Banner Portal
ITARD e o "Selvagem de Aveyron”
PDF

Palavras-chave

Educação Especial
Deficiência intelectual
Menino selvagem
Organização do trabalho didático

Como Citar

LANCILLOTTI, Samira Saad Pulchério. ITARD e o "Selvagem de Aveyron”: educação da pessoa com deficiência intelectual no iluminismo tardio. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 23, n. 00, p. e023035, 2023. DOI: 10.20396/rho.v23i00.8674127. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8674127. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

O presente artigo traz a análise da experiência pioneira na educação de pessoas com deficiência intelectual. Toma por referência o trabalho de Jean Marc-Gaspard Itard (1774-1838), médico francês, que educou um “jovem selvagem”, de nome Victor, capturado em 1800 nas cercanias da Floresta de La Caune. Itard trabalhou no Instituto Nacional dos Surdos-Mudos, em Paris, e publicou o primeiro relatório sobre a educação do menino em 1801, sob o título "Da educação de um homem selvagem ou dos primeiros desenvolvimentos físicos do jovem Selvagem do Aveyron". No referido relatório, Itard descreveu suas ações e os resultados alcançados na educação de Victor ao longo dos primeiros nove meses de atividade. A análise toma por referência a categoria teórica "organização do trabalho didático" (OTD), desenvolvida por Alves, para compreender as práticas educativas aplicadas a pessoas com deficiência intelectual. O estudo evidencia que, enquanto a educação comum se consolidou de conformidade com a proposta de Jan Amós Comenius (1592-1670), por meio do ensino coletivo e uso de manuais didáticos, a educação de crianças com deficiência intelectual, desde seus primórdios, adotou a proposta do ensino individualizado. Essa abordagem continuou a ser desenvolvida ao longo do século XX e acabou se estabelecendo como referência no campo da educação especial, particularmente para crianças com deficiências cognitivas mais graves. A análise destaca a importância de compreender a historicidade das práticas educativas voltadas às pessoas com deficiência intelectual, o que permite apreender os desafios postos à educação desse alunado e avançar, no sentido de assegurar-lhes acesso ao conhecimento científico, artístico e filosófico junto dos demais estudantes.

https://doi.org/10.20396/rho.v23i00.8674127
PDF

Referências

ALVES, G. L. O trabalho didático na escola moderna: formas históricas. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

BANKS-LEITE, L.; GALVÃO, I. (org.). A educação de um selvagem: as experiências pedagógicas de Jean Itard. São Paulo: Cortez, 2000.

BRASIL. Lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência - Lei nª 13.146. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF, 6 de julho de 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 10 set. 2023.

COMÉNIO, J. A. Didáctica Magna: tratado da arte universal de ensinar tudo a todos. 3. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1996.

CONDE, M. T. B. O modo de ensino mútuo na formação dos mestres de primeiras letras uma experiência pedagógica no Portugal oitocentista. Revista Lusófona de Educação, v. 6, n. 6, 2005. Disponível em: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/issue/view/63. Acesso em: 12 jul. 2023.

CONDILLAC, E. B. Tratado das sensações. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1993.

DUARTE, N. A formação da pessoa com deficiência, a educação escolar e a individualidade para si. In: ZANOLLA, S. R. S.; BAPTISTA, T. J. R. (org.). Educação, cultura, diversidade e formação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2016.

ITARD, J. M. G. Da educação de um homem selvagem ou primeiros desenvolvimentos físicos e morais do jovem Selvagem do Aveyron. In: BANKS-LEITE, L.; GALVÃO, I. (org.). A educação de um selvagem: as experiências pedagógicas de Jean Itard. São Paulo: Cortez, 2000.

KRYNSKI, S. Deficiência mental. Rio de Janeiro: Atheneu, 1969.

LUIS, C. R. Linguagem e semiótica em Jean Itard. In: CONFERÊNCIA DE PESQUISA SÓCIO-CULTURAL, 3., 2000, Campinas. Anais [...]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2000. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/eventos/br2000/indit.htm. Acesso em: 19 jul. 2023.

MONTANARI, A. (org.). El salvaje del Aveyron: psiquiatría y pedagogía en el Iluminismo tardio. Buenos Aires: CEAL, 1978.

PINEL, P. Relación presentada ante la Socié té des Obsevateurs de l’Homme sobre el niño conocido como el Salvaje del Aveyron. In: MONTANARI, A. (org.). El salvaje del Aveyron: psiquiatría y pedagogía en el Iluminismo tardio. Buenos Aires: CEAL, 1978.

ROSA, K. N. S. O processo de ensino e aprendizagem da criança com deficiência intelectual: contribuições de edouard séguin (1812-1880). CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 4., 2017, Campina Grande. Anais [...]. Campina Grande: Realize Editora, 2017. Disponível em: https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/37881. Acesso em: 30 out. 2023.

SANFELICE, J. L. Escola pública e gratuita para todos: inclusive para os “deficientes mentais”. Cadernos CEDES: Educação especial, São Paulo: Cortez, n. 23, 1989.

TANNÚS-VALADÃO, G.; MENDES, E. G. Inclusão escolar e o planejamento educacional individualizado: estudo comparativo sobre práticas de planejamento em diferentes países. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 23, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-24782018230076. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782018000100153&lng=pt&nrm=iso. Acessos em: 30 out. 2023.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Samira Lancillotti

Downloads

Não há dados estatísticos.