Banner Portal
Uma análise crítica do papel da escola pública no combate às Fake News
PDF

Palavras-chave

Escola pública
Fake News
Materialismo histórico
Pedagogia histórico-crítica

Como Citar

XAVIER, Itamaragiba Chaves. Uma análise crítica do papel da escola pública no combate às Fake News. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023037, 2023. DOI: 10.20396/rho.v23i00.8670887. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8670887. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

O objetivo do artigo é analisar qual o papel da escola pública no combate às fake news. O referencial teórico-metodológico empregado está pautado no materialismo histórico e na pedagogia histórico-crítica. O termo fake news é compreendido como uma notícia falsa, dolosamente manipulada com o objetivo de enganar o receptor da desinformação. A escola pública deve propiciar que o aluno se aproprie da tecnologia que possibilitou a criação e divulgação das fake news, aprenda a navegar no ambiente virtual de forma ética e em oposição às notícias falsas que estimulam o discurso de ódio, o preconceito e que são contrárias aos interesses da classe trabalhadora. Além disso, compreender que uma parte significativa das fake news é elaborada por corporações poderosas, com recursos financeiros abundantes e por pessoas especializadas, que participam da disputa do poder econômico e político como intelectuais orgânicos das classes dominantes. Para finalizar, a escola pública deve cumprir a função de instrumentalizar os alunos/agentes sociais com as ferramentas necessárias para a luta de classe na sociedade atual.

https://doi.org/10.20396/rho.v23i00.8670887
PDF

Referências

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado. Lisboa: Presença, 1974.

BERGER, G. Prefácio. In: IRETON, C.; POSETTI, J. (org.). Jornalismo, fake news e desinformação: manual para educação e treinamento em jornalismo. UNESCO, 2019. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000368647?posInSet=2&queryId=a8050576-9941-4456-ae89-db14a68715c2. Acesso em: 05 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf . Acesso em: 05 abr. 2021.

BUCCI, E. Pós-política e corrosão da verdade. Revista USP, n. 116, p. 19-30, 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/issue/view/10663. Acesso em: 05 abr. 2021.

CHAUI, M. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1994.

COSTA, F. Editorial. Revista USP, n. 116, p. 01, 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/issue/view/10663. Acesso em: 05 abr. 2021.

FRIAS FILHO, O. O que é falso sobre fake news. Revista USP, n. 116, p. 39-44, 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/issue/view/10663. Acesso em: 05 abr. 2021.

GENESINI, S. A pós-verdade é uma notícia falsa. Revista USP, n. 116, p. 45-58, 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/issue/view/10663. Acesso em: 05 abr. 2021.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1993.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: HUCITEC, 1986.

NASCIMENTO. C. E. G. Fake news, mentira organizada e educação: uma reflexão a partir do pensamento de Hannah Arendt. Revista docência e cibercultura, v. 4, n. 1, p. 243-263, 2020. DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2020.47553. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/article/view/47553. Acesso em: 05 abr. 2021.

PINSKY, J.; PINSKY, C. B. A história contra-ataca. In: PINSKY, J.; PINSKY, C. B. (org.). Novos combates pela história: desafios – ensino. São Paulo: Contexto, 2021. p. 9-21.

RECUERO, R.; GRUZD, A. cascatas de Fake News políticas: um estudo de caso no Twitter. Galáxia, n. 41, p. 31-47, 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-25542019239035. Disponível em: https://www.scielo.br/j/gal/a/Kvxg4btPzLYdxXk77rGrmJS/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 05 abr. 2021.

REVISTA USP. São Paulo: Revista USP, 1989-. 2018. Dossiê pós-verdade e jornalismo. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/issue/view/10663. Acesso em: 05 abr. 2021.

RODRIGUES, I. Usos pedagógicos para YouTube e podcasts. In: PINSKY, J.; PINSKY, C. B. (org.). Novos combates pela história: desafios – ensino. São Paulo: Contexto, 2021. p. 175-197.

SANTAELLA, L. A pós-verdade é verdadeira ou falsa? São Paulo: Estação das letras e cores, 2019.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 19. ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 42. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica, quadragésimo ano: novas aproximações. Campinas: Autores Associados, 2019.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

TAMBARA, E.; OLIVEIRA, A. R. Fontes e métodos na história da educação. In: XAVIER, L.; TAMBARA, E.; PINHEIRO, A. C. F. (org.). História da Educação no Brasil: matrizes interpretativas, abordagens e fontes predominantes na primeira década do século XXI. Vitória: EDUFES, 2011. p. 143-162.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Itamaragiba Xavier

Downloads

Não há dados estatísticos.