A perspectiva curricular a luz da pedagogia histórico-crítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v21i00.8660386

Palavras-chave:

Currículo escolar, Pedagogia histórico-crítica

Resumo

Este artigo é resultado de leituras e discussões iniciais sobre o currículo na perspectiva da pedagogia histórico-crítica. A metodologia adotada baseia-se no materialismo histórico-dialético com revisão bibliográfica nos escritos de Dermeval Saviani (2013a, 2013b), de Antônio Gramsci (2000), de Newton Duarte (2016) e de Júlia Malanchen (2014). O objetivo do trabalho é analisar a construção social do currículo visualizando-o como um produto histórico, principalmente no tocante aos seus condicionantes históricos da década de 1990, que influenciaram, de forma significativa, o rumo dessa política pública. Sendo assim, a problemática central no texto refere-se a necessidade de uma organização curricular que supere a visão burguesa de educação. Os resultados expõem a pedagogia histórico-crítica como a perspectiva curricular mais adequada, pois a partir desta visão a classe trabalhadora é munida do conhecimento científico acumulado historicamente e instrumentalizada para a revolução.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Regina Coppe, Prefeitura Municipal de Chopinzinho

Mestrado em Educação pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Professora da educação básica na Prefeitura Municipal de Chopinzinho.

Adair Ângelo Dalarosa, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora titular em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

 

Referências

ARELARO, L. R. G. Resistência e submissão. A reforma educacional na década de 1990. In: KRAWCZYK, N.; CAMPOS, M. M.; HADDAD, S. (Org.). O cenário educacional latino-americano no limiar do século XXI: reformas em debate. Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

BRASIL. Lei n° 4024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960- 1969/lei-4024-20-dezembro-1961-353722-normaatualizada-pl.html. Acesso em: 20 jul. 2020.

DUARTE, N. Os conteúdos escolares e a ressureição dos mortos: contribuições à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. Educação básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Revista Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 24, n. 82, p. 93-130, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v24n82/a05v24n82.pdf. Acesso em: 07 mar. 2021.

GAMA, C. N.; DUARTE, N. Concepção de currículo em Dermeval Saviani e suas relações com a categoria marxista de liberdade. Revista Interface – Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu, SP, v. 21, n. 62, p. 521-530, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414- 32832017005010103&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 07 mar. 2021.

GRAMSCI. A. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. v. 2.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neo-liberalismo em ataque ao ensino público. Trad. Maria Luíza M. de Carvalho e Silva. Londrina, PR: Planta, 2004.

MALANCHEN, J. A pedagogia histórico-crítica e o currículo: para além do multiculturalismo das políticas curriculares nacionais. 2014. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2014.

MANACORDA, M. A. História da Educação. 5. ed. São Paulo: Cortez, 1996.

Pedagogia histórico-crítica e a luta de classes na educação escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2015.

PELETTI, A. B. O currículo do município de Cascavel e da região oeste do Paraná e as políticas nacionais de educação da década de 1990. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2012.

PILETTI, N. História da educação no Brasil. 2. ed. São Paulo: Ática, 1991.

PRONKO, M. O Banco Mundial no campo internacional da educação. In: PEREIRA, J. M. M.; PRONKO, M. (Org.). A demolição dos direitos: um exame das políticas do Banco Mundial para a educação e a saúde. Rio de Janeiro: Editora da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, 2015.

ROCHA, M. B. M. Tradição e modernidade na educação: o processo constituinte de 1933-34. In: FÁVERO, O. (Org.). A educação nas constituintes brasileiras: 1823-1988. Campinas, SP: Autores Associados, 1996.

SAVIANI, D. Educação do senso comum a consciência filosófica. 19. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2013a.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 41. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, D. Marxismo, educação e pedagogia. In: SAVIANI, D.; DUARTE, N. (Org.).

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2013b.

SAVIANI, N. Saber escolar, currículo e didática: problemas de unidade conteúdo / método no processo pedagógico. 5. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

ZOTTI, S. A. Sociedade, educação e currículo no Brasil: dos jesuítas aos anos de 1980. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

Downloads

Publicado

2021-05-03

Como Citar

COPPE, M. R.; DALAROSA, A. Ângelo . A perspectiva curricular a luz da pedagogia histórico-crítica. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e021002, 2021. DOI: 10.20396/rho.v21i00.8660386. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8660386. Acesso em: 20 set. 2021.