Artista enquanto curador

Das convergências e dissoluções entre práticas artísticas e curatoriais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v3i1.4117

Palavras-chave:

33ª Bienal de São Paulo, artistas-curadores, práticas artísticas e curatoriais, autorias, curatorialização.

Resumo

O artigo parte do modelo curatorial da 33ª Bienal de São Paulo, no qual artistas-curadores assumiram a responsabilidade pelas escolhas e decisões que guiaram o processo de concepção e organização das mostras coletivas que compuseram o conjunto expositivo. Ao analisar a intenção do curador-chefe, Gabriel Pérez-Barreiro, de colocar em discussão os modelos de curadorias centralizados na figura do curador e estruturadas como arranjos temáticos de obras, argumenta-se que a opção por artistas-curadores implica em um inevitável tensionamento quanto às funções tanto dos curadores como dos artistas na organização de uma grande exposição. Tendo em conta essas questões, são mobilizados antecedentes históricos e referenciais teóricos que ajudam a melhor delinear e compreender a problemática em torno das convergências entre práticas artísticas e curatoriais, com especial atenção às dissoluções de categorias e às trocas de papéis. A discussão sobre as possíveis equivalências de práticas e os conflitos de autorias aponta para questões em torno da “curatorialização” de procedimentos artísticos em âmbito institucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Dalcol, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pesquisador, crítico, curador e editor. Atual diretor-curador do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS). É doutor em História, Teoria e Crítica de Arte pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGAV) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com estágio de doutoramento no exterior pela Universidade Nova de Lisboa (UNL). Sua pesquisa de doutorado trata das interseções entre crítica de arte, exposição e curadoria, tendo defendido em 2018 a tese intitulada “A curadoria de exposição enquanto espaço de crítica: a constituição de um campo de prática e pensamento em curadoria no Brasil (anos 1960-1980)”. É membro da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e da Associação Brasileira de Pesquisadores em Artes Plásticas (ANPAP). Em 2017 e 2018, integrou o Júri de Indicação do Prêmio PIPA. Em 2016, ganhou a 1ª menção honorífica no Incentive Prize for Young Critics, concedido pela AICA. Entre suas curadorias, tem trabalhado com artistas contemporâneos atuantes em Porto Alegre e desenvolvido projetos de exposições individuais e coletivas em galerias, instituições e museus.

Referências

ALAMBERT, Francisco; CANHÊTE, Polyana. As bienais de São Paulo: da era do museu à era dos curadores (1951-2001). São Paulo: Boitempo, 2004.

BISHOP, Claire. “O que é um curador? A ascensão (e queda?) do curador auteur”. Concinnitas – Revista do Instituto de Artes da UERJ. Rio de Janeiro, ano 16, v. 2, nº 27, dez. 2015, p. 270-282.

BUREN, Daniel. “Exhibitions of an Exhibition” [1972]. In: Where are the artists? [contribuição de Buren para o projeto The Next Documenta Should Be Curated by an Artist, organizado por Jens Hoffmann]. Disponível em: <http://projects.e-flux.com/next_doc/d_buren.html#>. Acesso em: 17 dez. 2018.

CARVALHO, Ana Maria Albani de. “Curadoria e potencialidade crítica na arte pós-autônoma”. Anais do XXXIII Colóquio CBHA – Arte e suas instituições, set. 2013. Campinas: Comitê Brasileiro de História da Arte – CBHA, 2014 [2013], p. 257-272.

CHIARELLI, Tadeu. “As funções do curador, o Museu de Arte Moderna de São Paulo e o grupo de estudos de curadoria do MAM”. In: CHAIMOVICH, Felipe (org.). Grupo de estudos de curadoria – 1998-1999. São Paulo: MAM-SP, 2008, p. 13-19.

FERGUSON, Bruce; GREENBERG, Reesa; NAIRNE, Sandy (eds.). “Introduction”. In: Thinking about Exhibitions. London, New York: Routledge, 1996, p. 1-4.

FILIPOVIC, Elena. “When Exhibitions Become Form: On the History of the Artist as Curator”. In: The Artist as Curator. Mousse Magazine, Issue 41. Milan: Mousse Publishing, 2014.

FUNDAÇÃO BIENAL DE SÃO PAULO. “33ª Bienal de São Paulo revê papel da curadoria” [press release]. São Paulo, 2017. Disponível em: <http://imgs.fbsp.org.br/files/33bsp_release_coletiva_PT.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2018.

FUNDAÇÃO BIENAL DE SÃO PAULO. “‘Sistema operacional’ alternativo da 33ª Bienal de São Paulo ganha corpo com anúncio de doze projetos individuais” [press release]. São Paulo, mar. 2018. Disponível em: <http://imgs.fbsp.org.br/files/33bsp_anuncio20marco_PT.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2018.

GROYS, Boris. “Autoria múltipla”. In: Arte poder. Belo Horizonte: UFMG, 2015, p. 119-127.

GROYS, Boris. “Sobre curadoria”. In: Arte poder. Belo Horizonte: UFMG, 2015, p. 61-71.

HOFFMANN, Jens. “A exposição como trabalho de arte”. Concinnitas, Revista do Instituto de Artes da UERJ. Rio de Janeiro, vol. 5, nº 6, jul. 2004, p. 18-29.

HOFFMANN, Jens. “The Curatorialization of Institutional Critique”. In: WELCHMAN, John C. (ed.). Institucional Critique and After. Zurich: JRP Ringier, 2006, p. 323-335.

HUCHET, Stéphane. “Partilhas no ambiente da crítica”. Porto Arte – Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Artes, Porto Alegre (RS), v. 16, nº 27, nov. 2009, p. 75-87.

KWON, Miwon. “Um lugar após o outro: anotações sobre site-specificity”. Arte & Ensaios – Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, v. 15, nº 17, dez. 2008, p. 167-187.

O’NEILL, Paul. The Culture of Curating and The Curating of Culture(s). Cambridge and London: The MIT Press, 2012.

PÉREZ-BARREIRO, Gabriel. “Afinidades afetivas”. Apresentação da exposição. 33ª Bienal de São Paulo, 2018. Disponível em: <http://33.bienal.org.br/pt/sobre-a-exposicao/5244>. Acesso em: 17 dez. 2018.

POINSOT, Jean-Marc. “Large exhibition – a sketch of a typology”. In: FERGUSON, Bruce; GREENBERG, Reesa; NAIRNE, Sandy (eds.). “Introduction”. In: Thinking about Exhibitions. London, New York: Routledge, 1996, p. 39-66.

SMITH, Terry. Thinking Contemporary Curating. New York: Independent Curators International, 2012.

SMITHSON, Robert. “Cultural Confinement” [1972]. In: FLAM, Jack (ed.). Robert Smithson: The Collected Writings. Berkeley: University of California Press, 1996, p. 154-155.

STANISZEWSKI, Mary Anne. The Power of Display: A History of Exhibition Installations at the Museum of Modern Art. Cambridge, MA: MIT Press, 1998.

Downloads

Publicado

2019-01-20

Como Citar

DALCOL, F. Artista enquanto curador: Das convergências e dissoluções entre práticas artísticas e curatoriais. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 1, p. 281–299, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i1.4117. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8662921. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Ex-posições/33ª Bienal de São Paulo