Banner Portal
“Se unidos estivermos, certo venceremos”
PDF

Palavras-chave

Organização docente
Liga de professores
História da educação

Como Citar

SILVA, Marcelo Gomes da. “Se unidos estivermos, certo venceremos”: a experiência organizativa da liga de professores do Rio de Janeiro (1919-1937). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 20, p. e020033, 2020. DOI: 10.20396/rho.v20i0.8655676. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8655676. Acesso em: 16 jul. 2024.

Resumo

O trabalho objetivou analisar as práticas, as finalidades e os sentidos construídos pelos professores e professoras ao se organizarem. Desse modo, centrou-se no escrutínio da Liga de Professores, realizando um levantamento de suas atividades através de publicações sobre a entidade em treze jornais, entre os anos de 1919 e 1937. Percebeu-se a recorrência do discurso pela união como algo que traria benefícios para a categoria, além do reconhecimento dessas entidades enquanto um órgão educacional, o que representou, empiricamente, a construção de redes de sociabilidade e a circularidade de professores e professoras para além das associações docentes, estabelecendo uma relação entre o movimento operário e outros espaços em disputa.

https://doi.org/10.20396/rho.v20i0.8655676
PDF

Referências

A ÉPOCA. Rio de Janeiro, ed. 2435, 17 mar. 1919. p. 2.

A ESCOLA PRIMÁRIA. Rio de Janeiro, ed. 02, 01 maio 1931. p. 26.

A ESCOLA PRIMÁRIA. Rio de Janeiro, ed. 10, 01 jul. 1917. p. 267.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 2436, 25 set. 1918. p. 2.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 2856, 23 nov. 1919. p. 4.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 4370, 27 jan. 1924. p. 6.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 4545, 21 jul. 1924. p. 6.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 7326, 19 abr. 1932. p. 2.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 7605, 25 jan. 1933. p. 4.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 8212, 04 out. 1934. p. 4.

A NOITE. Rio de Janeiro, ed. 8297, 29 dez. 1934. p. 2.

A RAZÃO. Rio de Janeiro, ed. 642, 26 set. 1918. p. 2.

A RUA. Rio de Janeiro, ed. 276, 08 out. 1919. p. 4.

ASCOLANI, A. La internacional Del Magistério Americano: creacipon y repercusiones (1928- 1930). In: GINDIN, Julián; FERREIRA, Márcia; ROSSO, Sadi. (Org.). Associativismo e sindicalismo em educação. Teoria, história e movimentos. Brasília: Paralelo 15, 2013.

CHALHOUB, S. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da Belle époque. 3. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2012.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, ed. 10001, 23 ago. 1927. p. 8.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, ed. 11826, 22 jun.1933. p. 3.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, ed. 11836, 04 jul. 1933. p. 4.

COSTA, A. L. J. da. O educar-se das classes populares oitocentistas no Rio de Janeiro entre a escolarização e a experiência. 2012. 274p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Rio de Janeiro, ed. 225, 1931. p. 7.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Rio de Janeiro, ed. 331, 1931. p.7.

DIÁRIO DE NOTICIAS. Rio de Janeiro, ed. 344, 1931. p. 7.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Rio de Janeiro, ed. 502, 1931. p. 9.

DIAS, A. Apostolado cívico e trabalhadores do ensino: história do magistério do ensino secundário no Brasil (1931-1946). 2008. 251p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.

FONSECA, V. M. M. da. No gozo dos direitos civis: associativismo no Rio de Janeiro, 1903-1916. RJ, Niterói: Arquivo Nacional/Muiraquitã, 2008.

GAZETA DE NOTÍCIAS. Rio de Janeiro, ed. 313, 12 ago. 1920. p. 1.

GIL BLAS. Rio de Janeiro, edição 25, 31 jul. 1919. p. 6.

GOMES, A. C. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

GONDRA, J. G.; SCHUELER, A. F. Educação, poder e sociedade no Império brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, ed. 100, 26 abr. 1930. p. 15.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, ed. 107, 04 maio 1925. p. 10.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, ed. 165, 13 jul. 1934. p. 14.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, ed. 193, 12 ago. 1924. p. 12.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, ed. 220, 13 set. 1929. p. 12.

JORNAL DO BRASIL. Rio de Janeiro, ed. 223, 12 ago. 1920. p. 8.

JORNAL DO COMMERCIO. Rio de Janeiro, ed. 321, 21 nov. 1923. p. 6.

LARA, S. H. Escravidão, cidadania e história do trabalho no Brasil. Projeto História, São Paulo, v. 16, p. 25-38, fev. 1998.

LEMOS, D. A. C. O discurso da ordem: a constituição do campo docente na Corte Imperial. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

LEMOS, D. A. C. Professores em movimento: a emergência do associativismo docente na Corte Imperial. Minas Gerais. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

MATTOS, M. B. Trabalhadores e sindicatos no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MIGNOT, A. C.; GONDRA, J. G. (Org.). Viagens pedagógicas. São Paulo: Cortez, 2007.

NÓVOA, A. (Org.). Profissão Professor. Porto Editora: Porto, 1999.

NÓVOA, A. Para o estudo sócio-histórico da gênese e desenvolvimento da profissão docente. Teoria e Educação, n. 4, 1991.

O ENSINO. Rio de Janeiro, abril 1919. p. 57.

O IMPARCIAL. Rio de Janeiro, ed. 107, 18 abr. 1918. p. 8.

O JORNAL. Rio de Janeiro, ed. 00536, 1920. p. 7.

O JORNAL. Rio de Janeiro, ed. 3336, 1929. p. 15.

O PAIZ. Rio de Janeiro, ed. 14698, 1925. p. 5.

O PAIZ. Rio de Janeiro, ed. 15608, 1927. p. 4.

SILVA, M. G. Imprensa docente na Primeira República: as representações dos professores na revista o ensino (1919-1920). In: CONGRESSO IBEROAMERICANO DE HISTORIA DE LA EDUCACIÓN LATINOAMERICANA, 11., 2014, Toluca, MEX. Anais [...]. Toluca, MEX: Colégio Mexiquense, 2014.

TEIXEIRA, G. B. A imprensa pedagógica no Rio de janeiro: os jornais e as revistas como agentes construtores da escola (1870-1919). 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016.

VOZ DO POVO. Rio de Janeiro, ed. 124, 1920. p. 1.

XAVIER, L. Associativismo docente e construção democrática. Brasil-Portugal: 1950-1980. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2013.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.