Banner Portal
Valorização profissional e feminização dos professores do curso normal do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac/RS, entre 1901 e 1970
PDF

Palavras-chave

Curso Normal
Valorização
Trabalho pedagógico
Historicidade.

Como Citar

BRAIDO, L. da S.; FERREIRA, L. S. Valorização profissional e feminização dos professores do curso normal do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac/RS, entre 1901 e 1970 . Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 19, p. e019044, 2019. DOI: 10.20396/rho.v19i0.8654919. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8654919. Acesso em: 2 mar. 2024.

Resumo

Com o objetivo de estudar sobre a valorização profissional dos professores do Curso Normal (CN) do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac (IEEOB), de Santa Maria/RS e o processo de feminização, entre 1901 e 1970, resultou a realização deste artigo. A escolha pelo tema deu-se por entender que para iniciar um estudo se deve, primeiramente, compreender os fatores que intervêm no fenômeno, seu passado, presente e prospecção de futuro. Deste modo, é importante entender a historicidade do CN, para então compreender a valorização dos professores, o que implica entender os momentos, políticos e sociais que influenciaram na educação desde o início do CN do IEEOB até 1970. Entende-se o CN como início da história da formação de professores, considerando as normalistas, no século passado, como precursoras da profissão, tratadas com muita pompa em suas formaturas, e por amor às crianças. Professoras de quem se esperava o dom, ou a habilidade de encarar a profissão como uma missão, como se fossem destinadas à docência. Tais características, dada a prevalência do CN na história da educação, são ainda evidenciadas no trabalho pedagógico das professoras da infância nas escolas gaúchas.

https://doi.org/10.20396/rho.v19i0.8654919
PDF

Referências

BELÉM, J. História do Município de Santa Maria 1797 – 1933. 3. ed. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2000.

BRAIDO, L.S. Valorização profissional e feminização dos professores: um estudo a partir do curso normal do instituto estadual de educação Olavo Bilac, de Santa Maria/RS, entre 1901 e 1970. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

BRASIL. Decreto-Lei n. 97 de 16 de Julho de 1941. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/105585/DECRETO-LEI%2097%20DE%201941.pdf?sequence=1. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Decreto-Lei nº 775 A, de 1943. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/105576/DECRETO%20775A%20DE%201943.pdf?sequence=1&isAllowed=yhttp://1943.pdf/?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Decreto-Lei n. 909 de 1906. Modifica a estrutura dos Colégios Distritais para Escola Complementar. Leis, decretos e actos do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, 1906.

BRASIL. Decreto-Lei n. 4.322 de 30 de maio de 1929, Institui uma escola complementar na cidade de Santa Maria. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/161632/decreto%204321%20-%201929%282%29.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Decreto-Lei n. 8.530 de 02 jan. 1946. Lei Orgânica do Ensino Normal. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8530-2-janeiro-1946-458443-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 26 out. /2017.

BRASIL. Decreto-Lei n. 1479 de 26 de maio de 1909. Modifica o programma do ensino complementar e CREA collegios elementares no estado. Leis, decretos e actos do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, 1909.

BRASIL. Decreto n. 397 de 27 de agosto de 1901. Institue dois colégios districtais, um em Santa Maria e outro na Cruz Alta. 1901.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 5.692, de 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5692.htm. Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9.394, de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm Acesso em: 26 out. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto-Lei n. 1.190 de 04 de abril de 1939. Dá organização à Faculdade Nacional de Filosofia. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, 06 abr. 1939. p. 7929.

BRZEZINSKI, I. Embates na definição das políticas de formação de professores para a atuação multidisciplinar nos anos iniciais do ensino fundamental: respeito à cidadania ou disputa pelo poder? Educ. Soc. [online], v. 20, n. 68, p. 80-108. 1999. ISSN 1678-4626. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v20n68/a05v2068.pdf. Acesso em: 18 out. 2018

CAMARGO, R. B. Salário docente. In. OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A. M. C.; VIEIRA, L. M. F. (Org.). Dicionário: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

CONVITES normalistas, vários anos. (AHOBnc – nº 30). In: Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria, RS. Acesso em: 19 nov. 2015.

CORSETTI, B. A educação: construindo o cidadão. In: GOLIN, T.; BOEIRA, N. (coord.); RECKZIEGEL, A. L. S.; AXT, G. (dir.) República Velha (18891930). Passo Fundo: Méritos, 2007. v. 3, t. 2. (Coleção História Geral do Rio Grande do Sul).

COSTA, M. V. (Org.). Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

FAGUNDES, J. L. O trabalho pedagógico, as políticas públicas de universalização da educação básica e o Curso Normal: entre cabotagens, naufrágios e travessias. 2015. 207 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

FERREIRA, L. S. Gestão do Pedagógico: de qual pedagógico se fala?. Currículo sem Fronteiras, v. 8, n. 2, p. 176-189, jul./dez. 2008.

FERREIRA, L. S. Trabalho, profissionalidade e escola no discurso das professoras dos anos iniciais do ensino fundamental. Porto Alegre: UFRGS, 2006.

FIORIN, B. P. Trabalho e pedagogia: considerações a partir dos discursos de pedagogas na escola. 2012. Dissertação (Mestrado em educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

FOLHAS de pagamento 1940 a 1956. (AHOBnc nº 38). In: Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria, RS. Acesso em: 24 set. 2015.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação estrutura econômico-social capitalista. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

HYPÓLITO, A. M. Trabalho docente, classe social e relações de gênero. Campinas: Papirus, 1997.

LIVRETO nº 83 Histórico do I.E.O.B. AHOB nº 342. In: Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria, RS. Acesso em: 24 set. 2015.

LIVRO de visitas e inspeção, AHOB nº 23. In: Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria, RS. Acesso em: 10 set. 2015.

MONTAGNER, R. Ressignificando imagens/memória de alunas do Instituto Estadual Olavo Bilac: processos de formação de professoras (1929-1969). 1999 Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. 1999.

NAGLE, J. Educação e sociedade na Primeira República. São Paulo: EPU: MEC, 1976.

PALMA FILHO, J. C. A educação brasileira no período de 1930 a 1960: a era Vargas pedagogia cidadã. Cadernos de Formação. História da Educação. 3. ed. São Paulo: PROGRAD/UNESP: Santa Clara Editora, 2005. p. 61-74.

PASTA com fotos 1947 - 1968 (AHOB – nº 145). In: Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria, RS. Acesso em: 24 set. 2015.

PASTA recortes de jornais sobre I.E.O.B AHOB nº 143. Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria, RS. Acesso em: 24 set. 2015.

PETRY, M. L. B. A formação do professor: da escola normal à habilitação magistério. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1990.

RABELO, A. O.; MARTINS, A. M. A mulher no magistério brasileiro: um histórico sobre a feminização do magistério. In: CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 4. 2010, Uberlândia. Anais [...]. Uberlândia: Aveiro: FCT, 2010. p. 6167-6176.

RECORTES de jornais sobre I.E.O.B (AHOB nº 143). In: Acervo Histórico do Instituto Estadual de Educação Olavo Bilac. Santa Maria, RS. Acesso em: 27 ago. 2015.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 42. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Rev. Bras. Educ., [online]. v. 14, n. 40, p. 143-155, 2009. ISSN 1413-2478. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782009000100012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n40/v14n40a12.pdf. Acesso em: 18 out. 2018

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2010.

TAMBARA, E. Profissionalização, escola normal, e feminilização: magistério sul-rio-grandense de instrução pública no século XIX. Pelotas: História da Educação: ASPHE: FaE: UFPel, 1998.

VIEIRA, S. L. Desejos de reforma: legislação educacional no Brasil – Império e República. Brasília: Líber Livros, 2008.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.