. In: BARROS, R. S. M. de. (org.). Diretrizes e Bases da Educação Nacional. São Paulo: Livraria Pioneira, 1960. p. 390-399.

WARDE, M. J. Educação e estrutura social: a profissionalização em questão. 2. ed. São Paulo: Cortez e Morais, 1979.

Publicado
2019-03-19
Como Citar
Hollerbach, J. D. G. (2019). Reformas educacionais e ensino médio na Ditadura Militar: colégios universitários e a crise dos excedentes. Revista HISTEDBR On-Line, 19, e019007. https://doi.org/10.20396/rho.v19i0.8651635