As artes visuais sob vigilância

Censura e repressão nos anos de ditadura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v3i3.4300

Palavras-chave:

Regime civil-militar. Censura. Resistência. Arte de vanguarda.

Resumo

Tendo como ponto de partida os documentos referentes ao dossiê Non à la Biennale de São Paulo, dispositivo impresso que contribuiu para alavancar o boicote coletivo e internacional à Bienal de São Paulo, em 1969, em reação à política autoritária do regime civil-militar, este artigo propõe uma discussão sobre a vigilância, censura e repressão às manifestações artísticas desde os primeiros anos da ditadura até a efetivação do boicote à bienal, com o intuito de avaliar seus efeitos e os desacordos em torno dos julgamentos da arte. Ao impor critérios políticos e morais, desqualificando o pensamento crítico, o autoritarismo do regime interferiu no circuito e nos sentidos da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Saut Schroeder, Universidade do Estado de Santa Catarina

Possui doutorado em Processos Artísticos pelo CEART/UDESC, com bolsa CAPES, e mestrado em História, Crítica e Teoria da Arte pela ECA/USP. É professora substituta na UFPR.

Referências

CARNEIRO, M. L. T. (org.). Minorias silenciadas. História da Censura no Brasil. São Paulo: EDUSP/ Imprensa do Estado/ FAPESP, 2002.

DANTAS, P. Técnica de defesa. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 1ª Seção, 22 nov. 1969.

FAVARETTO, C.F. Vanguarda brasileira, Hélio Oiticica. Porto Arte, Porto Alegre, v. 4, n.7, mai. 1993.

FICO, C. Além do golpe. Rio de Janeiro: Record, 2004.

GARCIA, M. A censura de costumes no Brasil: da institucionalização da censura teatral no século XIX à extinção da censura da constituição de 1988. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2009. (Trabalho de conclusão de bolsa-pesquisador do Programa Nacional de Apoio à Pesquisa da Fundação Biblioteca Nacional).

LAUS, H. Renovação em terra nova. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 21 mai. 1967, p. 8.

MANUEL, A. Exposição não respeita memória da violência e do vazio gerado em 1968. Folha de S. Paulo, Ilustrada, 30 jun. 2014.

MIYADA, P. (Org.) AI-5 50 Anos, ainda não terminou de acabar. São Paulo: Instituto Tomie Ohtake, 2019, p.105. (Catálogo de Exposição)

MORAIS, F. Arte e Crítica de Arte nos tribunais militares (1978). In: SEFFRIN, S. (org.). Frederico Morais. Rio de Janeiro: FUNARTE, 2004. (Coleção Pensamento Crítico).

MORAIS, F. Hoje II Bienal da Bahia. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 2ª Seção, 20 dez. 1968, p.3.

MORAIS, F. Os Dois Júris da Bienal da Bahia. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 2ª Seção, 24 dez. 1968, p.3.

MORAIS, F. Artes Plásticas: a crise da hora atual. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

MORAIS, F. Cronologia das Artes Plásticas no Rio de Janeiro (1816-1994). Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.

NAPOLITANO, M. A MPB sob suspeita: a censura musical vista pela ótica dos serviços de vigilância política (1968-1981). Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 24, n. 47, 2004.

OITICICA, H. Aspiro a um grande labirinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

OITICICA, H. Depoimento ‘Opinião 65’. Texto para o Diário Carioca: Claudir Chaves, 20 de agosto de 1965. Arquivo: Projeto Hélio Oiticica – Itaú Cultural.

OITICICA, H. Esquema Geral da Nova Objetividade. (1967) In: BASUALDO, C. (org.) Tropicália: uma revolução na cultura brasileira (1967-1972). São Paulo: Cosac Naify, 2007a.

OITICICA, H. Tropicália. (1968) In: BASUALDO, C. (org.) Tropicália: uma revolução na cultura brasileira (1967-1972). São Paulo: Cosac Naify, 2007b.

ORTIZ, R. Imagens do Brasil. Sociedade e Estado, v. 2, n. 8, set.-dez. 2013.

PEDROSA, M. Do porco empalhado ou os critérios da crítica. Correio da Manhã, 4º Caderno, 11 fev. 1968, p. 4.

PEDROSA, M. Perspectiva de Brasília. In: AMARAL, A. Dos murais de Portinari aos espaços de Brasília. São Paulo: Editora Perspectiva, 1981, p. 245.

RODOLPHO, L. Os deveres do crítico de arte na sociedade. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 2º Caderno, 10 jul. 1969, p.1

SCHWARCZ, L.; STARLING, H. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

SONTAG, S. Sob o signo de Saturno. São Paulo: L&PM Editores, 1986.

WOLFF, Fausto. Carta aberta ao ministro da Justiça. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 2º Caderno, 22 dez. 1967, p.1.

Documentos

BRASIL. 1969. Dossiê parcial da repressão cultural. Dossiê Non à la Biennale de São Paulo. Paris, 16 jun. 1969. Arquivo: Frederico Morais.

NÃO À BIENAL DE SÃO PAULO. Dossiê Non à la Biennale de São Paulo. Paris, 16 jun. 1969. Arquivo: Frederico Morais.

Outras referências

ABCA toma resoluções após reunião. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, 22 jun. 1969, p.7.

Artista plástico fica em vigilância contra a censura. Correio da Manhã, 1º Caderno, 19 jul. 1968, p.5.

Artistas condenam a condenação de Volpini. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Caderno B, 29 jul. 1978, p.1.

Cavalcanti vê seu filme ser vetado no INC. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, 11 jan. 1968, p.3.

Ceres Franco explica a nova dimensão da Arte. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Caderno B, 22 ago. 1965, p.2.

CFC pede atendimento de Ministros para a censura não mutilar mais obras de arte. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1º caderno, 23 dez. 1967, p.16.

Costa prevê término da crise econômica. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, 31 jan. 1967, p.1.

DOPS tenta tirar painéis de Guevara. Jornal do Brasil, 1º Caderno, Rio de Janeiro, 22 dez. 1967.

Fundadora do MAM deixa a diretoria da Bienal. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 21 set., 1969.

Gama não aprova censura policial. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, 5 jan. 1968, p.8.

Iniciada semana contra a censura. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, 9 jan. 1968, p. 11.

Itamarati (sic) cancelou mostra do museu. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, 31 mai. 1969, p.8.

Lei de Imprensa. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, ,24 jan. 1967, p.14-15.

Niterói: Censura avisa que dá prisão música deturpada. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 1º Caderno, 5 fev. 1967, p. 7.

Downloads

Publicado

2019-10-04

Como Citar

SCHROEDER, C. S. As artes visuais sob vigilância: Censura e repressão nos anos de ditadura. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 3, n. 3, p. 45–59, 2019. DOI: 10.24978/mod.v3i3.4300. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663187. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Colaborações