Apresentação. Canibalismos Disciplinares

Entre a História da Arte e a Antropologia: museus, coleções e representações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v3i3.4301

Palavras-chave:

História da Arte. Museologia. Antropologia. Estudos Culturais.

Resumo

Na esteira do livro Canibalismes disciplinaires de Thierry Dufrêne e Anne-Christine Taylor e inspirados pelo “Simpósio História da Arte e Antropologia”, organizado pelo Museu do Quai Branly (Paris), em 2006, além dos trinta anos da discutida exposição Magiciens de la Terre, de 1989, em suas repercussões para os museus e exposições de arte na França bem como em países não europeus, o presente dossiê acolheu investigações de pesquisadores da história da arte, das ciências sociais e da museologia preocupados com as relações, as conexões, os conflitos e as contradições operadas pelas narrativas e representações contemporâneas produzidas na intercessão entre a antropologia e a arte; privilegiando objetos, processos, eventos e instituições que navegam entre as duas áreas, num processo de canibalismos mútuos entre essas duas práticas disciplinares. Nestas intersecções, a museologia é a terceira chave deste relacionamento pois opera com as transformações dos objetos, investindo-os em processos singulares e próprios do campo, abarcados pela noção de musealização, um ato simbólico e criativo que produz sentidos e cria valores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Brulon, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Professor de Museologia no Departamento de Estudos e Processos Museológicos – DEPM da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO e do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio – PPG-PMUS (UNIRIO/MAST).

Emerson Dionisio Gomes de Oliveira, Universidade de Brasília

Docente e pesquisador do Departamento de Artes Visuais, no Programa de Pós-graduação em Artes Visuais e no Programa de Ciência da Informação da Universidade de Brasília.

Referências

APPADURAI, Arjun. Introduction: commodities and the politics of value. p. 3-63. In: _______. (ed.) The social life of things. Commodities in cultural perspective. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

CHARTIER, Roger. Introdução. Por uma sociologia histórica das práticas culturais. In: _____. História Cultural. Entre práticas e representações. Algés: DIFEL, 2002, pp.13-28.

DUFRÊNE, Thierry & TAYLOR, Anne-Christine. Cannibalismes disciplinaires. Quand l’histoire de l’art et l’anthropologie se rencontrent. Paris : Musée du Quai Branly / INHA, 2010.

HUCHET, S. Questões sobre o lugar e a função da História da Arte. Anais do XXIII Colóquio Brasileiro de História da Arte, Rio de Janeiro: CBHA: 2004, p. 425-428.

KERN, M. L. A História da Arte: revisão e novas perspectivas. In: COUTO, M.; FUREGATTI, S. (org.). Espaços da Arte Contemporânea. São Paulo: Alameda Editorial, 2013, p. 85-99.

MARQUES, L.; MATTOS, C.; ZIELINSKY, M.; CONDURU, R. Existe uma arte brasileira?, Perspective, 2, 2013.

PUGLIESE, V.; CORREA. P. Historiografia da Arte no Brasil: memórias e invenções. In: PARAGUAI, L.; SOBAGE, M. (org.). Memórias e inventações. São Paulo: Anpap, 2017, p.64-75.

Downloads

Publicado

2019-09-29

Como Citar

BRULON, B.; GOMES DE OLIVEIRA, E. D. Apresentação. Canibalismos Disciplinares: Entre a História da Arte e a Antropologia: museus, coleções e representações. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 3, p. 61–66, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i3.4301. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663186. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Canibalismos Disciplinares

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>