Imagens de atelier na crítica de arte de Adalberto Mattos
PDF

Palavras-chave

Adalberto Mattos
atelier do artista
studio studies
crítica de arte
arte brasileira.

Como Citar

BRANCATO, João Victor Rossetti. Imagens de atelier na crítica de arte de Adalberto Mattos. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 2, p. 221–237, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i2.4090. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663038. Acesso em: 12 jul. 2024.

Resumo

O trabalho propõe-se a analisar a série de reportagens Os nossos artistas e os seus ateliers, do crítico de arte Adalberto Mattos (1888-1966). Os textos foram publicados ao longo da década de 20 na Revista Illustração Brasileira, junto a fartas reproduções fotográficas, permitindo-nos não só conhecer os ateliers de artistas de sua geração quanto questionar os sentidos dados a esses espaços.  A partir do material acima e de referências sobre o recente campo dos studio studies, pretende-se refletir sobre os modelos de ateliers estabelecidos por Mattos e como eles, por sua vez, se relacionam aos seus juízos críticos sobre a imagem do artista, a boa obra de arte e os anseios sociais de sua época.

https://doi.org/10.24978/mod.v3i2.4090
PDF

Referências

BRANCATO, João Victor Rossetti. Crítica de arte e modernidade no Rio de Janeiro: intertextualidade na imprensa carioca dos anos 20 a partir de Adalberto Mattos (1888-1966). 2018. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Ciências Humanas, UFJF, Juiz de Fora.

______. A imprensa bate à porta: Adalberto Mattos e Angyone Costa nos ateliers do Rio de Janeiro na década de 20. Atas do XI Encontro de História da Arte. Campinas: UNICAMP/IFCH, 2015. Disponível em: <https://www.ifch.unicamp.br/eha/atasXIeha.html>. Acesso em: 18 dez. 2018.

BRANDÃO, Gilda Vilela. Resenhando O momento literário, de João do Rio. Revista Brasileira de Literatura Comparada, n. 6, 2002. Disponível em: <http://revista.abralic.org.br/index.php/revista/article/view/89>. Acesso em: 18 dez. 2018.

COSTA, Angyone. A inquietação das abelhas: (o que pensam e o que dizem os nossos pintores, esculptores, architectos e gravadores, sobre as artes plásticas no Brasil). Pimenta de Mello, 1927.

CREMONA, Ercole. O atelier de J. Baptista da Costa. Revista Illustração Brasileira, Rio de Janeiro, ano III, n. 28, dez. 1922.

______. Atelier Rodolpho Chambelland. RIB, ano IV, n. 37, set. 1923.

DAZZI, Camila Carneiro. “Pôr em prática a reforma da antiga Academia”: a concepção e a implementação da reforma que instituiu a Escola Nacional de Belas Artes em 1890. 2011. Tese (Doutorado em Artes Visuais) – EBA/UFRJ, Rio de Janeiro.

ESNER, Rachel. Pourquoi l’atelier compte-t-il plus que jamais? Perspective, Paris, n. 1, 2014. Disponível em: <https://journals.openedition.org/perspective/4297>.Acesso em: 18 dez. 2018.

______. In the Artist’s Studio with L’Illustration. RIHA Journal, n. 69, 18 mar. 2013. Disponível em: <https://www.riha-journal.org/articles/2013/2013-jan-mar/esner-lillustration>. Acesso em: 18 dez. 2018.

FRACCARO, Glaucia. Os direitos das mulheres: organização social e legislação trabalhista no entreguerras brasileiro (1917-1937). 2016. Tese (Doutorado em História) – IFCH/Unicamp, Campinas

KRIS, Ernst; KURZ, Otto. Lenda, mito e magia na imagem do artista: uma experiência histórica. Lisboa: Editorial Presença, 1988.

LICHTENSTEIN, Jacqueline (org.). A pintura: textos essenciais. São Paulo: Ed. 34, 2006, vol. 3.

MATTOS, Adalberto. Mostras de Arte: Exposição Brazileira. RIB, ano I, n. 3, nov. 1920.

______. Os nossos artistas e os seus ateliers. RIB, ano II, n. 9, maio 1921.

______. Os nossos artistas e os seus ateliers. RIB, ano II, n. 13, set. 1921.

______. Os nossos artistas e os seus ateliers. RIB, ano II, n. 15, nov. 1921.

______. Os nossos artistas e os seus ateliers. RIB, ano III, n. 20, abril 1922.

______. Os nossos artistas e os seus ateliers. RIB, ano III, n. 21, maio 1922.

______. Atelier Antonino Mattos. RIB, ano IV, n. 33, maio 1923.

______. Atelier Bernardelli. RIB, ano IV, n. 36, ago. 1923.

______. Atelier Parreiras. RIB, ano IV, n. 28, out. 1923.

________. Artistas da corporação. RIB, Rio de Janeiro, ano V, n. 48, ago. 1924.

______. Um lar de artistas. RIB, ano VI, n. 60, ago.1925.

______. A decoração da cidade. Para todos, Rio de Janeiro, ano VIII, n. 376, 27 fev. 1926.

NOGUEIRA, Manuela Henrique. Georgina de Albuquerque: trabalho, gênero e raça em representação. 2016. Dissertação (Mestrado em Estudos Brasileiros) – IEB/USP, São Paulo.

OLIVEIRA, Ana Lúcia Machado de; GENS, Rosa Maria de Carvalho. Flanando pela alma encantadora das ruas. In: RIO, João do. A alma encantadora das ruas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

PANOFSKY, Erwin. Idea: a evolução do conceito de belo. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

PITTA, Fernanda Mendonça. Um povo pacato e bucólico: costume, história e imaginário na pintura de Almeida Júnior. 2013. Tese (Doutorado em Artes Visuais) – ECA/USP, São Paulo.

RIO, João do. O momento literário. Fundação Biblioteca Nacional, s/d. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br.> Acesso em: 18 dez. 2018.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti. Entre convenções e discretas ousadias: Georgina de Albuquerque e a pintura histórica feminina no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 2002, vol. 17, n. 50. Disponível em: <http://ref.scielo.org/7z55jb>. Acesso em: 18 dez. 2018.

SOUZA, Nabil Araújo de. O advento da moderna crítica literária na França do século XIX: de Mme. Stäel a Gustave Lanson. Caligrama: Revista de Estudos Românicos, Belo Horizonte, vol. 11, dez. 2006. Disponível em: <http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/caligrama/article/view/203>. Acesso em: 18 dez. 2018.

SQUEFF, Leticia. O Brasil nas letras de um pintor: Manoel de Araújo Porto Alegre (1806-1879). Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

STURGIS, Alexander; CHRISTIANSEN, Rupert; OLIVER, Lois; WILSON, Michael. Rebels and Martyrs: The Image of the Artist in the Nineteenth Century. Londres: National Gallery Company Limited, 2006.

VALLE, Arthur; DAZZI, Camila. Artistas brasileiros em Paris através da fotografia. Revista de História da Arte e Arqueologia, Campinas, n. 23, jan-jun. 2015. Disponível em: <http://www.unicamp.br/chaa/rhaa/revista23.htm>.Acesso em: 18 dez. 2018.

______. Studio studies e fotografias de atelier de pintores brasileiros. AURA. Revista de Historia y Teoría del Arte, n. 3, jun. 2015. Disponível em: <http://www.ojs.arte.unicen.edu.ar/index.php/aura/article/download/252/208>. Acesso em: 18 dez. 2018.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 MODOS

Downloads

Não há dados estatísticos.