Jornal O Educador e as ideias renovadoras nas lições da professora primária Julita Ribeiro (1921-1922)

Palavras-chave: Imprensa pedagógica, O educador, Ideias renovadoras, Lições de coisas.

Resumo

O presente texto objetivou analisar as ideias pedagógicas do jornal O Educador (1921, 1922) a partir da atuação da professora primária do estado da Paraíba, Julita Ribeiro. Partimos do entendimento que a imprensa pedagógica foi espaço privilegiado de atuação e de formação docente. Era necessário instituir práticas pedagógicas renovadas. Essa imprensa foi um suporte material necessário ao projeto de renovação educacional. Nas suas páginas estavam inscritas as ideias pedagógicas, métodos de ensino, instruções, planos de aula e recursos gráficos, que fomentaram a discussão dos conhecimentos que visavam formar o professorado, especialmente o primário. Esse tipo de impresso foi instrumento de ação política dos/as intelectuais professores/as. Nas páginas de O Educador, especialmente na Secção Pedagogica, Julita Ribeiro veiculou planos de aula baseados nas Lições de Coisas e utilizou o impresso como repositório de instruções práticas para os/as docentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ingrid Karla Cruz Biserra, Universidade Federal da Paraíba

Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Professora substituta do Departamento de Metodologia da Educação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Jean Carlo de Carvalho Costa, Universidade Federal da Paraíba

Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professor associado III da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). 

Referências

BASTOS, M. H. C. As revistas pedagógicas e a atualização do professor: a Revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1951-1992). In: BASTOS, M. H. C.; CATANI, D. B. (org.). Educação em revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 2002. p. 47-75.

BEZERRA, A. Em prol da instrucção. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 1, p. 1, nov. 1921.

CALKINS, N. A. Primeiras lições de coisas: manual de ensinamento elementar para uso dos paes e professores. Tradução de Rui Barbosa. 40. ed. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1886.

CARVALHO, M. M. C. A caixa de utensílios e a biblioteca: pedagogia e práticas de leitura. In: VIDAL, D. G.; HILSDORF, M. L. S. (org.). Brasil 500 anos: tópicos em história da educação. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001. p. 137-164.

CARVALHO, M. M. C.; TOLEDO, M. R. de. A. A imprensa periódica paulista como dispositivo de configuração do campo dos saberes pedagógicos (1893-1927). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 8., 2015, Maringá. Anais [...]. Maringá: UEM, 2015. p. 1-15.

CHARTIER, R. Do livro à leitura. In: CHARTIER, R. (dir.). Práticas da leitura. 4. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

O EDUCADOR. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 1, p. 1, 01 nov. 1921. 1 figura.

O EDUCADOR. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 20, p. 1, 07 abril 1922.

RIBEIRO, J. Expressões substantivas. Substantivos primittivos e derivados. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 7, p. 2, 12 dez. 1921a.

RIBEIRO, J. Nomes ou substantivos e suas qualidades. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 2, p. 2, 07 nov. 1921b.

RIBEIRO, J. Nomes próprios e communs collectivos. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 4, p. 2, 21 nov. 1921c.

RIBEIRO, J. Numeração. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 15, p. 1, 02 mar. 1922a.

RIBEIRO, J. Verbo. Sujeito do verbo. Jornal O Educador, Parahyba, ano I, n. 13, p. 2, 13 fev. 1922b.

SANTOS, E. L.; NUNES, M. L. da. S. Julita Ribeiro: reflexões sobre as lições de coisas (1921-1922). In: MACHADO, C. J. dos.; NUNES, M. L. da. S. (org.). Educação e educadoras na Paraíba do século XX: práticas, leituras e representações. João Pessoa: Editora Universitária - UFPB, 2009. p. 75-90.

SIRINELLI, J. F. Os intelectuais. In: RÉMOND, R. (org.). Por uma história política. Tradução Dora Rocha. Rio de Janeiro: FGV, 2003. p. 231-270.

SOUSA, C. P. de.; CATANI, D. B. A imprensa periódica educacional e as fontes para a história da cultura escolar brasileira. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 37, p. 177-183, 1994. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/71310/74315. Acesso em: 04 mar. 2016.

VALDEMARIN, V. T. O método intuitivo: os sentidos como janelas e portas que se abrem para um mundo interpretado. In: SAVIANI, D. (org.). O legado educacional do século XIX. Campinas: Autores Associados, 2006. p. 85-132.

VIEIRA, C. E. Jornal diário como fonte e como tema para a pesquisa em história da educação: um estudo da relação entre imprensa, intelectuais e modernidade nos anos de 1920. In: OLIVEIRA, M. A. T. de. (org.). Cinco estudos em história e historiografia da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 11-40.

VILLELA, H. de. O. S. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, E. M.; FARIA FILHO, L. M. de.; VEIGA, C. G. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 95-134.

Publicado
2019-07-31
Como Citar
Biserra, I. K. C., & Costa, J. C. de C. (2019). Jornal O Educador e as ideias renovadoras nas lições da professora primária Julita Ribeiro (1921-1922). Revista HISTEDBR On-Line, 19, e019036. https://doi.org/10.20396/rho.v19i0.8654885