Banner Portal
Por que os educadores precisam fazer a pergunta de Hamlet?
PDF

Palavras-chave

Lukács
Hamlet
Pedagogia histórico-crítica

Como Citar

ROSSI, Rafael; ROSSI, Aline Cristina Santana. Por que os educadores precisam fazer a pergunta de Hamlet?. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023030, 2023. DOI: 10.20396/rho.v23i00.8665814. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8665814. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

O presente artigo é um procedimento de que nos utilizamos para abordar a relevância da apropriação das obras estéticas literárias na atuação e na pesquisa em Educação. Partimos das contribuições da perspectiva ontológica lukacsiana e, também, as elaborações da pedagogia histórico-crítica, para explorar as potencialidades da grande arte no debate em educação. Consideramos a perspectiva ontológica e histórica da constituição e da função social da obra de arte e avançamos para suas potencialidades realistas no que se refere ao fenômeno educativo tendo como aporte o clássico “Hamlet” de Shakespeare. Concluímos que as Artes fornece um tipo de conhecimento que permite compreender aspectos essenciais da realidade objetiva e, nesse aspecto, precisa ser apropriada e transmitida por meio da atividade teleologicamente orientada dos educadores e dos pesquisadores educacionais.

https://doi.org/10.20396/rho.v23i00.8665814
PDF

Referências

ANTUNES, R. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ASSUMPÇÃO, M. C. Educação escolar e individualidade: fundamentos estéticos da pedagogia histórico-crítica. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2018. 156 p. Disponível em: https://agendapos.fclar.unesp.br/agenda-pos/educacao_escolar/4676.pdf. Acesso em: 09 nov. 2023.

CANDIDO, A. O direito à literatura. In: CANDIDO, A. (org.). Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 2004. p. 169-191.

COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

DUARTE, N. A importância da concepção de mundo para a educação escolar: porque a pedagogia histórico-crítica não endossa o silêncio de Wittgenstein. Revista Germinal, v. 7, n. 1, p. 8-25, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/12808/9501. Acesso em: 09 nov. 2023.

DUARTE, N. A pedagogia histórico-crítica e a formação da individualidade para si. Germinal, Salvador, v. 5, n. 2, p. 59-72, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/9699/7087. Acesso em: 09 nov. 2023.

DUARTE, N. Concepções afirmativas e negativas sobre o ato de ensinar. Cad. CEDES, Campinas, v. 19, n. 44, p. 85-106, apr. 1998. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-32621998000100008. In stock: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010132621998000100008&lng=en&nrm=iso. Access in: 31 mar. 2021.

DUARTE, N. Conhecimento tácito e conhecimento escolar na formação do professor (por que Donald Schon não entendeu Luria). Educ. Soc., Campinas, v. 24, n. 83, p. 601-625, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/GvtW5bPLwmVLGD3mvDq9FrB/abstract/?lang=pt. Acesso em: 09 nov. 2023.

DUARTE, N. Os conteúdos escolares e a ressureição dos mortos: contribuição à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 5. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

FREDERICO, C. A arte no mundo dos homens: o itinerário de Lukács. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

FREDERICO, C. Lukács, arte e educação. Revista GESTO-Debate, Campo Grande, MS, v. 21, n. 02, p. 23-30, jan./dez. 2021. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/gestodebate/article/view/17112/11371. Acesso em: 09 nov. 2023.

LUKÁCS, G. Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

LUKÁCS, G. Il problema dell’ideologia. In: LUKÁCS,G. (org.). Per una Ontologia dell’essere sociale. Tradução Mimeo. de Ester Vaisman. Roma: Riuniti, 1981. p. 11-131.

LUKÁCS, G. Introdução aos escritos estéticos de Marx e Engels. In: MARX, K.; ENGELS, F. Cultura, arte e literatura: textos escolhidos. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social – II. São Paulo: Boitempo, 2013.

PAULO NETTO, J.; BRAZ, M. Economia política: uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2012.

SAVIANI, D. Educação Socialista, pedagogia histórico-crítica e os desafios da sociedade de classes. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D. (org.). Marxismo e educação: debates contemporâneos. Campinas, SP: Autores Associados, 2017. p. 248-300.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 19. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

SAVIANI, D. Entrevista. Marxismo 21, 2021. p. 01-38. Disponível em: < https://marxismo21.org/. Acesso em: 04 abr. 2021.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica, quadragésimo ano: novas aproximações. Campinas, SP: Autores Associados, 2019.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

SHAKESPEARE, W. Grandes obras de Shakespeare: tragédias. Tradução de Barbara Heliodora. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2017. V. 1.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Rafael Rossi; Aline Rossi

Downloads

Não há dados estatísticos.