Banner Portal
Mckinsey & Company e o jogo da consultocracia em rede na educação básica
PDF

Palavras-chave

McKinsey & Company
Consultocracia
Mercantilização da educação

Como Citar

SOUZA, Camila Azevedo. Mckinsey & Company e o jogo da consultocracia em rede na educação básica. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 20, p. e020049, 2020. DOI: 10.20396/rho.v20i0.8655632. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8655632. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

Este trabalho buscou evidenciar a disputa pela educação básica no jogo dos empresários no mercado mundial do conhecimento, apreendendo o modus operandi da empresa internacional de consultoria McKinsey & Company na consolidação de vínculos estratégicos com intelectuais orgânicos que protagonizam o movimento mundializado de reforma empresarial da educação básica. Alicerçado no materialismo histórico e, mais especificamente, no conceito gramsciano de intelectual orgânico, verificou-se que uma poderosa indústria especializada em assuntos educacionais impulsiona um processo de mercantilização via consultocracia em rede. Nessa direção, tendo em vista a lógica de reformas empresariais para a educação básica que são exportadas mundialmente, com base na unidade forma e conteúdo que envolve as estratégias de consultocracia em rede e os fundamentos da eficácia gerencialista, identificou-se que a McKinsey divulga sua expertise em assuntos educacionais por meio dos seus relatórios sobre sistemas escolares, buscando criar demanda para a venda dos seus pacotes de soluções educacionais.

https://doi.org/10.20396/rho.v20i0.8655632
PDF

Referências

ABEL, M. C. O insight na psicanálise. Revista Psicologia Ciência e Profissão, v. 23, n. 4, p. 22-31, 2003.

AGENDA 2030. A agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. 2018. Disponível em: http://www.agenda2030.com.br/sobre/. Acesso em: 15 nov. 2018.

DESIDÉRIO, M. 5 dicas para quem quer abrir uma consultoria financeira. Exame, 2016. Disponível em: https://exame.abril.com.br/pme/dicas-para-quem-quer-abrir-uma-consultoria-financeira/. Acesso em: 16 nov. 2018.

DONADONE, J. C. Consultoria internacional em expansão e formas emergentes de globalização das trocas e contenciosos gerenciais. Tempo Social – Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 101-125, jun. 2010.

DREIFUSS, R. A. A internacional capitalista: estratégias e táticas do empresariado transnacional (1918-1986). Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1986.

DREIFUSS, R. A. O jogo da direita: na Nova República. Petrópolis: Vozes, 1989.

DUARTE, G. Dicionário de administração e negócios. Edição Digital. Petrópolis: KindleBookBr, 2011.

FOSTER, J. B. Educação e a crise estrutural do capital: o caso dos Estados Unidos. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 31, n. 1, p. 85-136, jan./abr. 2013.

FREITAS, L. C. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério a destruição do sistema público de educação. Revista Educ. Soc., Campinas, v. 33, n. 119, p. 379-404, abr./jun. 2012.

FRIGOTTO, G. Juventude, trabalho e educação: o presente e o futuro interditados ou em suspenso. In: TIRIBA, L.; CIAVATTA, M. (org.). Trabalho e educação de jovens e adultos. Brasília: Liber Livro; Niterói: Editora UFF, p. 99-133, 2011.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1993.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. v. 2. Os intelectuais. O princípio educativo. Jornalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. v. 3. Maquiavel. Notas sobre o Estado e a política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

GUNTER, H.; HALL, D.; MILLS, C. Educational administration and consultocracy. Political Studies Association Conference, Manchester, UK, april 2014.

HODGE, G. Delivering performance improvements through public private partnerships: defining and evaluating a phenomenon. In: The Institute of Public administration (IPa). International Conference on Administrative Development: towards excellence in public sector. 2009. Saudi Arabia, 1-4 nov. 2009.

LIMA, G. S. P. Avaliando a Implementação do Programa de Intervenção Pedagógica/Alfabetização no Tempo Certo (PIP/ATC): estudo de caso da SRE “Zona da Mata”. 2014. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública) – Faculdade de Educação/CAEd, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2014.

MARTINS, A. S.; NEVES, L. M. W. (Org.). Educação básica: tragédia anunciada? São Paulo: Xamã, 2015.

MCDONALD, D. Nos bastidores da McKinsey. Tradução de Carlos Szlak. São Paulo: Saraiva, 2014.

MCKINSEY & COMPANY. Engaging teachers to advance childhood literacy, 2018. Disponível em: https://www.mckinsey.com/industries/social-sector/how-we-help-clients/engaging-teachers-to-advance-childhood-literacy. Acesso em: 06 nov. 2018.

MELO, A. A. S. A mundialização da educação: o projeto neoliberal de sociedade e de educação no Brasil e na Venezuela. 2003. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

MORRIS, P. Política educacional, exames internacionais de desempenho e a busca da escolarização de classe mundial: uma análise crítica. Revista Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 28, n. 68, p. 302-342, maio/ago. 2017.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. 14th OECD Japan Seminar: “Strong Performers, Successful Reformers in Education”, 2011. Disponível em: http://www.oecd.org/pisa/14thoecdjapanseminarstrongperformerssuccessfulreformersineducation.htm. Acesso em: 28 nov. 2018.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. 21st Century Learning: research, innovation and policy: Directions from recent OECD analyses. OECD/CERI International Conference “Learning in the 21st Century: Research, Innovation and Policy”. OECD: Paris, 2008.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Educação 2030: Declaração de Incheon e Marco de Ação; rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos, 2016. Disponível em: http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/education_2030_incheon_declaration_and_and_framework_for_ac/. Acesso em: 15 nov. 2018.

PARCERIAS com empresários são informais. Observatório da Educação, 2012. Disponível em: http://www.observatoriodaeducacao.org.br/index.php/controle-social/73-controle-social/1181-parcerias-com-empresarios-sao-informais-. Acesso em: 17 nov. 2018.

PEREIRA, R. S. A política de competências e habilidades na educação básica pública: relações entre Brasil e OCDE. 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2016.

PRESS Release: Kevin Sneader Elected Global Managing Partner of McKinsey & Company. McKinsey, 2018. Disponível em: https://www.mckinsey.com/about-us/media-center/press-release-kevin-sneader. Acesso em: 15 nov. 2018.

RAVITCH, D. Vida e morte do grande sistema escolar americano: como os testes padronizados e o modelo de mercado ameaçam a educação. Porto Alegre: Sulina, 2011.

ROBERTSON, S. L. A estranha não morte da privatização neoliberal na Estratégia 2020 para a educação do Banco Mundial. Revista Brasileira de Educação, v. 17, n. 50, maio/ago. 2012.

RODRIGUES, J. Os empresários e a educação superior. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

SALDAÑA, P. Justiça ordena apreensão na USP de documentos de consultoria. Folha de S. Paulo, 2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2018/02/justica-ordena-apreensao-na-usp-de-documentos-de-consultoria.shtml. Acesso em: 17 nov. 2018.

SANDRONI, P. (org.). Novíssimo dicionário de economia. São Paulo: Best Seller, 1999.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SHIROMA, E. O. Ações em rede na educação: contribuição dos estudos do trabalho para a análise de redes sociais. In: ARAUJO, R. M. L.; RODRIGUES, D. S. (Org.). A pesquisa em trabalho, educação e políticas educacionais. Campinas: Alínea, 2012.

SIQUEIRA, A. C. A regulamentação do enfoque comercial no setor educacional via OMC/GATS. Revista Brasileira de Educação, n. 26, p. 145-156, maio/ago. 2004.

SOUZA, C. A. Educação básica em disputa: o jogo dos empresários no mercado mundial do conhecimento no século XXI. 2019. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.

TEIXEIRA, S. H. O. Círculos de Informações e usos do território: grandes empresas de consultoria e a gestão da privatização no Brasil. 2013. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

UNITED NATIONS. “Partnering with the philanthropic community to promote education for all”. 2018. Disponível em: https://www.un.org/ecosoc/en/content/%E2%80%9Cpartnering-philanthropic-community-promote-education-all%E2%80%9D. Acesso em: 15 nov. 2018.

WORLD ECONOMIC FORUM. Annual Meeting of the Global Future Councils, 2016. Disponível em: https://www.weforum.org/events/annual-meeting-of-global-future-councils-2016. Acesso em: 15 nov. 2018.

WORLD ECONOMIC FORUM. Global education initiative: retrospective on partnerships for education development 2003-2011. WEF: Cologny/Geneva, Switzerland, 2012.

WORLD ECONOMIC FORUM. Outlook on the Global Agenda 2015. WEF: Cologny/Geneva, Switzerland, 2014.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Revista HISTEDBR On-line

Downloads

Não há dados estatísticos.