O estado do conhecimento de pesquisas sobre a história das instituições escolares denominadas patronatos de menores (2000-2018)

Palavras-chave: Estado do conhecimento, História das instituições escolares, Patronato de menores, Cultura escolar.

Resumo

O artigo apresenta um mapeamento sobre as pesquisas acadêmicas produzidas no Brasil no campo da História da Educação e História das Instituições Escolares que elegem como objeto de investigação os Patronatos de Menores. Trata-se de um estudo de natureza bibliográfica que tem por objetivo elaborar um Estado do Conhecimento, analisando as principais temáticas, lacunas e tendências exploradas em tais produções no período de 2000 a 2018. Utilizamos como fontes de pesquisa o Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES; a Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD); a Biblioteca Digital da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED – GT História da Educação); repositórios de Programas de Pós-Graduação stricto sensu em Educação; os acervos digitais dos cinco periódicos nacionais especializados em História da Educação; Anais de Eventos da área e livros. Os referenciais teóricos estão fundamentados nas obras de Gatti Júnior (2007), Magalhães (2004), Nosella e Buffa (2005), Sanfelice (2006), entre outros. Foram analisados um total de 22 produções. Os resultados apontam que, embora as pesquisas no campo da História das Instituições Escolares tenham se solidificado e aumentado significativamente nas últimas décadas, o número de trabalhos acerca dos Patronatos é exíguo; as produções que se debruçam sobre esse objeto versam principalmente sobre o ensino profissionalizante agrícola, a educação rural e a escolarização da infância pobre, enquanto que uma parcela menor demonstra uma tendência crescente em utilizar a cultura escolar como categoria de análise para o estudo dessas instituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana da Silva Monteiro, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Maria do Carmo Brazil, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Docente vinculada ao PPGEDU da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), na qualidade de pesquisadora/orientadora.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J. A “revisão da bibliografia” em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis – o retorno. In: BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. (org.). A Bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação e escrita de teses e dissertações. São Paulo: Cortez, 2006. p. 25-43.

BIBLIOTECA DIGITAL BRASILEIRA DE TESES E DISSERTAÇÕES. BDTD. Disponível em: http://www.bdtd.ibict.br/vufind/. Acesso em: 20 de maio 2018.

BOAS, A. C. V. Da origem do Patronato Agrícola “Visconde de Mauá” (1918) ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais – IFSULDEMINAS (2008) – Campus Inconfidentes. 2018. 160 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, MG, 2018.

BOEIRA, D. A. Uma “solução” para a menoridade na Primeira República: o caso do Patronato Agrícola de Anitápolis/SC (1918-1930). 2012. 139 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2012.

CAMARA, S. Sob a guarda da República: a infância menorizada no Rio de Janeiro da década de 1920. Rio de Janeiro: Quartet, 2010.

CATÁLOGO DE TESES E DISSERTAÇÕES DA CAPES. Disponível em: http://www.catalogodeteses.capes.gov.br. Acesso em: 25 maio 2018.

COSTA, M. S. T. da. De patronato agrícola à Escola Agrotécnica Federal de Castanhal: o que a história do currículo revela sobre as mudanças e permanências no currículo de uma instituição de ensino técnico? 2017. 308 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Cultura e Comunicação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, RJ, 2017a.

COSTA, M. S. T. da. Patronato São Bento: entre o arquivo institucional e a imprensa local. A infância menorizada (1960-1969). CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 9., 2017, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: CBHE, 2017. p. 1490-1504.

GATTI JÚNIOR, D. História e historiografia das instituições escolares: percursos de pesquisa e questões teórico-metodológicas. Revista Educação em Questão, Natal, v. 28, n. 14, p. 172-191, jan./jun. 2007.

GONSALVES, M. I. N. A Missão Franciscana e a Escola Patronato São Francisco em Dourados-MS, décadas de 1940 e 1960. ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 12., 2014, Goiânia. Anais [...]. Goiânia: ANPED, 2014. p. 1-12.

JARA, S. M. H.; PAES, A. B. Escolas franciscanas: mapeando fontes primárias do Educandário Santa Clara e Patronato de Menores São José de Paranaíba (MS). ENCONTRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO DO CENTRO-OESTE, 1., 2011, Cuiabá. Anais [...]. Cuiabá: EHECO, 2011. p. 1-5.

KUHLMANN JÚNIOR, M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

MAGALHÃES, J. Tecendo nexos: história das instituições educativas. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2004.

MENDONÇA, S. R. de. Estado e educação rural no Brasil: alguns escritos. Rio de Janeiro: Vício de Leitura: FAPERJ, 2007.

MENDONÇA, S. R. de. O ruralismo brasileiro: (1888-1931). São Paulo: HUCITEC, 1997.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Os Patronatos de Menores como objeto de pesquisa: Teses e Dissertações selecionadas (2000-2018). 2018. 3 quadro.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Os Patronatos de Menores em Anais de Eventos da área (2000-2018). 2018. 7 quadro.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Os Patronatos de Menores em livros (2000-2018). 2018. 8 quadro.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Os Patronatos de Menores nas Revistas especializadas em História da Educação (2000-2018). 2018. 6 quadro.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Produções sobre Patronato de Menores por Região e Instituição de Ensino Superior (2000-2018). 2018. 4 quadro.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Topografia dos Patronatos de Menores que foram objetos de pesquisas (2000-2018). 2018. 5 quadro.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Total de Teses e Dissertações sobre Patronato de Menores por Área de Conhecimento (2000-2018). 2018. 2 quadro.

MONTEIRO, J. da. S.; BRAZIL, M. do. C. Total geral de Teses e Dissertações sobre Patronato de Menores (2000-2018). 2018. 1 quadro.

MOROSINI, M. C.; FERNANDES, C. M. B. Estado do conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 154-164, jul./dez. 2014.

NASCIMENTO, J. C. do. Memórias do aprendizado: 80 anos de ensino agrícola em Sergipe. Maceió: Cataventos, 2004.

NERY, M. A. A. M. A Regeneração da infância pobre sergipana no início do século XX: o patronato agrícola de Sergipe e suas práticas educativas. 2006. 153 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Fundação Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2006.

NOSELLA, P.; BUFFA, E. As pesquisas sobre instituições escolares: balanço crítico. São Paulo: 2005. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/artigos_frames/artigo_088.html. Acesso em: 06 maio 2018.

OLIVEIRA, G. I. da. C. De patronato agrícola à Escola Agrotécnica Federal de Castanhal: o que a história do currículo revela sobre as mudanças e permanências no currículo de uma instituição de ensino técnico? 2007. 222 f Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Pará, Belém, PA, 2007.

OLIVEIRA, G. I. da. C.; ROCHA, G. O. R. da. Transformando menores orphãos ou abandonados em feitores do campo, pomicultores, horticultores, jardinocultores, abegões e profissionais práticos nos diversos offícios agrícolas: a criação do Patronato Agrícola no Pará Republicano. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 103-123, out. 2011. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/43e/art06_43e.pdf. Acesso em: 21 abr. 2018.

OLIVEIRA, M. R. P. de. Formar cidadãos úteis: os patronatos agrícolas e a infância pobre na Primeira República. 2000. 130 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, 2000.

OLIVEIRA, M. R. P. de. Formar cidadãos úteis: os patronatos agrícolas e a infância pobre na Primeira República. Bragança Paulista: Editora da Universidade São Francisco, 2003.

RIBEIRO, C. A.; SILVEIRA, T. C. da. A “Cidade dos meninos”: patronato Rio das Pedras de Uberlândia-MG: 1951 a 1953. ENCONTRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO DO CENTRO-OESTE, 3., 2015, Uberlândia. Anais [...]. Uberlândia: EHECO, 2015. Disponível em: https://eheco2015.files.wordpress.com/2015/09/a-e2809ccidade-dos-meninose2809d1.pdf. Acesso em: 21 abr. 2018.

RIZZINI, I.; RIZZINI, I. A institucionalização de crianças no Brasil: percurso histórico e desafios do presente. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2004.

SANFELICE, J. L. História, instituições escolares e gestores educacionais. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. especial, p. 20-27, ago. 2006. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/22e/art4_22e.pdf. Acesso em: 21 abr. 2018.

SANTINI, P. G. A presença da Igreja Católica da educação em Dourados/MS: o caso do patronato de menores (1943-1983). SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 26., 2011, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: ANPUH, 2011. Disponível em: http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1300911244_ARQUIVO_Texto-versaoanpuh.pdf. Acesso em: 20 abr. 2018.

SANTOS, S. C. C. dos. Educação e trabalho para meninos desvalidos: um estudo sobre o patronato agrícola de bananeiras (1924-1947). 2015. 151 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, 2015.

THURY, I. M. C. Ensino agrícola: um estudo da gênese e das práticas pedagógicas no antigo patronato agrícola Manoel Barata-PA. 2012. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação Brasileira) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, 2012.

VEIGA, G. S. P. Escolarização da infância: memórias dos internos do patronato de menores São José - Paranaíba (MS). ENCONTRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO DO CENTRO-OESTE, 1., 2011, Cuiabá. Anais [...]. Cuiabá: EHECO, 2011. Disponível em: http://eheco.com.br/index.php/ehecos-anteriores/. Acesso em: 20 abr. 2018.

VEIGA, G. S. P. História da educação do patronato de menores São José em Paranaíba/MT (1953-1963). 2014. 218 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, 2014.

VICENTE, M. de. A.; AMARAL, G. L. do. Medidas higienistas adotadas no patronato agrícola Visconde da Graça (1923-1934) – Pelotas/RS. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 37, p. 123-133, mar. 2010. Disponível em: http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/37/art09_37.pdf. Acesso em: 20 abr. 2018.

VICENTE, M. de. A. O patronato agrícola Visconde da Graça em Pelotas/RS (1923-1934): gênese e práticas educativas. 2010. 157 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, 2010.

Publicado
2019-07-31
Como Citar
Monteiro, J. da S., & Brazil, M. do C. (2019). O estado do conhecimento de pesquisas sobre a história das instituições escolares denominadas patronatos de menores (2000-2018). Revista HISTEDBR On-Line, 19, e019033. https://doi.org/10.20396/rho.v19i0.8653759